CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Um encontro do passado

Dias desses, um dia comum como qualquer outro, a mensagem na lista das mensagens eletrônicas, que costumo apagar a maior parte delas, algo me chamou a atenção. Antes mesmo de verificar o conteúdo, o nome do remetente: nada de novo, muito…

CANTO DO BACURI > Francisco Handa: O mestre silencioso

Com toda a paciência que a vida lhe ensinou a ter, após a demonstração do tema escolhido para a aula do dia, ele apenas faz gestos. Seus alunos entendem que é hora de cada um se dirigir à mesa que escolheu para trabalhar e iniciar mais uma…

Um novo tempo já envelhecido

Como seria possível assistir a um filme do final para ao começo, por um erro do projetista, que teria enrolado a fita ao contrário, e não percebido? Assim me sinto nos tempos da incerteza. Outrora, acreditava, não apenas eu, mas outros que…

Haicai Brasileiro: Haicai como descoberta da palavra (2)

Alguns praticantes de haicai não estão acostumados à métrica dos cinco, sete e cinco sons, contando-se até a última tônica. Em particular, nada contra. Talvez devamos chegar até a esta construção métrica a partir da experiência da…

Zorba, o minotauro de Creta

Alguns filmes devem ser revistos, outros não vistos, vistos agora, quando podemos esticar o tempo. São os tempos da memória, no meu caso, que retornam confundindo o vivido e o que vivemos agora. Por alguma fatalidade, talvez isso, ainda que…

Haicai como descoberta da palavra (1)

Nestes últimos trinta anos em que enveredei neste Caminho do Haicai (ou seria Haiku?), muitas águas passaram diante de mim. Aprendi muitas coisas, esqueci-me de outras, retomei, retornei e avancei. Da maneira ensinada pelo mestre inspirador…

CANTO DO BACURI > Francisco Handa: O vidente japonês

Não fora a primeira vez. Curiosidades a parte, tinha que colocar à prova as suas convicções. Mais uma leitora de baralhos? Não cairia mais nesta. Será? Tinha gasto quantia razoável nas visitas à tarde, depois do trabalho, em alguma casa de…

Haicai passo a passo (12)

No que diz respeito à atitude de um haicaísta diante dos temas a serem explorados, da natureza física e seus fenômenos, da natureza de sua própria mente, que convive em equilíbrio com o corpo, é uma atitude de contemplação. Ser um místico é…

CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Viagem à alma humana

O romance Kokoro, de Natsume Soseki, publicado em 1914, virou filme de 1955, dirigido por Kon Ichikawa e distribuído pela Nikkatsu. Palavra de difícil tradução, Kokoro muitas vezes é forçosamente traduzido apenas por Coração. Os ingleses…

Haicai passo a passo (11)

Usar apenas a mente ao compor haicai, imaginando uma situação para finalmente lograr uma composição devidamente realizada, é limitar-se nas possibilidades diversas do nosso corpo e seus sentidos. Se temos os sentidos do corpo, que motivos…

CANTO DO BACURI > Francisco Handa: Ilha Nua de Kaneto Shindo

Alguma coisa acontece entre os apreciadoresde cinema após assistir Hadaka no Shima (Ilha Nua), de 1960 premiado no 2o.Festival Internacional de Filme de Moscou. Entre os jurados estava LuchinoVisconti. Quando se diz, alguma coisa acontece,…

CANTO DO BACURI > Francisco Handa

Paulista somos Viver na periferia Paulista somos Tomamos ônibus Trem e lotação Vivemos de um ponto Para o outro Uma malha que tecemos Nunca fica pronto. Somos Penélope. Paulista somos Do nordeste distante Do sul distanciado…

CANTO DO BACURI > Francisco Handa: No tempo da Montanha Mágica

Foi numa aula de história contemporânea, do curso de história, que o professor disse: “Se quiserem entender a Alemanha, devem ler A Montanha Mágica, de Thomas Mann”. Todos as sugestões dos professores serviam de inspiração para o então…

Haicai passo a passo (9)

Certa vez li um artigo de Octávio Paz no livro O Arco e a Lira no qual o autor esclarecia que a poesia estava presente no mundo, cabendo ao poeta perceber isso e transformá-la em poema. Da mesma forma, o haicai está presente no mundo, sem a…

Chuva Negra na lente de Shohei Imamura

Foi em 6 de agosto de 1945, às 8h15, que um clarão iluminou como um relâmpago a sala em que acontecia uma aula de Cerimônia de Chá. Assim, começa a narrativa de Kuroi Ame – Chuva Negra, de 1989, do diretor Shohei Imamura, distribuído pela…