TRADIÇÃO: Centro de Chado Urasenke do Brasil realiza tradicional Hatsudate

Neste ano, Hatsudate foi realizado no Salão Nobre do Bunkyo e seguindo todas normas de segurança (Aldo Shiguti)

O Centro de Chado Urasenke do Brasil realizou, no último dia 17, no Salão Nobre do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), no bairro da Liberdade, em São Paulo, a tradicional cerimônia do Hatsudate – Primeira Cerimônia de Chá do Novo Ano. Por conta da pandemia do novo coronavírus, o evento foi realizado em um novo formato, com poucos convidados – cerca de 60 – e seguindo as determinações da vigilância sanitária – com medição de temperatura e uso de máscara obrigatório. A maioria dos presentes eram praticantes. Destaque para a presença do diretor geral da Fundação Japão, Masaru Susaki.
Pode-se observar alguns detalhes, como a bancada onde é preparado o chá – washindana (onde wa=paz; shin=gentileza e dana=prateleira), ou seja, uma peça que simboliza gentileza e paz. A peça, em forma de triângulo), foi desenhada pelo XVI grão-mestre Urasenke.
Já as cuias, onde foram servidos o chá, foram feiras por índios do Amazonas. Por medida de segurança, cada participante levou a sua cuia após a cerimônia. Já o poema (“O Usucha servido em cuia, na pandemia. Nas mãos, lembrança do Hatsudate”) foi declamado por Tomoko Takeda, de 90 anos. No Kakejiku estava escrito: “Fuku waraimon nozomi kuru” (algo como Que a felicidade entre em sua casa com um sorriso).
Após a cerimônia, o vice-presidente do Centro de Chado Urasenke do Brasil, Erisson Thompson de Lima, fez a saudação lembrando que 2021 é o ano do boi, de acordo com o horóscopo oriental. “É um símbolo de força e desde a antiguidade faz parte de muitas famílias que dependem de trabalhos braçais e com trabalho agrícola e de transporte de bagagem”, disse Thompson, explicando que, “como diz a expressão ‘ushi ho’, um passo de cada vez, um progresso constante é abrir um ano brilhante e cheio de paz”.
Depois foi a vez do presidente do Centro de Chado Urasenke do Brasil e representante da Urasenke no Brasil, Soichi Hayashi, fazer o seu pronunciamento. Segundo ele, “um dos prazeres do chá é nos reunir e confirmar que todos nós estamos bem”. O Sensei lembrou que ainda estamos “sob uma epidemia de um vírus altamente infeccioso” e por isso “as aulas e as reuniões de cerimônias do chá podem não sair como planejado”.

“Mas nós praticantes do chá, sem sermos levados pela agitação temporária do momento, mantemos a filosofia e a estética da cerimônia do chá em nossos corações”, afirmou Soichi Hayashi, que finalizou sua fala citando o animal que rege 2021. “Vamos caminhar um passo por vez, mesmo que seja devagar como, por exemplo, o andar de um boi”.
Na ocasião, foi realizada também a Cerimônia de Recebimento de Kyojô Hikitsugi. Receberam certificados: Anete Cuba, Cassia Toyoshima, Fabiana Kuwajima, Ivete Hinae Pereira, Lidia Kohatsu, Lina Neves, Lucio Kuwajima, Luiza Otsubo Hayashida, Marina Tikazawa, Marília Thomas, Masaru Susaki, Rubia da Silva, Takako Miyamichi, Toru Furusho, Verônica Nagae e Victoria Figueiredo.
Um delicioso almoço encerrou a programação.

Comentários
Loading...