HAICAI BRASILEIRO: Frescor outonal – Cabaça – Pamonha

Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô (1644-1694). O haicai caracteriza-se por descrever, de forma breve e objetiva, aspectos da natureza (inclusive a humana) ligados à passagem das estações. Hoje, no mundo inteiro, pessoas de todas as idades e formações escrevem haicais em suas línguas, atestando a universalidade dessa forma de expressão.
Envie seus haicais (no máximo três de cada tema sugerido) digitados ou em letra legível, com nome (mesmo quando preferir o uso de pseudônimo), endereço e RG.
Cada pessoa pode participar com apenas uma identidade.
A seleção dos trabalhos é feita pelos haicaístas Edson Kenji Iura Francisco Handa.
Envie suas cartas para:
Haicai Brasileiro
A/C Jornal Nippak
Rua da Glória, 332
CEP 01510-000 São Paulo – SP
E-mail: jornaldonikkey@yahoo.com.br
Cc. ashiguti@uol.com.br


TEMAS DE MAIO
Frescor outonal – Cabaça – Pamonha

Cheiro de pamonha
se espalha pela pracinha –
Fila dobra a esquina.
Benedita Azevedo
Magé, RJ

logo de manhã
ponho fogo sob o tacho
tempo de pamonha
Carlos Viegas
Brasília, DF

Enorme cabaça
pendurada na cintura:
lá vai Severino
Cyro Mascarenhas
Brasília, DF

Família reunida
no manuseio das espigas,
pamonha no lanche!
Didi Tristão
São Paulo, SP

Queimo a boca –
A pamonha, de quente,
faz-me saltitar.
Fernando A. A. Brito
Vitória da Conquista, BA

Crescem as cabaças!
vergam-se verdes, pesadas –
encostam na terra.
Irene Fuke
São Paulo, SP

enfim, as primeiras!
a travessa de pamonhas
chega sobre a mesa
José Marins
Curitiba, PR

na folha do milho
embrulhada pra presente
pamonha quentinha
Madô Martins
Santos, SP

Cuia de arroz.
Meia banda de cabaça
sem suas sementes
Marina Rehfeld
Belo Horizonte, MG

A cabaça seca
sobre a mesa do artesão.
A tupia canta.
Mário A. J. Zamataro
Curitiba, PR

Frescor outonal –
É bem-vindo para dormir
com leve coberta.
Mario Isao Otsuka
São Paulo, SP

Hora do café –
A fumegar sobre a mesa,
prato de pamonhas.
Matusalém Dias de Moura
Iúna, ES

As crianças cobram
a paradinha na estrada
Rancho da Pamonha
Mônica Monnerat
Santos, SP

O gato insiste
ficar com a janela aberta.
Frescor outonal.
Pichorim Matsuki
José dos Pinhais, PR

Lembrança da avó –
Na travessa as pamonhas
com sabor de outrora
Regina Alonso
Santos, SP

frescor outonal –
afasta-me da praia
o vento do mar
Rose Mendes
Ilhabela, SP

Espalha-se no ar
o cheirinho da pamonha –
Crianças ansiosas
Taís Curi
Santos, SP

Kombi enferrujada –
O desempregado vende
pamonha fresquinha.
Zekan Fernandes
São Paulo, SP

Temas de julho (postar até 10 de junho)
Camélia – Rio seco – Tanabata

Temas de agosto (postar até 10 de julho)
Bolo de fubá – Esperando a primavera – Rosa de inverno

Comentários
Loading...