ONIGIRI: Fatos além do conhecimento sobre o típico bolinho de arroz milenar

O onigiri é conhecido principalmente pelo seu formato triangular e tem se tornado lanche no Ocidente (divulgação)

Popular entre os amantes da cultura japonesa, o onigiri é conhecido principalmente pelo seu formato triangular, e tem se tornado o lanche dos ocidentais em meio aos ambientes orientais. Já que sua forma e embalagem facilitam a refeição, mantendo a higiene, além do seu sabor simples e incomparável que proporciona uma experiência única.
Apesar disso, esse aperitivo tem um papel muito mais importante no Japão que o tem como alimento base em muitas situações, de modo a ser consumido sozinho, apenas com o acompanhamento de um nori (alga marinha) e, por vezes, algum recheio.
O onigiri é, então, mais do que muitos aprenderam a partir de um anime, mangá ou dorama, se trata de um alimento tradicional do Japão que passou por diversas variações em sua forma, cor e recheio, mostrando assim sua importância e riqueza histórica.

Onigiri passou por diversas variações em sua forma, cor e recheio (divulgação)

Origem do onigiri
A história do onigiri tem seu início datado há 2000 anos, ainda na Era Yayoi (300 a.C — 300 d.C), período em que os japoneses consumiam o arroz grelhado enrolado em folhas de bambu, porém foi apenas a partir do Período Heian (794 — 1185) que seu formato passou a ser semelhante ao encontrado atualmente.
A princípio, era conhecido por tonjiki, um alimento à base de arroz glutinoso de mochi, servido somente aos empregados da corte imperial. Na época, possuía forma arredondada e era cozido à vapor.
Sua evolução foi gradativa, de modo que chegou a ser feito com arroz uruchimai — o comum consumido nos dias atuais — durante os tempos de guerra interna, suprindo diversas tropas e trabalhadores rurais que dependiam de uma refeição rápida, prática e compacta. Além disso, para conservar por mais tempo, o arroz era misturado a outros ingredientes e embrulhado em panos, garantindo a higiene e facilidade no transporte e consumo.
O onigiri com nori surgiu apenas na Era Edo (1603 — 1868), momento em que as algas deixaram de ser ingeridas em forma de pasta e passaram a ser produzidas secas. Sua utilização proporcionou uma nova maneira de evitar que o arroz grudasse nos dedos durante as refeições, tornando ainda mais prático e viável o alimento como prato principal em diversas circunstâncias.
A partir de sua história e modos de produção, sua denominação popular “onigiri” foi baseada na palavra “nigiri”, traduzido por apertar ou segurar firme). Além disso, em algumas regiões os termos mais conhecidos são omusubi ou musubi, já que significam “unir”, definindo exatamente o que é aplicado na sua elaboração.

Alimento apresenta uma grande variedade, tanto dentro como fora (divulgação)

Tipos de bolinho de arroz
Ao falar em onigiri é comum pensar no típico bolinho de arroz com formato triangular, envolto por nori, apesar disso, esse alimento apresenta uma grande variedade que vai desde o seu interior ao seu exterior, possuindo formas e recheios diferenciados de acordo com a região e o desejado pelo consumidor.
Dentre os recheios mais comuns, são encontrados: ameixas em conserva, salmão grelhado, atum com maionese, ovas de peixe e flocos secos de shoyu. Durante sua produção, um punhado de arroz japonês deve ser aberto na mão, para então inserir o ingrediente escolhido, em seguida, o arroz é fechado, cobrindo o recheio completamente.
Para finalizar o bolinho de arroz, é importante definir a sua forma, que muitas vezes é definida apenas como redonda, triangular ou quadrada, contudo, para as crianças do Japão, há quem opte por tentar formatos mais atrativos e divertidos, como ursos, coração, flores e personagens, que facilmente incentivam a alimentação saudável dos pequenos.
Não bastando, o onigiri ainda pode ser diferenciado por suas outras maneiras de preparo, havendo:

  • Yaki: bolinho de arroz coberto por shoyu, grelhado na panela ou na churrasqueira;
  • Osekihan: feito com arroz glutinoso de mochi é conhecido por sua coloração peculiar, proporcionada pela mistura de feijão azuki e gergelim. É encontrado principalmente em eventos de celebração e datas específicas;
  • Gomoku: não tão comum, é o onigiri que possui o arroz misturado com frango e legumes.

Logo o tão famoso onigiri é nada mais e nada menos que uma base simples da diversidade que esse bolinho pode se tornar, e é essa variedade que explica o motivo de ser tão consumido entre os japoneses até mesmo como a refeição principal no dia a dia.

Curiosidades sobre o onigiri
Com tantas mudanças adaptáveis a todos os paladares, não é de se estranhar o aumento da procura pelos onigiris em bairros e eventos orientais, esses que simplesmente são fáceis de encontrar em mercearias japonesas e até mesmo restaurantes. Da mesma forma, no Japão, há uma grande variedade vista nos konbinis (lojas de conveniência) e em estabelecimentos especializados, acudindo aos diversos moradores e trabalhadores que necessitam de uma refeição rápida ou apenas desejam matar a vontade desses bolinhos de arroz.

Seu sabor é simples e incomparável (divulgação)

O jeito certo de comer
Tanto em konbinis quanto em mercearias orientais, os onigiris são vendidos em formato triangular, envoltos por uma embalagem que separa seu arroz do nori, de modo a manter a alga crocante e fresca por mais tempo. Assim, é importante conhecer a maneira certa de abrir, evitando que o bolinho se desmanche e garantindo o contato correto entre os ingredientes.
Ao adquirir um desses bolinhos, o primeiro passo é procurar pelas instruções na embalagem, para então puxar os pontos demonstrados na ordem apropriada.
Segurar a parte vermelha do plástico, encontrada em um dos pontos do triângulo;
Puxar para baixo, girando o onigiri, até remover completamente;
Retirar a embalagem restante, puxando para o lado.

Onigiris peculiares
Se já foi estranho saber que o onigiri é mais que apenas nori e arroz, então o onigirazu e alguns musubis irão te assustar. Isso porque tanto um quanto o outro são similares aos lanches ocidentais, não sendo moldados completamente e possuindo diversos outros ingredientes, como: omelete, legumes, frango, presunto, entre outros.
O onigirazu, por exemplo, tem se tornado febre no Japão, já que se trata de um alimento rápido e simples de fazer, bastando:

  1. Espalhar uma camada de arroz no meio do nori, formando um losango;
  2. Adicionar os ingredientes desejados;
  3. Acrescentar mais uma camada de arroz;
  4. Fechar o nori, formando um pacotinho, de modo a não grudar arroz nos dedos.

Embora esse tipo ainda seja difícil de encontrar em países ocidentais, é uma ótima experiência para se tentar em casa, provar mais uma das ideias gastronômicas do Japão e, quem sabe, servir para as próximas visitas o tão famoso onigiri que tem conquistado o coração de turistas e alimentado a rotina dos trabalhadores japoneses.
(Mariana Kisaki)

Comentários
Loading...