Enxada

Chaetodipterus faber

Por: *Marcelo Szpilman e ilustração: Antônio Woyames

Coloração: Corpo cinza-prateado com três a cinco faixas verticais escuras. Nos espécimes de grande porte essas faixas são pouco nítidas. As nadadeiras podem apresentar a margem e algumas áreas enegrecidas. Nos juvenis o corpo é enegrecido, sem faixas, e as nadadeiras transparentes.
Características: Corpo bastante alto, ovalado e comprimido lateralmente. Boca bem pequena. Dorsal e caudal com os raios anteriores bem desenvolvidos e prolongados. Caudal emarginada, levemente lunada.
Ocorrência: Nas águas tropicais e subtropicais da costa americana do Atlântico. No Brasil, ocorrem em praticamente todo o litoral.
Habitat: Pelágicas demersais de águas rasas, vivem e nadam ativamente a meia-água ou próximo do fundo nas áreas rochosas e/ou cora linas. São muito comuns nas praias arenosas, mangues e ao redor das ilhas.
Hábitos: São encontradas em pequenos a grandes cardumes (de até 500 indivíduos) sempre em constante movimento. Gostam muito dos navios afundados, portos e ancoradouros. Os espécimes juvenis são freqüentes nos estuários e nas águas muito rasas e possuem o hábito de ficar na superfície em posição inclinada parecendo uma folha morta ou outro objeto boiando. Alimentam-se de diversos invertebrados planctônicos e bentônicos.
Captura: Sua carne, considerada boa, mas não tem valor comercial e só aparece esporadicamente em alguns mercados. São basicamente capturadas pelos pescadores esportivos e mergulhadores. Confiantes, não se importam com a presença dos mergulhadores e frequentemente os circundam. São muito requisitados para os aquários de visitação pública.
Outros nomes vulgares: Paru (RS), paru-branco (BA), parum-branco (CE).

*Marcelo Szpilman, biólogo marinho formado pela UFRJ, com Pós-graduação Executiva em Meio Ambiente (MBE) pela COPPE/UFRJ, é autor dos livros Guia Aqualung de Peixes (1991) e de sua versão ampliada em inglês Aqualung Guide to Fishes (1992), Seres Marinhos Perigosos (1998), Peixes Marinhos do Brasil (2000) e Tubarões no Brasil (2004). Diretor-presidente do Aquário Marinho do Rio de Janeiro, membro do Conselho da Cidade do Rio de Janeiro (área de Meio Ambiente e Sustentabilidade) e colunista do site Green Nation.

Comentários
Loading...