Yutaka Toyota recebe visita de cônsul geral do Japão em Curitiba em exposição no MON

Gianni Toyota, Liliana Cabral, Marise von der Osten, Masahiro Takagi, Yutaka Toyota, Luciana von der Osten e Sotaro Higaki. (divulgação)

O artista Yutaka Toyota recebeu, no último dia 20, a visita do cônsul geral do Japão em Curitiba, Masahiro Takagi, na exposição “O Ritmo do Espaço”, em cartaz no Museu Oscar Niemeyer (MON) até 17 de fevereiro.
Toyota, um dos pioneiros do movimento cinético internacional e da arte interativa, veio à capital paranaense para uma série de ações relacionadas à mostra, que reúne 86 de suas obras em diversos suportes, dos anos 1960 até a produção mais recente.
O artista nasceu em 1931 em Tendo, na província de Yamagata, ao norte do Japão, e se formou na Universidade de Artes de Tóquio em 1954. Foi apenas em 1958 que imigrou ao Brasil. Após dois anos na Argentina, retornou em 1961 e iniciou, ainda no começo dos anos 1960, seus trabalhos de pintura abstrata com conceitos cosmológicos — ponto central de sua obra até os dias de hoje.
Toyota naturalizou-se brasileiro em 1971, fixando seu ateliê em São Paulo. Com uma carreira premiadíssima no Brasil, manteve também uma relação estreita com o Japão, assinando cerca de 45 monumentos e obras públicas no país.
Entre as obras está um monumento bilateral inaugurado em 1995 na cidade de Yokohama, em comemoração ao centenário da amizade, navegação e comércio entre Brasil e Japão.

Intercâmbio – Toyota acompanhou o cônsul geral Takagi durante toda a visita à sala 4 do MON. Em sua língua materna, o artista falou sobre alguns de seus trabalhos ao convidado.
“As obras de Toyota são muito importantes pelo pioneirismo e também por uma certa inspiração que une Japão e Brasil”, disse o diplomata. “Como tem coração japonês e mora no Brasil há mais de 60 anos, ele integra as duas culturas na interpretação de conceitos universais”, avaliou.
“Sempre fiz este intercâmbio entre Brasil e Japão”, complementou Toyota, comemorando a realização da mostra “O Ritmo do Espaço” na capital paranaense.
“Há 40 anos, mandei uma obra e fui premiado em um concurso em Curitiba. Depois disso, nunca mais vim. Por isso, queria muito fazer esta exposição, que só deu certo porque há muita gente ajudando”, contou.
Também participaram da visita o vice-cônsul Sotaro Higaki; as patrocinadoras da exposição Marise von der Osten e Luciana von der Osten; o diretor de projetos no Atelier Yutaka Toyota e filho do artista, Gianni Toyota; e a marchand Liliana Cabral, da Artestil Galeria de Arte.

“O Ritmo do Espaço” – A exposição “Yutaka Toyota – O Ritmo do Espaço” recebeu o prêmio de Melhor Retrospectiva do Ano pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) em 2018. Embora não seja rigidamente cronológica, contempla trabalhos desde o início da carreira do artista.
A curadoria de Denise Mattar privilegia a produção escultórica de Toyota e enfatiza as principais questões que permeiam sua obra, apontando o processo que o levou da pintura ao objeto e do plano à superfície reflexiva.
“Ele faz parte de um grupo que na década de 1960 decretou o fim da pintura de cavalete e da escultura figurativa, convidando o público a participar de novas experiências estéticas”, explica a curadora. “Quando vierem ver a exposição no MON, os espectadores verão que mergulharão dentro das obras”, diz.

Exposição “Yutaka Toyota – O Ritmo do Espaço”
De 4 de dezembro de 2020 a 17 de fevereiro de 2021
Visitação: terça-feira a domingo, das 10h às 18h
Museu Oscar Niemeyer (Rua Marechal Hermes, 999, Curitiba)

Comentários
Loading...