Kibô-No-Iê recebe R$ 2,52 milhões de investimentos da Jica

Localizada em Itaquaquecetuba, entidade atende e capacita atualmente 65 residentes para a sociedade (divulgação)

A Sociedade Beneficente Casa da Esperança – Kibô-no-iê – entidade assistencial que atende deficientes intelectuais em Itaquaquecetuba (zona Leste de São Paulo), recebeu da Japan International Cooperation Agency (Jica) – o valor de R$ 2.520.000 para modernização das instalações da entidade.
As reformas fazem parte de um projeto para adaptar as instalações atuais aos novos padrões sanitários para diminuir o risco de infecção pela Covid-19 e promover a saúde, autonomia e segurança dos residentes e estrutura adequada para assistência dos colaboradores e visita de familiares.
O plano de ajuda emergencial do governo japonês destinado às entidades assistenciais, médicas, educacionais, culturais e esportivas da comunidade nipo-brasileira visando superar a crise financeira gerada pela pandemia do covid-19 foi anunciado em março deste ano em reunião virtual realizada pelo Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – a pedido da Embaixada do Japão e da Jica. Além da Jica, também o Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão disponibilizou um pacote de auxílio emergencial.
Os recursos da Jica serão utilizados para adequar várias estruturas da sede da Kibô-no-iê: os quartos dos residentes; a cozinha industrial e dois quiosques para o descanso e lazer, uma em cada ala.
Serão reformados dezesseis quartos dos residentes (8 da ala feminina e 8 da ala masculina) que serão transformados em stúdios, com quarto, banheiro privativo, copa e sala de estar, todos mobiliados. Assim, os residentes terão estrutura adequada para exercerem a autonomia, terem um ambiente com mais conforto e privacidade e sobretudo, deixarão de utilizar os banheiros coletivos, possibilitando maior distanciamento dos residentes, prevenindo a contaminação por Covid -19 e outras infecções.
A cozinha será reformada para atender as necessidades atuais e além de possibilitar a organização dos espaços possibilitará a unificação dos refeitórios com consequente distanciamento dos usuários do espaço, que também é previsto nos protocolos de prevenção da Covid-19. Além disso, terá novos equipamentos, promovendo a atualização tecnológica do setor com consequente melhoria na qualidade das refeições e também, do ambiente de trabalho para os colaboradores do setor.

Suma importância – A última parte do projeto será a revitalização da área externa das duas alas dos novos stúdios. A reforma busca promover a saúde e bem estar dos residentes oferecendo um espaço para integração, lazer, relaxamento, banhos matinais de sol, além de ampliação de espaços, possibilitando maior distanciamento dos residentes com seus familiares e visitantes, o que também é preconizado nos protocolos de prevenção da Covid-19.
“O subsídio aprovado de R$ 2.520.000 é de suma importância para o trabalho assistencial da Kibô-no-iê visto que devido ao alto custo para manutenção dos trabalhos, não dispomos de recurso para investimento e portanto, a estrutura existente encontra-se obsoleta. As reformas, certamente promoverão um salto na qualidade da assistência e sobretudo, segurança para residentes, colaboradores e visitantes. Estamos muito gratos à Jica e ao governo Japonês pelo reconhecimento do importante legado deixado pela fundadora japonesa, Koko Ichikawa, ao aprovar nosso projeto”, disse a presidente da Kibô, Dirce Akemi Shimomoto, lembrando que a ultima grande reforma na entidade foi em 2014, “quando adequamos a nossa estrutura às normas da vigilância”. “Mas não foi uma grande obra e sim várias adequações”, frisou.

Sobre a Kibô-no-Iê – A Sociedade Beneficente Casa da Esperança – Kibô-no-Iê é uma entidade sem fins lucrativos de assistência e desenvolvimento da pessoa com deficiência intelectual. Fundada por Koko Ichikawa em 1970, tem por objetivo garantir os direitos dos atendidos, promovendo sua autonomia, vínculo familiar, inclusão social, melhorando sua qualidade de vida e acesso à cultura, esporte, educação e lazer. A manutenção da entidade é feita por um conselho de 34 integrantes voluntários e uma equipe com dezenas de profissionais, que trabalham para atender e capacitar para vida em sociedade 65 residentes e duas pessoas no Centro de Convivência, atendidos na sede da Kibô, em Itaquaquecetuba.
A deficiência se caracteriza por um funcionamento intelectual inferior à média, associado às limitações de habilidades, como a comunicação, autocuidado e adaptação social. Assim, as pessoas em situação de deficiência intelectual podem encontrar dificuldades no aprendizado, compreensão e resolução de problemas. Quem tem a deficiência deve contar com o acompanhamento de diversos profissionais que estimulem suas potencialidades, buscando a autonomia, convívio em comunidade e inclusão social. E é dessa forma que a Kibô trabalha!
A rotina da sede, além dos tradicionais atendimentos clínicos, como consultas médicas e odontológicas, é composta por diversas atividades e oficinas que trabalham o desenvolvimento emocional, social e físico de cada um dos atendidos, contribuindo com os processos de construção, coordenação motora, aprendizado, independência, convívio familiar e inclusão social.
Para manter toda a estrutura e funcionamento, a entidade tem uma elevadíssima despesa. A Kibô-no-iê acumula despesas mensais superiores a R$ 400 mil, totalizando R$ 4,7 milhões no ano de 2020. Além da contribuição de pessoas físicas e jurídicas, os eventos beneficentes constituem parte importante da captação de recursos da Kibô-no-Iê, sendo a Festa do Verde o maior e mais importante deles.

Comentários
Loading...