Colunas

Canto do Bacuri

CANTO DO BACURI > Mari Satake: Susto

Naquela manhã, ela se levantou bem cedo. Cuidou de seus afazeres, deixou a casa organizada, pegou tudo que precisava e saiu. Daquela vez, não se preocupou em fazer hora porque estava adiantada. Saiu com folga. Com tanta folga que o trânsito…
Leia mais...

CANTO DO BACURI > Mari Satake: Ivy

Sentada naquela mesa, no meio de tantas outras, apinhadas de gente, ela só queria descansar. Estava exausta. Precisava se recompor. Aquela área de alimentação, ali à beira mar, era o que tinha no momento. Por algumas horas, era uma sem…
Leia mais...

BACURI / MARI=Março de 2019

17今、言い訳はもうありません。すべてが穏やかに見えた年の初めは、単なる記憶です。カーニバルは到着するのに時間がかかりました。彼は来て行きました。端から端まで人々は彼らの愚痴を示しました。それは面白いかもしれません。しかしそうではありません。悲劇的で恥ずべきことです。 カーニバルは通りました。激しい暑さが続きました。水はすべてのものと一緒に到着しました。国の最大の都市の水と泥。恥です。泥の中の水路 それからゴミが山積みになります。逆の生活…
Leia mais...

Um novo tempo já envelhecido

Como seria possível assistir a um filme do final para ao começo, por um erro do projetista, que teria enrolado a fita ao contrário, e não percebido? Assim me sinto nos tempos da incerteza. Outrora, acreditava, não apenas eu, mas outros que…
Leia mais...

Zorba, o minotauro de Creta

Alguns filmes devem ser revistos, outros não vistos, vistos agora, quando podemos esticar o tempo. São os tempos da memória, no meu caso, que retornam confundindo o vivido e o que vivemos agora. Por alguma fatalidade, talvez isso, ainda que…
Leia mais...

CANTO DO BACURI > Mari Satake: 2019

O calendário marca. O ano é novo. Aqueles dias iniciais de nada fazer, agora são lembranças recentes. As contas novamente batem à porta, as datas dos compromissos habituais se aproximam, os amigos começam a dar sinal de vida. Só agora ela…
Leia mais...