Shinzo Abe visita Emirados Árabes Unidos

Tenho acompanhado através da mídia, a viagem do primeiro ministro japonês, Shinzo Abe, ao Emirados Árabes Unidos.

A viagem do premiê do Japão, tem como principal objetivo, abrandar as tensões e os conflitos no Oriente Médio.

Eu, Erika Tamura, tenho interesse pessoal nesse abrandamento de conflitos. Pois viajo semana  que vem ao Brasil, via Dubai! Senhor, me ajude!

Brincadeiras à parte, vejo uma preocupação real por parte do governo japonês com a probabilidade do conflito atual, tomar proporções maiores, e se tornar algo incontrolável. Me pergunto, como em pleno ano de 2020, os líderes de nações ainda pensem em guerra, armamentos nucleares, fortalecimento de indústrias bélicas, para quê?

Estamos vivendo o retrocesso, é isso?

Sou brasileira, vivo no Japão e sou admiradora da cultura árabe, especificamente dos Emirados, tanto é que fui passear duas vezes no Emirados (Abu Dhabi e Dubai). Sou fã declarada do Abe e do Sheik Zahyed, e hoje vi o vídeo que o Sheik Mohamed bin Zayed Al Nahyan, príncipe herdeiro de Abu Dhabi, postou em sua rede social (sim, eu o sigo no Instagram, não entendo nada, mas o google tradutor me ajuda), recebendo o primeiro ministro do Japão. Emocionante!

Fico muito feliz em ver que o governo japonês está preocupado com conflito entre Estados Unidos e Irã, e tem se empenhado em tentar apaziguar qualquer ameaça ao Japão.

No encontro do Abe com o Sheik Mohamed Zayed, ficou claro a preocupação de ambos com a crescente tensão e, combinaram de trabalhar de forma conjunta para diminuir as tensões no que for possível.

Abe declarou que enviou tropas de autodefesa para a região, como forma de garantir uma navegação segura aos navios japoneses.

Acho que a preocupação de Abe, vai além das tropas de defesa, ou uma iminente guerra, o Japão depende exclusivamente do Irã para o fornecimento de petróleo ao país, entre outras coisas.

O Japão é um país que já passou por guerra, e ultimamente tenho lido muito à respeito, e diante os relatos, posso dizer que estou horrorizada. Crueldade é o mínimo que posso dizer sobre tudo o que li.

Estou preocupada? Sim, estou! Sou brasileira, venho de um país de paz, despido de qualquer indisposição conflituosa no exterior.

Vai dar tudo certo, Erika!

iminjapãojaponêsNARA
Comments (0)
Add Comment