TÉCNICAS: Saiba qual a melhor forma para alcançar a fluência da língua japonesa

Aumentar o repertório de idioma abre um leque de novas oportunidades profissionais (divulgação)

Algumas coisas que praticamente todo o mundo teve durante esses últimos meses (até 2021), desde 2020, foi tempo, tédio e ansiedade, fatores que na maioria das situações foram voltados a outras atividades consideradas terapêuticas, tais como a organização, decoração, jardinagem e, até mesmo, a busca por mais conhecimento, assim como o ato de aprender japonês.
Aumentar o repertório de idiomas abre um leque de novas oportunidades para diversos indivíduos, tanto na área profissional quanto no âmbito pessoal, proporcionando a noção não apenas de novas línguas, mas também de tradições e culturas que fogem do padrão dos ocidentais.
Assim, aprender japonês tem sido um objetivo traçado por muitos descendentes orientais e curiosos da cultura nipônica, que curtem as canções, doramas, animes, mangás e mais um pouco dos assuntos relacionados ao país repleto de comportamentos e inovações com os quais o mundo ainda tem que compreender e se desenvolver.

Um dos problemas enfrentados por quem quer estudar o idioma é não saber por onde começar (divulgação)

Erros ao tentar aprender japonês
Da mesma forma que o ensinamento de outras linguagens, ao aprender japonês a pessoa deve seguir alguns pequenos passos, demorados, porém eficazes, capazes de crescer seu vocabulário e entendimento, facilitando o convívio com o idioma tanto na questão de escuta quanto na fala. Contudo, nas primeiras etapas e/ou tentativas iniciais, muitos estudantes cometem erros de técnicas que podem retardar e complicar o processo.
A princípio, um dos maiores problemas enfrentados por quem quer estudar o idioma é não saber por onde começar, consequentemente, buscando por diversos livros, sites, aplicativos e cursos que facilitam o ponto de partida. Apesar disso, nem sempre as dicas iniciais são as mais indicadas, já que, normalmente, é sugerido começar pelo treino dos ideogramas, ou seja, a escrita, passo que nem sempre ajuda tanto no início, já que é um momento em que, provavelmente, o aluno nem sabe as palavras básicas.
Outra pedra no caminho desses indivíduos é a pressa, exemplificando na prática o ditado popular “a pressa é a inimiga da perfeição”, pois em muitos casos é comum focar apenas no objetivo final e esquecer que toda fase é essencial e deve ser entendida, não decorada. Logo há quem sofra até conquistar a tão desejada fluência e desista antes mesmo de chegar ao final dos estudos.
Essas pessoas ansiosas pelo resultado também podem ser os tipos de alunos que não entendem o porquê de não aprender o japonês tão rapidamente, embora mantenham uma constância no estudo de uma vez por semana ou até menos, pois não possuem tempo disponível na rotina. Essas desculpas e, muitas vezes, o cansaço e a preguiça são as grandes inimigas que afastam o conhecimento da cabeça e possibilitam o fácil esquecimento, além de diminuir a presença do idioma no dia-a-dia.
Aprender japonês e outras demais línguas demanda esforço e dedicação, de modo que o estudante deve inserir o idioma mesmo que por alguns minutos, todos os dias, seja por entretenimento ou por materiais de estudo, independentemente do período aplicado, você já estará tendo mais contato com a linguagem, então também estará mais próximo do seu objetivo.

Sem desânimo: O importante é continuar praticando sempre (divulgação)

Dicas para estudar o idioma de graça
Com a internet e a modernização, aprender japonês e adquirir diversos outros conhecimentos tem se tornado cada vez mais fácil, uma vez que é possível recorrer aos cursos online, vídeos, materiais virtuais e uma infinidade de dicas referente ao passo a passo para a conquista do aprendizado. Mas não se engane acreditando que há fórmulas milagrosas para o conhecimento, pois tudo depende da maneira como cada pessoa aprende, da dedicação e do tempo, então siga com paciência aproveitando cada etapa do processo.
As recomendações essenciais para quem está começando o estudo do nihongo (日本語, língua japonesa) são:

  • Busque por referências: defina os materiais, livros e sites que pretende seguir durante a sua rotina de aprendizado. Nessa fase, procure não alterar com muita frequência o material, pois você pode acabar se perdendo ou atropelando as matérias, portanto tenha paciência e confie no conteúdo escolhido;
  • Tenha constância: estude por muitos ou poucos períodos, todos os dias, o importante é não parar ou desanimar e continuar treinando sempre;
  • Aprenda como um bebê: escute o idioma, assistindo filmes, doramas, animes e ouvindo música; e saiba treinar a fala errando, da mesma forma que uma criança faria, assim você estará colocando em prática o aprendizado e inserindo a língua japonesa ao dia a dia;
  • Divirta-se: conhecer uma nova linguagem, vai além dos livros e do ato de decorar frases, então faça como indicado na dica anterior, assista para treinar a escuta, fale com amigos ou estrangeiros e leia mangás;
  • Teste aplicativos: os populares aplicativos de celular vieram para facilitar, logo aproveite esses recursos, pesquisando por programas de estudo virtuais, bate-papos com nativos, metodologias de memorização (como o Anki) e outros mais voltados ao entretenimento.

A partir de muito esforço e força de vontade, aprender japonês de modo gratuito se tornará uma atividade simples da sua rotina, relacionada ao seu lazer e bem-estar, levando você à fluência sem causar aborrecimentos, cansaços, preguiças ou exaustões.

Sem fórmulas milagrosas. Tudo depende de como cada um aprende (divulgação)

Cursos para aprender japonês
Ao aprender japonês as dificuldades mais encontradas estão ligadas à persistência, disponibilidade de tempo e alteração da mentalidade, essa que deve ser mudada a fim de parar com o hábito de tentar traduzir tudo de outro idioma para o português. Dessa forma, muitas pessoas seguem caminhos que por vezes são capazes de proporcionar uma sensação de obrigatoriedade ou motivação, sendo esses: os cursos.
Dentre esses métodos com auxílio, o estudante ainda pode optar pelo conteúdo pago ou gratuito, dependendo se o indivíduo se considera autodidata ou não.
Para os cursos pagos, você pode optar pelo Kumon, famoso pelo modo individual de estudo, no qual cada aluno segue seu ritmo de aprendizado, não necessitando seguir o nível dos demais; nessa escola é comum a prática com a utilização de áudios, música, leitura e treino de gramática por acompanhamento. Além desse, que tal tentar estudar por meio da Aliança Cultural Brasil-Japão, que oferece a metodologia Marugoto, dividindo seu estudo em duas etapas: a expressão por meio da fala e a compreensão do idioma, pela escrita, oralidade e escuta.
Caso ainda não se sinta pronto para investir no conhecimento, há outras opções como o canal do YouTube 123 Japonês e o curso do NHK World, localizado no site https://www.nhk.or.jp/lesson/portuguese/, nesse link você é capaz de aprender de forma simples o básico da língua japonesa com ilustrações e práticas. Assim, não há como inventar desculpas para não aprender esse idioma que tem conquistado muitos brasileiros e oferece mais oportunidade de crescimento em países exteriores e na vida. Então por que não tentar?
(Mariana Kisaki)

Comentários
Loading...