ERIKA TAMURA: Vacinação no Brasil e no Japão

Atualmente estou no Brasil, e como a vinda para o país foi de forma repentina, não consegui tomar a segunda dose da vacina no Japão, somente a primeira.
Decidi escrever sobre esse assunto porque gostaria de fazer um comparativo real do andamento da vacinação nos dois países. E isso posso falar com propriedade, visto que a minha primeira dose foi no Japão e a segunda, no Brasil.
Diante de vários aspectos, entendo que o fator de comparação não seja uma forma justa, mas tenho que ressaltar o que o Brasil tem de bom e faz com excelência.
A vacinação no Japão começou de forma lenta e digamos que “atrasada” em comparação com o Brasil. Sem contar que não há uma adesão populacional na vacinação, por parte dos japoneses.
No Japão, recebi um cupom da prefeitura com a data e um número de telefone para o agendamento da vacina, no dia especificado, liga-se para o número e é feito o agendamento.
No meu caso, no dia que fui tomar a vacina no Japão, em uma clínica da cidade onde eu moro, o atendimento foi péssimo e demorado. Mas enfim, consegui tomar a primeira dose no Japão. (Meus amigos do Brasil já tinham tomado a segunda dose).
Viajei às pressas ao Brasil, ainda bem que lembrei de levar toda a papelada da vacinação, e me informei que eu poderia ser imunizada no Brasil com a segunda dose da vacina Pfizer, sem maiores problemas.
No Japão, o intervalo da primeira dose para a segunda dose da vacina Pfizer é de 3 semanas, e munida de toda a documentação fui para o shopping de Araçatuba no intuito de ser vacinada. Chegando lá, fui informada que, no Brasil o intervalo de uma dose para outra da Pfizer é de 3 meses. Tudo bem, entendi perfeitamente a situação, afinal, de estou no Brasil vou seguir as regras do Brasil, sem problema nenhum.
Lembrando que, o governo de São Paulo adiantou a data da vacinação, diminuindo para 2 meses o intervalo. Retornei ao shopping e fui vacinada, sem problema nenhum.
É isso que quero ressaltar, fui tão bem atendida pela equipe de vacinação do shopping de Araçatuba, que até fiz questão de parabenizar à todos pelo excelente trabalho.
Desde o primeiro momento que cheguei lá, para obtenção de informações, sobre procedimentos de como devo fazer, visto que moro no Japão, fui muito bem acolhida por todos. Logo fui informada que, precisaria preencher a minha ficha, um procedimento necessário, mas para que eu ficasse despreocupada pois iria ter acesso a vacina sim! E assim foi feito, tudo muito rápido e sem burocracia.
Por isso eu digo para que os brasileiros jamais reclamem do sistema médico e vacinal do Brasil, pois é de uma excelência primorosa! E confesso que reconheci isso apenas depois que fui morar fora do Brasil…
O Brasil, no meio do caos total, ainda consegue progredir com resultados positivos.
Não que o Japão seja ruim, muito pelo contrário, o Japão também tem a sua excelência e qualidade, no qual devemos reconhecer com maestria, porém, o Brasil é algo inesperado, por isso estou ressaltando este assunto e trago para o contexto da equiparação para que nós, brasileiros possamos ter mais orgulho daquilo que nos faz bem!

Comentários
Loading...