REIKI: A recuperação da energia espiritual, física e mental por meio das mãos

Técnica japonesa de energizar o organismo ainda gera dúvidas por falta de compreensão (divulgação)

Em busca do equilíbrio do corpo e da mente, muitas pessoas têm recorrido aos métodos terapêuticos realizados em casa ou com profissionais, tais como: ioga, cultivo de plantas, meditação e Reiki — prática que tem se tornado cada vez mais popular desde 2017.
Apesar da fama, a técnica japonesa de energizar o organismo ainda gera dúvidas e desconfiança, uma vez que nem todo mundo compreende a importância e existência dos chakras, conhecidos também por pontos energéticos corporais, que quando desequilibrados podem promover não apenas alteração no humor, mas também problemas que afetam os órgãos e o metabolismo.
Essa questão dos centros de energia do corpo é tão séria que até mesmo a Organização Mundial de Saúde (OMS) reconheceu a eficácia do Reiki e permitiu a prática em unidades públicas de saúde, o considerando, assim, essencial como complemento aos tratamentos psicológicos, fornecendo mais leveza, bem-estar e relaxamento.

O que é Reiki

Técnica pode ser resumida como “energia vital universal” (divulgação)

Traduzido para o português, Reiki significa “energia vital universal”, nome que resume o conceito da técnica relacionada ao equilíbrio do corpo do paciente por meio das energias do ambiente captadas pelas mãos do mestre reikiano.
Sua origem iniciou ainda em 1922, no Japão, com o monge budista Mikao Usui que estudava uma maneira mais saudável e eficaz de harmonizar o chakra sem o desgaste energético do praticante. Isso porque, na época, havia o Jisei Kiko — uma série de exercícios realizada juntamente com o controle da respiração e dos movimentos — que visava o aprimoramento físico, mental e espiritual do ser, causando, porém, cansaço e esgotamento.
Assim, Usui-sensei viajou aos países orientais e ocidentais em busca de mais conhecimento e, em 1914, se isolou na montanha espiritual japonesa, o Monte Kurama, onde jejuou, meditou, cantou e orou, por cerca de 21 dias. Após esse período, houve a revelação mística da técnica recebida por meio de seu chakra coronário, conhecido como sétimo ponto energético e espiritual, localizado no topo da cabeça.
A partir de então surgiu a cura por meio da canalização de energias transmitidas pelas mãos de profissionais, algo que só foi ensinado e disseminado devido à fundação da “Sociedade do Método de Energia Espiritual Terapêutico de Usui” e seus discípulos. Contudo, entre os japoneses, o Reiki é pouco conhecido por causa da proibição de atividades holísticas após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Benefícios ao corpo e à mente

Para a boa prática e funcionamento, é essencial estar relaxada (divulgação)

Ao se submeter ao Reiki, o indivíduo é capaz de sentir os benefícios desde as primeiras sessões, visto que sua aura (energia exterior) passará pelo processo de captação e vibração, de modo a proporcionar o fluxo perfeito das energias e reativação de seus centros de energia corporais. Logo o bem-estar e relaxamento são quase imediatos, seguidos por:

  • Auxílio em tratamentos psicológicos, como: depressão, baixa autoestima, síndrome do pânico e ansiedade, pois alinha os chakras e controla os sintomas físicos e comportamentais das doenças, diminuindo o cansaço extremo, o sentimento de tristeza e a perda de interesse em atividades que davam prazer;
  • Redução das dores crônicas por meio da desaceleração das energias vitais, provocando melhoria nas dores e diminuição do uso de medicamentos;
  • Aprimoramento da qualidade de vida proporcionado pelo relaxamento, limpeza da mente, paz interior, autoconfiança, ânimo e estímulo da produção de hormônios que ajudam também na melhoria do sono.

Com tantos benefícios físicos, mentais e espirituais, há quem pense que não há necessidade de acompanhamento médico. Entretanto, independentemente da quantidade de sessões e de suas vantagens, é importante manter o tratamento com profissionais da saúde, uma vez que o Reiki não possui comprovação científica.

Benefícios podem ser sentidos logo nas primeiras sessões (divulgação)

Como praticar o Reiki
Para uma boa prática e funcionamento do Reiki, o profissional e o paciente devem aplicar cinco regras à rotina e, principalmente, ao momento da terapia:

1. Não se irritar;
2. Não se preocupar;
3. Ser grato;
4. Trabalhar com afinco;
5. Ser amável e gentil.

Com esses fundamentos em mente, a pessoa deve tentar mudar seus comportamentos, pensamentos e procurar entender as causas de seus problemas e como solucioná-los. Atitudes facilmente tomadas durante cada sessão, de olhos fechados, e em serenidade plena, proporcionada pelo silêncio ou pelas músicas relaxantes tocadas em meio à terapia.
A quantidade de encontros pode variar de acordo com o problema de cada indivíduo e durar cerca de 1 hora, período em que o mestre reikiano posicionará as mãos acima de seus sete centros energéticos, canalizando e equilibrando o fluxo de energia vital universal, que muitas vezes se encontra bloqueada, gerando doenças físicas e mentais.
Outro ponto positivo do Reiki é a sua realização à distância ou pelo próprio praticante, dependendo exclusivamente da ligação do paciente com o corpo e a energia transmitida e distribuída do topo da cabeça ao caminho de sua coluna vertebral, bastando sentir e aceitar a vibração entre a aura e os chakras.

Outras formas de energizar o corpo

Outros métodos mais simples também podem gerar benefícios (divulgação)

Embora o Reiki seja uma ótima terapia espiritual, desvinculada de qualquer religião, nem todas as pessoas recorrem a esse meio de tratamento, visto que há outros métodos mais simples que podem ser adicionados à rotina de qualquer indivíduo oferecendo benefícios semelhantes aos adquiridos pelas mãos energizadas, tais como:

  • Meditação: indicada como forma de fortalecer a mente, eliminar os pensamentos negativos, aumentar a autoestima e diminuir o estresse e a ansiedade, podendo ser feita de forma guiada ou autônoma;
  • Banho de ervas: técnica milenar que adiciona ervas naturais ou óleos, à água do banho, transmitindo ao corpo relaxamento, purificação e energias positivas. É sugerida como maneira de autocuidado e complemento à meditação;
  • Aromaterapia: realizada com o uso de óleos essenciais, essências ou incensos. Para sua boa aplicação, entenda a sua necessidade e escolha o aroma correto, pois cada odor é capaz de melhorar uma questão do corpo ou do ambiente;
  • Cromoterapia: é a terapia presente em todos os lugares, seja nas roupas, nas luzes ou nas paredes, simplificando a importância das cores no mundo.

Na realidade, o essencial para a execução dessas práticas é entender que não substituem qualquer acompanhamento médico ou necessidade de tratamento com medicamentos, pois, infelizmente, nem tudo no corpo humano pode ser solucionado por meio de métodos naturais. Então, realize o Reiki e demais terapias holísticas com consciência e moderação.
(Mariana Kisaki)

Comentários
Loading...