HAICAI BRASILEIRO: Camélia – Rio seco – Tanabata

Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô (1644-1694). O haicai caracteriza-se por descrever, de forma breve e objetiva, aspectos da natureza (inclusive a humana) ligados à passagem das estações. Hoje, no mundo inteiro, pessoas de todas as idades e formações escrevem haicais em suas línguas, atestando a universalidade dessa forma de expressão.
Envie seus haicais (no máximo três de cada tema sugerido) digitados ou em letra legível, com nome (mesmo quando preferir o uso de pseudônimo), endereço e RG.
Cada pessoa pode participar com apenas uma identidade.
A seleção dos trabalhos é feita pelos haicaístas Edson Kenji Iura Francisco Handa.
Envie suas cartas para:
Haicai Brasileiro
A/C Jornal Nippak
Rua da Glória, 332
CEP 01510-000 São Paulo – SP
E-mail: ashiguti@uol.com.br


TEMAS DE JULHO
Camélia – Rio seco – Tanabata

As marcas das patas
no fundo do rio seco:
Rebanho no pasto.
Benedita Azevedo
Magé, RJ

ah! o Tanabata
existe um mar de estrelas
a nos separar
Carlos Viegas
Brasília, DF

Defronte à igreja
jardim em forma de cruz –
Camélias em flor.
Cristiane Cardoso
São Paulo, SP

passeio no jardim –
a camélia branca
entre as outras plantas
Daniel Morine
Santos, SP

encontro no céu
Tanabata Matsuri
bodas de estrelas
Débora Novaes de Castro
São Paulo, SP

festa de Tanabata –
entre tantos pedidos
meu tanzaku azul
Elisa Campos
São Paulo, SP

Beleza em flor –
Toda cor das camélias
no entardecer.
Fernando A. A. Brito
Vitória da Conquista, BA

Lembrança da mãe
última flor plantada
Camélia branca
Jô Marcondes
Irati, PR

Bater de cascos –
A boiada nas pedras
Do rio seco
José Lira
Recife, PE

ah, camélia branca!
quantos virão contemplá-la
nesta rua sem nome?
José Marins
Curitiba, PR

Ah, pandemia
Nos bambus da tanabata
só peço saúde
Marina Rehfeld
Belo Horizonte, MG

Os pedidos feitos
nos ramos de bambu –
Tanabata enfim…
Marli Tristão
São Paulo, SP

Ermos da fazenda…
Novamente o rio seco
é estrada dos bois.
Matusalém Dias de Moura
Iúna, ES

Na vara de bambu,
o desejo inconfessável
Dia de Tanabata
Mônica Monnerat
Santos, SP

Grade do portão –
Ao pedido da vizinha
estendo a camélia
Regina Alonso
Santos, SP

tanabata em casa:
nos bambus do quintal
pedidos de saúde
Rose Mendes
Ilhabela, SP

Chega o Tanabata –
O bambu quase arqueado
com tantos pedidos
Taís Curi
Santos, SP

A casa vazia –
Vêm das flores de camélia
lembranças da avó.
Zekan Fernandes
São Paulo, SP

Temas de agosto (postar até 10 de julho)
Bolo de fubá – Esperando a primavera – Rosa de inverno

Temas de setembro (postar até 10 de agosto)
Primavera (estação) – Cavala (peixe) – Glicínia

Comentários
Loading...