ERIKA TAMURA: Naomi Osaka e o abandono do torneio de Roland Garros

Naomi Osaka, tenista japonesa, uma das melhores do mundo, decidiu abandonar o importante torneio de Roland Garros, e explicou o motivo de sua saída.
Naomi Osaka é a renomada atleta que conseguiu levar o nome do Japão para o topo do ranking de tênis. Muito aclamada no país, sofreu horrores para chegar onde está, pois mesmo tendo a nacionalidade japonesa, sofreu muita discriminação por ser mestiça de pai haitiano e mãe japonesa. Hoje está aí, ganhando títulos, se consagrando e sendo uma excelente profissional.
Todos sabem que tênis é uma modalidade esportiva cheia de regras e etiquetas, Roland Garros é um dos mais importantes, senão o mais importante torneio de tênis. E uma das regras do torneio é que, no fim de cada jogo, os atletas concedam entrevistas para os repórteres presentes.
Naomi tem passado por uma depressão e recorrentemente tem tido crises de transtornos psicológicos em decorrência das oscilações da depressão, por esse motivo, ela pediu para os organizadores do torneio que a dispensassem da coletiva de imprensa. O que não foi consentido.
A atleta japonesa alegou que para disputar o torneio, treinou fortemente, e a cada jogo a concentração e os esforços usados são tantos que ela fica realmente exausta, e tudo isso somado ao quadro depressivo em que ela se encontra, tem dificultado o ato de dar entrevistas. Naomi ainda ressalta que ao dar entrevistas, fica nervosa e apreensiva antes das perguntas, o que gera uma ansiedade com a qual ela não sabe lidar ainda. Porém se disponibilizou a dar entrevista assim que se sentir melhor.
Nenhum dos seus argumentos foi acatado pela organização do evento, e ela, que chegou a jogar uma partida pelo torneio, foi multada por ter ido embora sem atender a imprensa.
Toda essa situação fez com que Naomi, abandonasse o torneio.
Esse acontecimento vem bem de encontro com o artigo que escrevi semana passada sobre saúde mental. E descreve exatamente o “novo mal” do século: depressão.
O mundo atual terá que se adaptar e se atentar para o lado psicológico do ser humano. Há algum tempo que somente as doenças fisiológicas matam, as psicológicas fazem um estrago grande, deixam sequelas e até matam.
Por isso, eu disse que, hoje em dia a pessoa considerada rica, é aquela com a saúde mental em dia, e não mais a que possui mais dinheiro.
Essa saída da atleta japonesa de um importante torneio configura um pedido de socorro! Onde regras ultrapassadas terão que serem revisadas, para que o esporte não perca a sua essência.
Os japoneses apoiaram a decisão de Naomi e estão ao seu lado, dando forças e torcendo pela sua recuperação.
Saúde mental é coisa séria!

Comentários
Loading...