VISITA: Embaixador participa de reunião sobre a Liberdade e visita a Enkyo

O embaixador Akira Yamada com o presidente da Beneficência Nipo-Brasileira de SP, Paulo Saita

O embaixador do Japão, Akira Yamada cumpriu uma agenda atribulada no último dia 13, no bairro da Liberdade. A agenda teve início logo pela manhã, às 8 horas, no Nikkey Palace Hotel, onde se reuniu com o presidente da Acal (Associação Cultural e Assistencial da Liberdade), Hirofumi Ikesaki, e com donos de restaurantes do bairro, entre eles Mônica Uezono, do Samurai, e Tamaki Yamamoto, do Kisetsu, além de representantes da Federação das Escolas Budistas do Brasil, Marcos Suzuki e Ryo Abe.
A pauta foi a revitalização do bairro da Liberdade, a instalação de uma estátua do Buda Shakyamuni na Praça Almeida Júnior – próxima ao Viaduto Mie Ken – e a construção de uma torre sobre a Radial Leste. Tamaki, um dos idealizadores do projeto, destacou que o objetivo da reunião era “apenas ouvir sugestões”, “pois sabemos que esse assunto não é da alçada da Embaixada”. Segundo ele, a ideia é “manter as características do bairro, originalmente um bairro japonês”.
A construção de uma estátua do buda de seis metros de altura na Praça Almeida Júnior, tem a simpatia da Federação das Escolas Budistas do Brasil. Marcos Suzuki comparou seu impacto visual à estatua do Cristo Redentor, um dos cartões postais do Rio de Janeiro, e seria um “presente para os imigrantes japoneses na forma espiritual e que deixaria algo da riqueza cultural dos antepassados”.
Ele explicou que, inicialmente, a ideia é construir a estátua no Japão e trazê-la para ser montada no Brasil. O bispo afirmou que, apesar de não saber quanto ficaria o projeto, a Federação não teria condições de arcar com as despesas e por isso uma das propostas é iniciar uma campanha de doações.
Mais realistas – Orçamento, aliás, que foi uma das observações do embaixador em relação aos projetos. Ele sugeriu que os projetos avancem passo a passo e sejam mais realistas. Akira Yamada pediu também para que os jovens sejam ouvidos.
Para o embaixador, que considerou inviável a construção de uma torre em pleno centro de São Paulo por ser um projeto de âmbito nacional, é preciso encontrar uma outra maneira para que os projetos avancem e ganhem força. E o primordial é a apresentação de valores.

O embaixador na reunião sobre a revitalização da Liberdade (Aldo Shiguti)

Enkyo – Já no Centro Médico mantido pela Enkyo no bairro da Liberdade, Akira Yamada foi recepcionado pelo presidente Paulo Saita; pelos vice-presidentes Eiki Shimabukuro, Akira Sonoda, Jun Suzaki e Kenji Inoue; pelo secretário-geral Marcelino Maezono; pelo superintendente geral Sergio Kiyoshi Okamoto e pelo coordenador médico Eduardo Tikazwa.
Em um breve discurso, Paulo Saita deu uma visão geral “do que é a Enkyo”, que hoje atua em duas frentes: a área de assistência social e da saúde. O presidente lembrou ainda que este ano a Enkyo recebeu subsídios da Jica no valor de cerca de R$ 48 milhões para ser aplicado nas duas áreas, “o que é uma grande responsabilidade de atuarmos sempre de forma responsável e transparente”.
Akira Yamada destacou sua alegria em visitar a Enkyo e expressou seu respeito pelo trabalho de hospitais e médicos em geral, “muitos valiosos, principalmente nesta situação que estamos vivendo”.
Após assistir a apresentação de um vídeo institucional, o embaixador conheceu algumas instalações do Centro Médico.

Comentários
Loading...