Walter Ihoshi, Keiko Ota e Junji Abe recebem condecoração de Outono e da Primavera

Os homenageados com o embaixador, o cônsul e presidentes das entidades nikkeis (Aldo Shiguti)

Os ex-deputados federais Walter Ihoshi e Keiko Abe, condecorados da Primavera de abril de 2020, e o também ex-deputado federal Junji Abe, condecorado de Outono de novembro de 2020 – os três do 2º ano da Era Reiwa e indicados pela Embaixada – receberam suas comendas entregues pelo embaixador do Japão, Akira Yamada, no último dia 27, na Residência Oficial do Cônsul Geral do Japão em São Paulo, na zona Sul de São Paulo. A cerimônia – realizada presencialmente mas de forma ainda restrita por conta da pandemia (participaram apenas familiares e alguns poucos convidados dos homenageados) – foi um dos últimos eventos presenciais do embaixador – que retorna para o Japão no dia 23 de novembro após quatro anos e três meses no cargo.
Após a execução dos hinos nacionais do Brasil e do Japão, o embaixador expressou sua felicidade em participar da cerimônia de forma presencial e agradeceu os homenageados por contribuírem não só com a Embaixada do Japão mas também ele próprio, “fortalecendo a nossa relação e cooperação entre o Japão e o Brasil, além de apoiarem e ajudarem a viabilizar as diversas atividades culturais da comunidade nikkei”.
Em seguida, Akira Yamada leu um resumo das principais contribuições de cada homenageado.
Condecorado com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro com Laço. Walter Shindi Ihoshi, atual presidente da Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo) assumiu três mandatos consecutivos na Câmara dos Deputados (de 2007 até 2019). Ex-presidente do Grupo Parlamentar Brasil-Japão, Ihoshi, como um dos poucos políticos com descendência japonesa que representam o Brasil, dedicou-se ao fortalecimento e à promoção da relação entre o Brasil e o Japão.
Destaque para a série dos eventos comemorativos dos 100 anos de imigração japonesa no Brasil, quando visitou o Japão como autoridade brasileira e prestigiou a Cerimônia Comemorativa representando a sociedade nikkei.
O ex-parlamentar entregou-se com empenho tanto à realização de cerimônia no Congresso Nacional em comemoração aos 100 anos da chegada de imigrantes japoneses ao Brasil, como à construção do monumento e à emissão da moeda celebrativa. Além disso, esforçou-se em estabelecer relacionamentos entre as sociedades nipo-brasileiras de São Paulo e as de Brasília e integrou proativamente em vários eventos organizados por estas comunidades. Além disso, contribuiu imensamente para a implantação do Consulado-Geral do Brasil em Hamamatsu, para a inauguração da concessão de visto de longa permanência aos descendentes da 4ª geração, os yonseis, e para a ajuda aos brasileiros residentes no Japão.

Primeira mulher – Em 2018, Walter Ihoshi foi um dos responsáveis pela ida de Sua Majestade Imperial, a princesa Mako, as regiões de Promissão, Marília e Araçatuba por ocasião das comemorações dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil.
Iolanda Keiko Miashiro Ota, também condecorada com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro com Laço, foi a primeira mulher descendente de japoneses eleita como deputada federal em 2011. Assumindo dois mandatos consecutivos desde 2011 até 2019, ela, como uma das poucas políticas com descendência japonesa que representam o Brasil, dedicou-se ao fortalecimento e à promoção das relações entre o Brasil e o Japão.
Em particular, numa série dos eventos comemorativos dos 110 anos de imigração japonesa no Brasil, a então presidente do Grupo Parlamentar Brasil-Japão trabalhou com afinco para que a realização da cerimônia comemorativa ocorresse na Câmara dos Deputados. Além disso, tomou a iniciativa em realizar a Semana Internacional Gastronômica da culinária japonesa (Wasyoku) no restaurante da Câmara na qual contribuiu na difusão da cultura japonesa, por meio do Washoku, para o soft power da diplomacia. Empenhou-se em organizar uma exposição de fotografia de Hiroshima e Nagasaki na Câmara e um seminário referente à bomba atómica para a construção da paz.
No âmbito da educação, Keiko Ota contribuiu para o fortalecimento das relações nipo-brasileiras por meio da apresentação do projeto de reforma das leis relativas à educação do Brasil, na qual baseou-se no sistema pedagógico do Japão.

Jinji Abe com Akira Yamada, Ryosuke Kuwana e convidados (Aldo Shiguti)

Parque Centenário – E, finalmente, Junji Abe, condecorado com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro com Laço, assumiu dois mandatos desde 2001, num total de 8 anos, como prefeito de Mogi das Cruzes (SP) e de 2011 a 2015 e de 2018 a 2019, pelo período total de 5 anos, foi deputado federal, contribuindo para o fortalecimento e promoção das relações Brasil-Japão como um dos poucos representantes políticos nikkeis. Em particular, quando o então primeiro-ministro do Japão Shinzo Abe visitou o Brasil em agosto de 2014, atuou como coordenador dos eventos relacionados aos nikkeis e, por meio desta visita, reafirmou que a existência da sociedade nikkei é indispensável nas relações Brasil-Japão.
Além disso, por ocasião do 100º aniversário da imigração japonesa no Brasil em 2008, o então prefeito de Mogi das Cruzes planejou vários eventos e animou as cerimônias comemorativas. Especificamente, se empenhou na construção do “Parque Centenário da Imigração Japonesa” dessa cidade, que se tornou um símbolo das relações bilaterais amistosas, contribuindo imensamente para a promoção da amizade entre o Brasil e o Japão.

