YAKITORI: Conheça o churrasco que se tornou febre entre os trabalhadores japoneses

Yakitori é um dos pratos típicos mais consumidos pelos trabalhadores japoneses no happy hour (divulgação)

Pouco conhecido Japão afora, o yakitori é um dos pratos típicos do país mais consumidos pelos trabalhadores japoneses, formando a combinação perfeita com a irrecusável cerveja gelada do encerramento de um longo dia ou do próprio happy hour — comemoração informal realizada entre amigos, chefes e colegas de trabalho.
Essa refeição é uma espécie de espetinho, similar aos churrascos ocidentais, porém com uma grande diferença em seus ingredientes e forma de preparo, fatores que deixam muitas pessoas em dúvida sobre o nível de risco à saúde. Apesar disso, o fato incrível desse alimento é sua versatilidade que garante menos danos ao organismo e mais saciedade e satisfação, se adequando às preferências de cada consumidor.
Assim, o yakitori tem se tornado tão simples e fácil de encontrar quanto um salgado brasileiro em lanchonetes, bares, barracas e estações, criando uma ponte prática entre o prazer de ingeri-lo, a redução da fome e o aumento de energia pós-trabalho. Ao mesmo tempo em que simula o conforto de uma comida básica e caseira.

História do Yakitori

Yakitori significa, literalmente, frango grelhado: similar ao churrasco (divulgação)

“Yakitori” significa, literalmente, “frango grelhado”, nomeando com simplicidade o típico espeto de frango consumido em eventos, barracas e restaurantes do Japão. Apesar disso, nem sempre foi assim, já que no século XVII o acesso à carne dessa ave era complicado devido ao seu valor e à religião budista que não permitia a ingestão desse animal e alguns outros, como boi e porco, ou seja, bichos criados em fazendas, considerados forças de trabalho. Assim, por muito tempo, esse alimento era elaborado com faisão, pato, codorna ou pombo, pássaros selvagens excluídos da proibição do budismo.
A primeira aparição desse modelo de churrasco oriental surgiu na Era Edo (1603 — 1868) como um dos pratos peculiares apresentados a um senhor do Castelo de Komoro. Contudo sua popularidade cresceu apenas após a Segunda Guerra Mundial (1939 — 1945), sob influência ocidental, já que os europeus levaram ao país novos costumes alimentares e uma criação de frangos que tornou seu preço mais acessível à população de baixa renda, embora ainda fosse comum servir apenas miudezas às classes pobres e partes nobres do frango à sociedade rica. Além disso, outro fator que aumentou sua fama, foi o uso de carvão binchotan que mascarava o odor desagradável da carne grelhada e acrescentava sabor à receita.
A origem do yakitori ainda tem como inspiração o yakiton (carne de porco grelhada) e o kushikatsu (espeto frito), ideias que quando unidas e modificadas passaram a apresentar uma grande variedade, tornando possível a versatilidade da receita e a adaptação de acordo com o gosto de cada consumidor.

Tipos mais populares

Receita permite variação de acordo com o gosto do consumidor (divulgação)

Dentre os ingredientes principais do yakitori, um elemento que não pode faltar, com certeza, é o frango, porém, com a modernidade e o surgimento dos regimes alimentares vegetarianos e veganos, foram criadas algumas exceções, transformando a refeição em uma das mais desejadas do Japão, podendo apresentar apenas legumes e vegetais.
A princípio, os tipos mais famosos entre os japoneses variam dependendo da parte da ave que é utilizada no espeto e seus componentes, como:

  • Negima: a receita mais popular composta por pedaços da coxa do frango e cebola ou alho-poró;
  • Muneniko: espeto grelhado com cortes do peito do frango. Pode ser facilmente conhecido por sasami quando utilizado a parte interna do peito, considerada magra, com menos gordura e mais proteína, de forma a ser saudável a quem consome;
  • Tsukune: reconhecido pelo uso de almôndegas de frango, legumes e especiarias, como o gengibre;
  • Momo: churrasco que oferece apenas o espeto com vários pedaços de coxas de frango;
  • Reba: alimento indicado no ponto malpassado, uma vez que é feito com fígado, órgão que deve ser grelhado com cuidado para manter a cremosidade e textura perfeita;
  • Nankotsu: servido frequentemente em barracas e estações, é formado pela cartilagem do frango, rica em colágeno e vitaminas;
  • Seseri: também denominado de kirin ou nekku, é raro nos cardápios de yakitori, já que se trata de uma das partes mais desejadas devido à sua maciez e sabor, apesar de haver pouca carne nessa região do corpo da ave;
  • Kawa: tiras de pele de galinha que proporcionam crocância ao espeto e mais atratividade devido à maior presença de gordura e colágeno.

Aos vegetarianos e veganos, é indicado o kushikatsu, prato semelhante ao yakitori, mas sem a necessidade do uso de frango, sendo bastante comum o cozimento de cogumelo, tofu (atsuage tofu), pimentão verde (piman), alho (ninniku) ou pimenta japonesa (shishito).

Petisco é tão fácil de se encontrar quanto um salgado brasileiro (divulgação)

Receita de yakitori
A receita do yakitori não exige muito do cozinheiro, apresentando como etapa mais demorada a fase de corte dos ingredientes. A partir de então bastará apenas inseri-los nos espetos e grelha-los. Então comece separando:

  • 4 ramos de cebolinhas;
  • 4 sobrecoxas de frango desossadas e sem pele;
  • Espetos de madeira.

Para o molho, una em uma panela 120ml de shoyu, 120 ml de saquê, 2 colheres de sopa de açúcar e 3 colheres de sopa de mirim, misture, aguarde o ponto de fervura e deixe cozinhar por mais 5 minutos, tempo ideal para a evaporação do álcool.
Em seguida, corte a cebolinha e o frango com cerca de 2,5 a 5 centímetros, medidas perfeitas para a elaboração da receita, executadas em restaurantes ou barracas de yakitori. Logo disponha os ingredientes nos espetos, intercalando. Se desejar, é possível acrescentar outros alimentos, como por exemplo pimentões.
Após os espetos prontos, pincele cada um antes de grelhar com o molho preparado, mantenha na grelha por cerca de 5 a 7 minutos até dourar e vire, garantindo seu cozimento total.
Por fim, sirva com o restante do molho em uma molheira para que o seu visitante ou a sua família consuma como desejar. Se por acaso preferir comprar pronto, no Japão, é possível encontrar em qualquer barraca, estação ou restaurantes especializados, chamados de yakitori-ya, ao encontrar um estabelecimento, tenha certeza de que provavelmente haverá outros mais próximos ao local, já que, normalmente, são reunidos em uma única rua.
Não podendo viajar, experimente os espetos no Brasil, buscando por restaurantes japoneses que sirvam esse alimento ou visitando algum evento oriental.
(Mariana Kisaki)

Comentários
Loading...