ERIKA TAMURA: Como explicar a pandemia no Japão?

Na semana passada, durante uma reunião de trabalho, eu e mais dois jornalistas brasileiros, começamos a falar sobre a pandemia no mundo e em especial a realidade brasileira.
Chegamos no assunto: pandemia no Japão. Inevitavelmente, a pergunta veio: “Como explicar a pandemia no Japão?”.
O Japão tem um número baixo de mortes por COVID, se compararmos com o resto do mundo.
E o nosso dia a dia no Japão, continua “quase” normal…
Não tivemos lockdown, as escolas não pararam, o comércio continua trabalhando, as estações de trens e metrôs continuam cheios. E então, como explicar esses números?
Tivemos em algumas províncias, o estado de emergência. Onde nada parou de funcionar, porém o atendimento passou por uma redução de horário. Trabalhos em formato de home office começaram a ter uma maior aceitação por parte das empresas japonesas, embora a adesão continue baixa.
E então, o número baixo de contaminados e mortos, embora seja preocupante, mostrou-se muito abaixo de outros países pelo mundo a fora, por que?
Comecei a observar que os hábitos japoneses podem ter contribuído para a não disseminação do vírus.
Culturalmente no Japão, não se entra de sapato dentro de casa. Os sapatos ficam no “genkan”, o hall de entrada que geralmente tem sapateiras e os sapatos são deixados ali e trocados por chinelos usados somente dentro de casa. A tradição japonesa diz que os resíduos, bem como os maus fluidos, não devem ser trazidos para dentro de casa, e pela simbologia, retira-se os sapatos.
Outra característica do povo japonês, é o uso de máscaras. Desde que cheguei no Japão (há 23 anos), percebi que os japoneses saem de casa de máscaras. Estranhei, mas logo entendi e me acostumei com a cena. O Japão é um país que sofre com polinose, ou alergia ao pólen, e isso justifica o uso das máscaras.
Quando conversamos com os japoneses, podemos perceber que não existe o toque. Os cumprimentos são feitos com o ato de baixar a cabeça, apenas. Quando os japoneses falam, usam um tom de voz baixo, e gesticulam muito pouco.
A vida social no Japão existe, porém menos intensa do que muitos países.
Todas essas características e ações, podem ser fatores que contribuíram para a não disseminação do vírus, e mesmo que inconscientemente, pode ser a explicação para os números atuais de mortes e contaminação no Japão.
Sem contar que, os japoneses são acostumados a seguirem regras. Para tudo tem regras!
Tanto é que o governo japonês, em momento algum ordenou o cumprimento das medidas sanitárias. O governo japonês PEDIU A COLABORAÇÃO DA POPULAÇÃO. E a população CONSCIENTEMENTE ACATOU O PEDIDO.
Um país que passou por guerras, talvez não saiba lidar 100% com a pandemia, mas sabe lidar com momentos tortuosos. E o Japão, dá lição quando o assunto é RECOMEÇAR!

Comentários
Loading...