FESTIVAL DAS CEREJEIRAS BUNKYOS: Cônsul Ryosuke Kuwana fica ‘impressionado’ com o Kokushikan e ‘exalta força dos jovens’

Cônsul geral do Japão em SP Ryosuke Kuwana e o presidente do Bunkyo plantam muda de cerejeira (Aldo Shiguti)

No último dia 4, o casal de médicos Aloisio e Lilian Nakashima – ele oftalmologista, de 40 anos, ela anestesista, de 42 anos – aproveitaram o domingo de sol e levaram os filhos, Rodrigo, de 9 anos, e Murilo, de 7, para juntos conhecerem, pela primeira vez, o Centro Esportivo Kokushikan Daigaku, em São Roque. Afinal, era uma ocasião especial. Com o 24º Festival das Cerejeiras Bunkyos – Hanami Drive Thru, que teve início no dia 2 e prossegue até este domingo (11), o Kokushikan reabriu seus portões para o público depois de ficar 2020 inteiro sem receber nenhum evento presencial.
E, ao que parece, o passeio valeu a pena. “Ficamos encantados com o tamanho do espaço”, disse Aloísio, acrescentando que a visita também tinha explicações culturais. Ele elogiou a iniciativa, que considerou “incrível”, de abrir o Kokushikan mesmo durante a pandemia. “Os organizadores foram muito felizes e criativos ao realizarem este evento, que está acontecendo de forma muito organizada e segura. A gente percebe que eles estão controlando muito bem o acesso das pessoas”, disse o médico, afirmando que pretende retornar no próximo ano, quando, espera-se, que a pandemia esteja sob controle.
E foi justamente para proporcionar aos visitantes a oportunidade de participar de uma experiência presencial, mas seguindo todas as orientações sanitárias que os organizadores optaram pelo formato híbrido, com a possibilidade dos ocupantes dos veículos fazerem duas paradas durante o percurso, com duração média de 1h30, para apreciarem toda a beleza da floradas dos cerca de 400 pés de cerejeiras que existem, no local – a maioria da variedade Okinawa (com fores mais escuras).
Assim como Aloisio, o cônsul geral do Japão em São Paulo, Ryosuke Kuwana, também conheceu o local pela primeira vez. E como o médico, também ficou impressionado com o tamanho e a beleza do local. “Realmente é um tesouro da comunidade nipo-brasileira”, afirmou o cônsul ao Jornal Nippak.

Cerimônia – Segundo ele, o hanami é um dos costumes japoneses que hoje estão difundidos em várias partes do mundo. “Fico muito feliz e honrado que os nikkeis daqui têm mantido esse costume entre os brasileiros”, disse Kuwana, que parabenizou o Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – pelo esforço em manter e preservar o local.
E o cônsul, que prestigiou uma pequena cerimônia de abertura realizada no Pavilhão Kazuo Harasawa, se mostrou muito bem informado. “Fiquei sabendo que o Festival das Cerejeiras que é realizado aqui costuma receber cerca de 30 mil pessoas e este ano, por causa da pandemia, está acontecendo na forma drive-thru. Fico muito agradecido pelo empenho de todos que não mediram esforços para que este esvento fosse realizado, mesmo nas atuais circunstâncias”, comentou Ryosuke Kuwana ao Nippak.

Estímulo – Segundo ele, mais encorajador ainda é saber que os jovens estão participando ativamente da organização do evento. “Falaram que eles dormiram aqui para poderem preparar o local. Fico impressionado com a força e o dinamismo deles”, afirmou o cônsul, que espera ansioso a segunda dose da vacina contra a Covid-19 – ele tomou a primeira dose há cerca de três semanas.
Antes de deixar o Kokushikan, o cônsul percorreu o trajeto de carro e, ao lado do presidente do Bunkyo, Renato Ishikawa, plantou uma muda de cerejeira próximo ao ginásio. De lá, se despediu com esperança de voltar em 2022, quando pretende participar do evento com a presença de todos.
Renato Ishikawa agradeceu o Consulado Geral do Japão, “na pessoa do cônsul Ryosuke Kuwana, “que tem prestigiado não só o Bunkyo mas a comunidade nipo-brasileira de uma forma geral”. “É um grande estimulo para nós continuarmos realizando atividades como essas para manter viva a chama da nossa cultura japonesa”, disse.