O atual presidente da Jucesp, Walter Ihoshi com seus convidados (Aldo Shiguti)

Depoimentos – Em seu agradecimento, Walter Ihoshi lembrou de seus pais e avós, “que certamente devem estar muito felizes no dia de hoje”. “Receber uma das mais altas comendas da Casa Imperial do Japão é, sem dúvida, motivo de muita honra para todos aqueles que, assim como eu, se dedicam a fortalecer os laços culturais, de amizade e sócio econômicos entre o Brasil e o Japão”, destacou o presidente da Jucesp, explicando que “o sentimento que trago hoje é o da gratidão”.
E agradeceu os convidados que foram prestigiar pessoalmente sua condecoração, o imperador Naruhito, “que outorgou a homenagem”, agradeceu o embaixador Akira Yamada” por sugerir a indicação do meu nome para a Casa Imperial” e agradeceu também o cônsul geral do Japão em São Paulo, Ryosuke Kuwana “pelo apoio e por nos receber em sua residência oficial “.
E, por último, agradeceu todo o corpo consular, “que sempre foi muito receptivo e afetuoso nesses 15 anos de relação próxima que mantenho com o Consulado”.
Segundo Ihoshi, um dos momentos mais marcantes de sua trajetória política até agora, “foi justamente o trabalho como representante da comunidade nipo-brasileira nas comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil no meu primeiro mandato”. “A oportunidade de ter conhecido o imperador, que época era o príncipe herdeiro, foi sem dúvida, uma das maiores honras que já recebi minha vida”.
‘Após três mandatos em Brasília, como representante do Estado de São Paulo e da comunidade nipo-brasileira, aceitei o convite do governador para assumir a Junta Comercial do Estado de São Paulo para um trabalho de modernização e transformação digital trazendo eficiência à máquina pública e melhorando o ambiente de negócios em nosso Estado”, disse ele referindo-se ao seu desafio frente à Jucesp.
“Reitero aqui meu compromisso de honrar esta homenagem e a confiança depositada para continuar contribuindo para o fortalecimento das relações bilaterais procurando ser útil e contribuir para o desenvolvimento tanto do Brasil, minha terra natal, como do Japão, terra dos meus antepassados e da qual muito me orgulho”, concluiu Ihoshi.

Keiko Ota com Akira Yamada, Ryosuke Kuwana e seus convidados (Aldo Shiguti)

Cultura da paz – Keiko Ota também expressou sua gratidão e se emocionou ao falar do ex-marido, o vereador Masataka Ota, que faleceu em fevereiro deste ano.
Ao Jornal Nippak, ela explicou que Masataka ainda estava vivo quando ela recebeu a notícia de sua indicação. “Ele partiu com isso em mente”, comentou Keiko que também destacou as valiosas lições que aprendeu durante sua ida ao Japão, em 2017, como convidada do governo daquele país através do “Programa de Relações de Amizade do Japão”, do Ministério dos Negócios Estrangeiros.
Autora do projeto de lei que instituiu o Dia Nacional do Perdão (comemorado no dia 30 de agosto), Keiko conta que teve oportunidade conhecer o sistema educacional japonês e pôde visitar a Dieta, além de uma exposição sobre Hiroshima.
Para ela, a condecoração servirá de estímulo “para continuar ajudando o próximo e a investir ainda mais na cultura do perdão e da paz”, suas principais bandeiras – ao lado da educação. “Uma homenagem como essa também deixa uma luz no caminho das próximas gerações, pois trata-se de um legado para os filhos e netos”, destacou.

Ancestrais – Já Junji Abe disse que a condecoração “mexe extremamente com a nossa alma e com nosso coração”. Ao Nippak, Junji Abe explicou que “o que nós somos hoje, como brasileiros, amantes deste país e que respeita fundamentalmente o Japão – terra dos nossos ancestrais, devemos exatamente aos ancestrais, que deixaram um legado maravilhoso”. Segundo ele, seus pais e avós costumavam dizer para “amar o país de todo coração, ajudar o povo em tudo que for possível e trabalhar pelo Brasil mais do que os brasileiros”.
“Portanto, é justo que trabalhemos intensamente pela relação bilateral Brasil-Japão, Japão-Brasil baseado na amizade, amizade que vem das associações culturais, agrícolas e esportivas; amizade que vem exatamente das associações de províncias japonesas. Isto é, cabe a nós da comunidade nipo-brasileira trabalharmos intensamente para o beneficio desta relação bilateral porque o Brasil e o Japão representam hoje a paz mundial e são um exemplo magnífico da confraternização dos povos”, concluiu Junji Abe.

Mais representantes nikkeis – Em entrevista ao Nippak, o embaixador Akira Yamada espera que mais deputados e senadores nikkeis sejam eleitos nas eleições de 2022 “e também nas próximas eleições que virão”. “Agora só temos dois representantes nikkeis na Câmara dos Deputados, o Kim Kataguiri e o Luiz Nishimori. Cada um a sua maneira, ambos contribuem para o fortalecimento das relações bilaterais, mas poderiam ser mais. A comunidade nipo-brasileira tem potencial para eleger mais representantes. Acredito que isso será bom não somente para a comunidade nikkei e para a relação entre os dois países mas será bom também para a própria sociedade brasileira, pois os congressistas nikkeis podem contribuir para o desenvolvimento do país”, esclareceu Akira Yamada.

Renato Ishikawa comandou o brinde (Aldo Shiguti)

Kampai – O brinde foi conduzido pelo presidente do Bunkyo, Renato Ishikawa Presente no evento como convidado de Walter Ihoshi, o cantor Joe Hirata interpretou a música Kampai acompanhado da violinista Naho Nakatani. Foram muito aplaudidos pelos presentes ao final da belíssima apresentação.

Comentários
Loading...