Recorde de participantes no Torneio da Hebraica

Na década de 70, clubes como Palmeiras, Corinthians, Hebraica, Paratodos, Piratininga, Clube da Turma, Ética, Arelux, “kaikans” de São Paulo e as equipes das cidades do Interior e Grande São Paulo é que movimentavam o tênis de mesa do estado.
Os atletas sempre foram formados nos clubes, muito diferente do Japão, onde nas escolas que são desenvolvidos os treinamentos de alto nível, objetivando os campeonatos escolares.
Aqui no Brasil, não temos uma politica esportiva, para incentivar as escolas a oferecerem bolsas de estudo aos alunos/atletas, e tampouco montarem uma estrutura escolar em paralelo, para a pratica do esporte de alto rendimento.
Campeonatos estudantis não são valorizados no Brasil, por isso os atletas treinam forte até o término do ensino médio, depois vão estudar e param de jogar, já que nas universidades ocorre o mesmo, não existe apoio como nos países desenvolvidos no esporte.
Corinthians já desativou o Departamento de Tênis de Mesa, há anos, o Palmeiras retorna agora a todo vapor, idem com a Hebraica que já teve ídolos do mesa-tenismo nacional, como Claudio Kano, Emiko Takatatsu, Biriba, Medina, Betinho e muitos outros.
Realizado com sucesso na Hebraica o retorno dos eventos estilo Fedeesp, aquele que não precisa ficar o dia inteiro no Ginasio, esperando seus jogos serem chamados.
Muito obrigado ao Roberto Weiser (diretor de TM do clube), Carlos Makiuchi (Organização) e ao clube que, além de ceder o ginásio principal para o evento, criou um novo salão dedicado para o tênis de mesa.
Mais de 200 atletas participaram do Torneio da Amizade da Hebraica, que juntamente com vários torneios em São Paulo, tem agitado a modalidade no estado, os chamados Rachões, Fairplay Sorocaba, Ping Panda, Topspin ABC, MasterPong, Kenzen, FairPlay Campinas, Uceg, Acrepa, Santo André, Mauá, Marilia, TTV Kochi, Piratininga, Matchpoint, PowerPong, Digital TT, Issonura Team, Gavião Real, etc.
Por isso o tênis de mesa de São Paulo é o maior e melhor do pais.
Confira os resultados da Hebraica:
Classe A – 1) Leonardo Arata (Digital Table Tennis), 2) Lucas Sociale (Itaim Keiko JJ Yamada), 3) Israel Stroh (Hebraica), 3) Kayke Valois (Itaim Keiko JJ Yamada). Melhor saque: Fabio Mizutani
Classe B – 1) George Omena Lima (Santa Maria), 2) Julia Yetika (São Caetano), 3) Fernando Moracci (AJAB), 3) Carlos Eduardo (Clube Ipê). Melhor backhand: Nicolas Romano
Classe C – 1) Rodrigo Pereira Gayotto (TTV Panga Kai), 2) Emerson Pinho (TTV Panga Kai), 3) Rodrigo Neves (Itaim Keiko JJ Yamada). Melhor drive: Lucas Tajara
Classe D – 1) Vitor Rodrigues (Mauá), 2) Jonathan Kenji Kodama (TTV Taboão), 3) Sergio Eufrasio da Rocha (Gavião Real), 3) Luis Claudio Moreira Junior (TM Santo André). Melhor forehand: Carla Juren

Comentários
Loading...