FALECIMENTO: Economista, ex-presidente do Banco Central, Incra e Santa Cruz, Paulo Yokota morre aos 83 anos

Paulo Yokota (arquivo)

Faleceu no último dia 19, aos 83 anos de idade, vítima de cirrose hepática, o economista Paulo Yokota. O corpo foi sepultado no cemitério de São Paulo no dia seguinte, 20 de novembro.
Ponte ativa entre a comunidade empresarial brasileira e japonesa, servindo como presidente do Comitê Organizador Brasileiro do Primeiro Comitê Econômico Conjunto Japão-Brasil do Keidanren em 1972, Paulo Yokota foi membro da equipe avançada que coordenou a visita do presidente Figueiredo ao Japão em 1984.
Em 1985, como representante do Governo Brasileiro, foi diretor do Pavilhão do Brasil na Expo 85 em Tsukuba, Japão, e no Dia do Brasil, deu as boas-vindas a Suas Majestades o Imperador e Imperatriz (hoje Imperador emérito e Imperatriz emérito).
Após graduar-se na Faculdade de Economia da Universidade de São Paulo, Paulo Yokota, juntamente com seu ex-professor professor Delfin Netto, que havia sido ministro durante o regime militar, ocupou vários cargos importantes, incluindo o de Diretor do Banco Central e presidente do Instituto Nacional de Reforma Colonial e Agrária (Incra).
Após a transição para o regime civil, ele trabalhou como diretor de uma empresa de consultoria liderada pelo professor Delfin Netto, onde aconselhou muitas empresas japonesas e ocidentais, e estabeleceu o site Asia Comentada para divulgar informações sobre o país.
Em 2004-2005, como membro do Conselho Século XXI Japão-Brasil (agora Conselho de Sábios Japão-Brasil), coordenou o cronograma da visita do primeiro-ministro Koizumi ao Brasil e fez parte da equipe de antecipação da visita do Presidente Lula ao Japão em 2005.
Participou de um movimento de cidadãos, incluindo nikkeis e não brasileiros, para o retorno do Hospital Japonês Santa Cruz – à comunidade nipo-brasileira, e serviu como presidente e presidente do Conselho de Curadores por 18 anos.
Em 2020, recebeu do governo japonês a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro com Laço como condecorado de outono do Segundo Anbo da Era Reiwa. A cerimônia não foi realizada devido à pandemia, mas ele recebeu o prêmio em casa enquanto se recuperava de sua doença.
(Com informações de Masato Ninomiya)

Comments (0)
Add Comment