Histórias que devem ser preservadas

Qual foi a importância da colônia japonesa nesta modalidade ?
Será que podemos fazer comparações com o desenvolvimento do Beisebol, Judô, Sumo, Kendo, Caratê, gatebol etc.?
Gostaria um dia, de conhecer a história da influência Nikkei, nestes esportes.
Temos que valorizar o passado e, portanto, não podemos deixar de citar o Sr Haruo Mitida (in Memorian), que nos deixou em 1997. Ele foi um visionário apaixonado pelo tênis de mesa em sua divulgação.
Natural de Hiroshima, sua função era nobre e respeitada, já que trabalhava na CIA Melhoramentos de Hotéis (Poços de Caldas e Itanhaém). E por isso visitou muitos agricultores no eixo São Paulo / Paraná, oferecendo um pouco de lazer aos mesmos.
Eles não sabiam o que eram férias, trabalhavam “Full Time”, na lavoura e esqueciam de proporcionar a família, momentos que marcariam suas vidas, pois poucos viajavam, conheciam praias e o luxo dos hotéis.
Nessa visita oficial, ele carregava suas raquetes, bolas e redes, para ensinar e mostrar nas mesas das cozinhas e nos “kaikans”, o que era o famoso pingue-pongue, divertido e prazeroso, que podia reunir a família, praticado por todas as faixas etárias, não precisavam de muito espaço e por não ter choques, evitavam os traumas dos impactos, porque no dia seguinte precisavam trabalhar.
Em 1951, ele idealizou o que se tornaria a maior competição e a mais antiga do pais, num curto espaço de apenas três dias. O Campeonato Brasileiro Intercolonial de tênis de mesa, que já se encontra em sua 71ª edição e que provavelmente será realizada na cidade de Marilia em 2021.
Este também e um dos motivos da empunhadura (modo de segurar a raquete) “Pen Holder” caneteira, ser predominante na época contra a grande maioria da Europa, o “Shake Hand” clássico.
Depois de fundarem a Federação Internacional em 1926, apenas em 1952 a equipe japonesa participou pela primeira vez num Campeonato Mundial, segurando a raquete de uma forma nunca vista pelos europeus. Apenas o Japão, Coreias, Chinas e Brasil seguravam desta maneira, o que causava um espanto para os demais países.
Nossos grandes ídolos brasileiros eram caneteiros, Biriba, Betinho, Kano e Hoyama, por influência do Sr Haruo Mitida e sua peregrinação no Brasil.
Atualmente 99,5% dos atletas num Campeonato Mundial, usam a empunhadura clássica, devido a alta velocidade da bola em seus retornos. No passado as bolas vinham lentas, por isso com uma boa movimentação podia-se vencer suas partidas.
E você, quando segura uma raquete e da forma caneteira ou clássica? Os tempos mudaram…

Comentários
Loading...