Jovens – O presidente do Bunkyo também estendeu seus agradecimentos a patrocinadores e apoiadores, como a Jica – Japan International Cooperation Agency – que, assim como o Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão, disponibilizou a concessão de subsídios às entidades assistenciais, educacionais, culturais e esportivas da comunidade nipo-brasileira visando superar a crise financeira gerada pela pandemia do covid-19. “E o Bunkyo também está sendo beneficiado neste sentido. Por isso temos que continuar não só a manter esta chama acesa como também propagá-la para toda a sociedade brasileira”, disse Ishikawa, que também destacou o empenho dos jovens na realização do Hanami.

Protagonismo – Na minha gestão tenho estimulado muito o protagonismo dos jovens e eles têm respondido de forma maravilhosa, Estou muito feliz com essa ajuda que temos tido. No caso do Hanami não está sendo diferente. A Comissão de Jovens, liderada pelo Rafael Pettersen, está fazendo um trabalho fantástico. Eles planejaram tudo minuciosamente. Claro que estamos sempre juntos pois é importante que eles saibam que estamos na retaguarda, caso seja necessário”, explicou o presidente, revelando uma certa tristeza por não poder concluir as obras do Pavilhão Kazuo Harasawa ainda em sua gestão.
“Mas espero concluir a parte debaixo, que incluiu os banheiros masculino e feminino, e a cozinha”, revelou ele, que também reafirma sua esperança que em 2022 a pandemia esteja sob controle “para que possamos realizar este evento de forma presencial”. “Um lugar tão espaçoso e grande como este precisa de vida”, afirmou.

Festa da Primavera – Para o presidente da Comissão Organizadora, Celso Mizumoto, “a sugestão dos jovens foi muito boa e o público está percebendo que é interessante estar fazendo esta apreciação da cerejeira”. “Valeu a decisão e a firmeza da Comissão de Jovens, que bateu o pé para que o evento fosse realizado”, elogiou Mizumoto, que também agradeceu os voluntários e a presença do cônsul.
Segundo ele, a adesão foi maior do que o esperado. “Nesta sexta, por exemplo, feriado prolongado para alguns, recebemos um número de reservas muito grande”, disse Mizumoto, explicando que a florada da cerejeira hoje é apreciada não só pela comunidade japonesa mas por todos os brasileiros.

Obentô Hanami – “Mas para quem não puder vir, no dia 25 de julho a Comissão de Jovens programou o Obentô Hanami Especial – Delivery & Takeout + Live, com fotos tiradas no Kokushikan. Assim as pessoas vão poder acompanhar tudo que aconteceu aqui enquanto almoçam”, diz Celso Mizumto, antecipando que em setembro estará recebendo a a primeira edição da Festa da Primavera.
A ideia é mostrar que o Kokushikan não tem apenas cerejeiras. “O local também conta com três lagos, nascentes naturais e mata virgem, além de trilhas que os jovens estão querendo reativar. Então, como podemos ver estamos com vários projetos em andamento para o Kokushikan”, conta Mizumoto, acrescentando ainda que “o presidente também está com expectativa de criar aqui um ambiente propício para a terceira idade, que deve incluir a construção de habitações”.

Retribuição – Para Celso Mizumoto, o Kokushikan é um grande espaço para o futuro da comunidade nipo-brasileira e por isso deve ser olhado com carinho. “E é isso que o Bunkyo, como representante da comunidade nipo-brasileira, deve seguir e perseguir. E o Dr. Renato tem feito um excelente trabalho neste sentido. Trata-se de uma reponsabilidade da comunidade nipo-brasileira retribuir a acolhida que recebemos do povo brasileiro e o Dr. Renato está abrindo esse espaço para que nós dirigentes possamos proporcionar isso para o Brasil através do Bunkyo”., destacou.

Ikebana – Este ano, além da florada das cerejeiras, os visitantes também podem apreciar um taisaku (arranjo floral de grande dimensão) combinando uma estrutura de bambu com flores de cerejeiras. Batizada de “Reflexos”, a “ikebana gigante” tem cerca de 30 metros de comprimento e foram usados cerca de 200 bambus. Sua montagem envolveu cerca de 25 pessoas, entre professores de ikebana e seus familiares.
Rafael Pettersen, presidente do Seinen Bunkyo e um dos coordenadores do evento, explica que a procura superou as expectativas da Comissão. “Estávamos esperando cerca de 50 veículos durante a semana e 100 no final de semana diluídos em 13 períodos diferentes de agendamento, mas felizmente superamos esses números, chegando ao limite de 20 veículos por período nos principais horários no feriado prolongado”, conta Rafael, acrescentando que, para este último final de semana (10 e 11), ainda há vagas. “Porém, os principais horários já estão esgotados”, destaca.

Mais informações:
https://www.facebook.com/festivaldascerejeiras
matsuri@bunkyo.org.br

Comentários
Loading...