SÃO PAULO: Com participação de vereadores nikkeis, Prefeitura inaugura Praça Augusta – ‘Prefeito Bruno Covas’

Antonio Goulart, Rodrigo, Eduardo Castro, Aurélio Nomura, Célia Marcondes e Ricardo Trípoli (Aldo Shiguti)

Ao som de “Ave Maria”, com o maestro João Carlos Martins ao piano, o prefeito Ricardo Nunes inaugurou, no último dia 6, o Parque Municipal Augusta “Prefeito Bruno Covas”. Administrado pela Subprefeitura da Sé, o local, que conta com área de 23 mil m², está localizado em um quarteirão entre as ruas Augusta, Consolação, Caio Prado e Marquês de Paranaguá.
A inauguração contou com a presença do vice-governador Rodrigo Garcia – representando o governador João Doria – , de secretários municipais – entre eles, Eduardo Castro, do Verde e do Meio Ambiente – de vereadores – entre os quais Aurélio Nomura e Rodrigo Goulart – e representantes da sociedade civil e do poder público. Estiveram presentes também o filho de Bruno Covas, Tomás, e sua mãe, Karen Ichiba de Oliveira.
“Hoje, com a inauguração do Parque Augusta Prefeito Bruno Covas, a cidade passa a contar com 111 parques. Ele representa um desejo da população. É o terceiro que entregamos e vamos entregar ainda mais quatro, pois no Plano de Metas estão previstos oito parques para São Paulo”, declarou o prefeito.
Para o vice-governador, o novo espaço significa o resultado do esforço da sociedade civil, poderes público e Legislativo, em nome do bem comum. “É fruto de muita luta, democracia, resiliência, perseverança, respeito ao contraditório e, acima de tudo, convicção. Se hoje São Paulo conta com mais esse parque é por conta do trabalho de todos. É um presente para a cidade de São Paulo”, afirmou.

Investimentos – A área conta com caminhos para passeios, bosque, equipamentos de ginástica, arquibancada, sanitários e deck elevado e um cachorródromo. Lá também foi feito o restauro da Casa das Araras e do Portal – que são tombados. Até meados dos anos 1970 o local abrigou um palacete e uma escola.
Para a implantação do parque foram investidos cerca de R$ 11 milhões pelas construtoras Setin e Cyrela. O terreno pertencia à ambas até 2019, que fizeram acordo com a Prefeitura por meio de uma mediação do Ministério Público. Ambas poderão construir empreendimentos na cidade.
O projeto do Parque Municipal Augusta “Prefeito Bruno Covas” foi pensado de acordo com o Plano Diretor, que determina uma Taxa de Permeabilidade mínima de 90%, ou seja, somente 10% da área do parque pode ser impermeabilizada.

Prefeito inaugura praça ao lado de Tomás e Karen Ichiba (Aldo Shiguti)

Diálogo e união – Aurélio Nomura, autor da lei que criou o Parque Augusta – com coautoria de Juscelino Gadelha – e Rodrigo Goulart, autor da lei que homenageou o ex-prefeito Bruno Covas, destacaram que a “força do diálogo” e a união resultaram em uma conquista inédita para a população de São Paulo.
Goulart, que estava acompanhado pelo seu pai, o ex-deputado federal e ex-vereador Antonio Goulart, disse ao Jornal Nippak que o diálogo envolveu “todos os poderes constituídos – Legislativo, Executivo e Judiciário – o Ministério Público e a população”. “Foi a demanda da população, como em tudo que a gente faz, que deu início a essa luta”, explicou Goulart, acrescentando que “tudo foi fruto desse diálogo”. “E o diálogo nada mais é do que fruto da democracia, que é o que tem que prevalecer em uma sociedade moderna”, destacou Goulart, lembrando que pediu para que sua equipe elaborasse o projeto em homenagem ao ex-prefeito no mesmo dia em que o corpo de Bruno Covas era velado, no dia 16 de maio do ano passado. “Não só pela sua importância como prefeito, mas pela luta que ele teve para a criação do parque”, disse, afirmando que “hoje (sábado) quem mais saiu fortalecido foi a democracia”.
Aurélio Nomura, que por anos lutou pela preservação da área, ressaltou a participação de todos os envolvidos, dos vereadores ao promotor Silvio Marques à advogada Célia Marcondes, presidente da Sociedade dos Amigos, Moradores e Empreendedores do Bairro de Cerqueira César (Samorcc).

Sonho – “Todos contribuíram”, frisou o parlamentar, afirmando que “no início parecia um sonho”. “Ninguém acreditava que isso pudesse dar certo. Uma área tão maravilhosa, muito bem localizada e com várias oportunidades imobiliárias… Imagina o quanto não vale esse terreno?”, indagou, lembrando que “já época do ex-prefeito Jânio Quadros existia um acordo entre a Prefeitura e os proprietários de que 30% da área onde está ainda o remanescente da mata atlântica fosse utilizado para ser um parque”.
“E em cima disso eles vieram com essa proposta, sempre mantendo esses 30%. E na última proposta, mesmo depois da aprovação da lei, eles queriam construir seis torres aqui, Então você imagina o poderio econômico e a luta que nós tivemos em relação a essa questão”, explicou Aurélio Nomura, que destacou o “apoio decisivo do Ministério Público, que encampou essa ideia”.
“Em cima disso, a população está recebendo um marco histórico e essa conquista é uma grande referência de luta e de mostra de garra e união”, disse o vereador, acrescentando que, “no frigir dos ovos, houve um acordo entre o poder publico, o Ministério Público e a população, o que é muito raro”.
Para Aurélio Nomura, “são poucos os eventos que tem a participação unindo todas essas partes”. “O diálogo mostra que existe instrumento suficiente, existe uma possibilidade de se conversar com o Executivo, de conversar com o Legislativo, de conversar também com o Poder Judiciário representado pelo Ministério Público”, finalizou Nomura.
Antes da inauguração do Parque Augusta – Prefeito Bruno Covas, Ricardo Nunes entregou uma réplica da placa para Tomás Covas.

Paulistanos aproveitaram o sábado de sol para passear no parque; local conta com área de 23 mil m2 (Aldo Shiguti)
Comentários
Loading...