Enkyo tem tabela especial para associados dos kenjinkais

Serviço é exclusivo do Centro Médico Liberdade (divulgação)

Outra notícia auspiciosa para a comunidade nikkei e que, apesar de ter sido anunciada há dois anos, somente agora a Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo) torna pública. Em 2019, por ocasião das comemorações dos seus 60 anos anos de fundação, a Enkyo lançou uma ação com o intuito de beneficiar os associados dos 47 kenjinkais (associações de províncias do Japão) que compõem a Kenren – Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil. A medida, que vigorou até 2020, consistia em uma tabela com preços especiais para consultas e tinha como objetivo facilitar o acesso de idosos nikkeis à saúde. De acordo com a parceria, idosos acima de 60 anos pagavam R$ 50,00 pela consulta em mais de cem especialidades.
Este ano, após uma reavaliação da diretoria, o benefício foi estendido a todos os associados dos kenjinkais, que passaram a pagar o preço único de R$ 100,00 pela consulta, independente da faixa etária. ”Em um momento difícil como esse que estamos atravessando por conta da pandemia, nossa preocupação é oferecer atendimento e serviço de qualidade a preços acessíveis”, explicam os vice-presidentes Eiki Shimabukuro, Akinori Sonoda e Jun Suzaki. O secretário-geral da instituição, Marcelino Maezono lembra que os associados dos kenjinkais também tem uma tabela diferenciada para exames. “Em média, os associados dos kenjinkais pagam 48% do valor em relação aos convênios particulares”, conta Marcelino, destacando que esse serviço é exclusivo do Centro Médico Liberdade. “Pelo fato de o Centro Médico estar localizado no bairro da Liberdade, uma região de fácil acesso, a ideia é justamente ampliar esse benefício para mais pessoas”, diz ele, explicando que “constatamos também que muitos idosos não têm convênio médico”.
Akinori Sonoda conta que para ter acesso ao benefício, basta que o associado apresente uma carta de autorização ou qualquer documento que identifique seu vínculo com o kenjinkai.
Em agosto, o Hospital Japonês Santa Cruz também anunciou uma parceria com a Kenren facilitando o acesso dos associados dos kenjinkais aos serviços médicos e hospitalares da instituição.

Ongaeshi – Presidente da Kenren, Toshio Ichikawa diz que vê os acordos com as duas instituições “com simpatia”. “Os hospitais vem crescendo – e muito – mas a origem de ambos continuam sendo a comunidade e os imigrantes. Por outro lado, os descendentes de japoneses já estão na terceira e quarta gerações e muitos não sentem mais a necessidade de contarem com um planejamento de saúde e na hora que necessitam ficam na dependência de parentes e amigos. Então, com os dois hospitais voltando seus olhos para a comunidade, também as novas gerações vão sentir que a origem de tudo está nos antepassados”, diz Ichikawa, afirmando que o aspecto positivo não é só do ponto de vista operacional”. “É no sentido de agradecimento, que em japonês costumamos dizer ‘ongaeshi’. Neste aspecto, do ponto de vista da cultura que os antepassados deixaram, é muito positivo”, explica o presidente da Kenren.

Mais conhecida – Para Eiki Shimabukuro, a ideia é tornar a Enkyo “mais conhecida”. Segundo ele, ao longo de pouco mais de seis décadas de existência, a Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo ampliou seu foco, que inicialmente era voltada para a área de asistência social, também para a área da saúde.
Marcelino Maezono lembra que a história da Enkyo teve início em 28 de janeiro de 1959 com a fundação da Associação de Assistência aos Imigrantes Japoneses, entidade cujo nome foi alterado em 1972 para Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo – Enkyo, como é conhecida hoje.
Atualmente, na área de assistência social, a Enkyo é responsável por um Centro de Convivência de Idosos, além de quatro Instituições de Longa Permanência: Casa de Repouso – Santos Kosei Home, no litoral paulista; Recanto de Repouso Sakura Home, em Campos do Jordão; Casa de Repouso de Suzano (Ipelândia Home), em Suzano, e a Casa e Repouso Akenobo, em Guarulhos.
“Na área da saúde, quando se fala em Enkyo, as pessoas logo associam a instituição ao Hospital Nipo-Brasileiro”, conta Eiki. Fundado em 1988 como, parte das comemorações dos 80 anos da imigração japonesa no Brasil, o HNB é hoje uma referência no setor e responsável, em grande parte pela manutenção do trabalho na área social.
Na área da saúde, a Enkyo administra também o Centro Médico Liberdade, o Hospital São Miguel Arcanjo, o Projeto de Integração Pró-Autista (Pipa) e o Ambulatório Móvel (Junkai).

Akinori Sonoda, Paulo Saita, Jun Suzaki e Eiki Shimabukuro (divulgação)

Cestas básicas – Outras ações tem marcado a atuação da Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo ao longo dos anos, como a distribuição, em julho deste ano, de 1.200 cestas básicas para famílias de comunidades do entorno do HNB, no Parque Novo Mundo (zona Leste de São Paulo). Foi a segunda distribuição de kits de alimentos e materiais de limpeza durante o período de pandemia. Em junho do ano passado, o HNB, através de seu Departamento Social, entregou 850 cestas.
“Embora seja pouco conhecida por essas ações, a Enkyo faz questão de continuar mantendo sua prestação de serviços não só à comunidade nikkei como também à sociedade brasileira”, diz Eiki Shimabukuro.

Jica – A Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo foi contemplada pela Jica (Japan International Agency Cooperation) com a aprovação de subsídios no valor de cerca de R$ 48 mi para as duas áreas de atuação: assistencial e saúde.
No último dia 13, o embaixador do Japão Akira Yamada esteve no Centro Médico Liberdade para conhecer as instalações. Na oportunidade, também ouviu explicações de como estão sendo investidos os recursos da Jica.

Comentários
Loading...