Canto do Bacuri

Mari Satake

MARI SATAKE: Abril 2020

Tarde quente de outono. Céu azul brilhante, sem nuvenzinha alguma querendo encobrir o sol. Vento suave entrando pelas janelas escancaradas. O pátio vazio. Adiante, a praça das crianças. Nenhuma criança, nenhum pai, nenhuma mãe. Nem aqueles…
Leia mais...

Sobrevivência

Tá fácil para você? Sorte a sua. Por aqui, a coisa está nada bonita. Muito pelo contrário. Mas, pensando sobre isso, chego à conclusão que nem sou a pior das pessimistas que sempre achei. Afinal de contas, a minha volta tudo parece em…
Leia mais...

CANTO DO BACURI > MARI SATAKE: 2020

2019 foi um ano difícil. Mas sobrevivemos. Estamos inteiros. Em muitos casos, ainda cuidando dos reparos necessários. 2020 mal começou e já fomos tomados por notícias seriamente preocupantes vindas do lado de lá. Dias sombrios também por…
Leia mais...

CANTO DO BACURI > Mari Satake: Susto

Naquela manhã, ela se levantou bem cedo. Cuidou de seus afazeres, deixou a casa organizada, pegou tudo que precisava e saiu. Daquela vez, não se preocupou em fazer hora porque estava adiantada. Saiu com folga. Com tanta folga que o trânsito…
Leia mais...

CANTO DO BACURI > Mari Satake: Ivy

Sentada naquela mesa, no meio de tantas outras, apinhadas de gente, ela só queria descansar. Estava exausta. Precisava se recompor. Aquela área de alimentação, ali à beira mar, era o que tinha no momento. Por algumas horas, era uma sem…
Leia mais...

BACURI / MARI=Março de 2019

17今、言い訳はもうありません。すべてが穏やかに見えた年の初めは、単なる記憶です。カーニバルは到着するのに時間がかかりました。彼は来て行きました。端から端まで人々は彼らの愚痴を示しました。それは面白いかもしれません。しかしそうではありません。悲劇的で恥ずべきことです。 カーニバルは通りました。激しい暑さが続きました。水はすべてのものと一緒に到着しました。国の最大の都市の水と泥。恥です。泥の中の水路 それからゴミが山積みになります。逆の生活…
Leia mais...