ENFRENTAMENTO À COVID-19: Prefeito de Ibiúna, Paulinho Sasaki fala sobre desafios de assumir mandato em meio à pandemia

Paulinho Sasaki com profissionais da área da saúde: “Fomos reconhecidos na região como referência” (divulgação)

A pandemia do novo coronavírus desafiou todo o mundo, principalmente os prefeitos que assumiram os municípios durante o período. O prefeito de Ibiúna (SP), Paulinho Sasaki (PTB) é um desses casos e, em entrevista concedida ao Jornal Nippak, falou sobre os desafios dos primeiros meses de mandato.
Sasaki, que assumiu em 1º de janeiro deste ano, além de ter os desafios do coronavírus, encontrou um município com diversos problemas e sem a transição entre os governos, o que dificultou, ainda mais, o inicio dos trabalhos. Porém, com dedicação e esforço diário, vem conseguindo retomar Ibiúna ao caminho do desenvolvimento.
“Foi um grande desafio assumir a Prefeitura de Ibiúna, pois, além de grandes dificuldades encontradas, a cidade estava em uma situação crítica, com muitos problemas em diversos setores, além de um orçamento comprometido. Se não bastasse esses problemas, iniciamos o Governo no momento mais complicado da pandemia. Fizemos investimentos, nos dedicamos e contamos com uma equipe de saúde qualificada, para superarmos os momentos mais difíceis e fomos reconhecidos na região, como referência neste trabalho,” disse o prefeito Paulinho Sasaki.
Com o intuito de oferecer ao munícipe maior segurança em relação ao vírus, Sasaki realizou diversas ações, tais como: aumentou o número de leitos clínicos e de UTI na ala da Covid no próprio hospital; instalou novo aparelho de raio-x digital; reativou a usina de oxigênio, que estava há mais de 4 anos sem funcionar e foi fundamental para salvar dezenas de vidas; instalou 16 aparelhos de ar-condicionado nos quartos, contratou mais profissionais para a Saúde Municipal, além de cinco ventiladores, cinco bombas de infusão e três monitores. “Ao invés de montar hospital de campanha, decididos investir no nosso próprio hospital, que tem uma estrutura física muito boa. Com isso, deixaremos um legado que poderá ser utilizado para sempre no local, melhorando o atendimento no pós-pandemia”, explicou o prefeito.
Ciente da grave situação do coronavirus, mas cauteloso em relação ao panorama econômico do município, Sasaki, junto com o vice-prefeito Alexandre Bello e a equipe de secretariado, desde o inicio da gestão tomaram cuidados e medidas para que encontrassem em equilíbrio entre as restrições e a garantia de um comércio ativo. Fechamento de bares e academias, comércios funcionando por sistema drive-thru ou retirada no local, proibição de eventos esportivos e festas, uma pessoa por família no supermercado foram algumas das ações realizadas pela Prefeitura de Ibiúna para que a circulação do vírus diminuísse.

Restrições – “Mantivemos, desde o início, uma ideia de cuidar da população, sem que a economia sofresse muito. Tivemos, durante os períodos de maior circulação de vírus, restrições maiores ao comércio e, em momentos que os números diminuíram e com o avanço da vacinação, realizamos aberturas gradativas, sempre respeitando os decretos estaduais. Porém, com muito bom senso e diálogo com os comerciantes e empresários”, falou o prefeito, que agradeceu todo o esforço dos profissionais da saúde, de médicos, aos enfermeiros, fisioterapeutas, diretores e funcionários.
O momento mais crítico da pandemia, em Ibiúna, foi no mês de maio deste ano, quando, de acordo com os registros do Hospital Municipal, no dia 28, mais de 40 pessoas estavam internadas na ala Covid-19, que foi um recorde no município, fazendo com que o sistema de saúde chegasse perto do colapso. Entretanto, no dia 13 de agosto, pela primeira vez, desde 22 de fevereiro, não houve registros de internados na ala específica para o vírus.
Ao todo, desde o começo do ano, o município, que recebeu pacientes de toda a região, no Hospital Municipal, registrou 489 internações, com 249 altas e 111 óbitos, uma porcentagem de mais de 77% de pessoas recuperadas.

Retomada das aulas – A retomada das aulas presenciais, no âmbito municipal, em Ibiúna, tem sido discutida durante todo o ano e foi definida para o dia 29 de setembro, visto que todos os funcionários da educação estão vacinados, oferecendo maior segurança aos mesmos e, consequentemente, aos alunos. Pensando nisso, as 64 Unidades Escolares Municipais estão sendo reformadas.
Com empenho do prefeito Paulinho Sasaki e secretária de Educação de Ibiúna, Nydia Bello de Oliveira, e de todos os funcionários da pasta, foram oferecidos aos alunos, não só as atividades necessárias para o aprendizado remoto, como, também, a distribuição de mais de 17 mil kits alimentação, sendo 8.500 em março e mais 8.610, em julho, para os estudantes de toda a Rede Pública Municipal, do Ensino Básico ao EJA.

Desafio – A pandemia, de um modo geral, afetou o município em todos os pontos, além da grave situação administrativa que Ibiúna se encontrava, no momento em que o prefeito Paulinho Sasaki assumiu a cidade. Cofres vazios, salários atrasados, obras paradas e convênios perdidos eram alguns dos problemas que o gestor teve que enfrentar, mas com muita coragem, trabalho árduo, dedicação e, principalmente, respeito ao povo ibiunense, Ibiúna está renascendo para um novo tempo.
“Assumimos a prefeitura falida e cheias de problemas. Sabíamos das dificuldades que encontraríamos, mas não imaginávamos que seriam tantas. Foi um desafio muito grande, que agora está sendo superado. Junto com a minha equipe, decidimos que o mais importante era respeitar o ibiunense. Em seis meses trabalhamos para colocar a casa em ordem, com pagamentos em dia, responsabilidade financeira, retomada de convênios, para, a partir do segundo semestre, realizarmos obras concretas, como o recapeamento da Estrada do Lageadinho, o primeiro prédio exclusivo para o atendimento Psicossocial Infato-Juvenil, entre outras”, disse o prefeito.

Recapeamento Estrada do Lageadinho – O prefeito de Ibiúna, Paulinho Sasaki entregou, oficialmente, em 6 de agosto, o recapeamento da Estrada Vicinal do Lageadinho, que tem extensão de, aproximadamente, 5 quilômetros e beneficia milhares de munícipes.
A obra, executada em menos de 15 dias, teve valor estimado em R$ 2.248.152,41, totalizando 30.611 m², sendo muito festejada pelos moradores do bairro do Lageadinho e adjacentes, que esperaram pela mesma durante muitos anos e estiveram presentes na entrega.
‘Foi uma alegria muito grande entregar essa obra. Quis o destino que a primeira inauguração do meu governo fosse no Lageadinho, bairro da minha origem, onde eu nasci. Fiquei emocionado. Essa foi a primeira de muitas obras que iremos entregar”, disse o Sasaki.

Paulinho Sasaki, prefeito de Ibiúna: “Foi um grande desafio” (divulgação)

Prédio Caps Infanto-Juvenil – Outra obra entregue pelo Paulinho Sasaki foi o 1º Centro de Atendimento Psicossocial (Caps) Infanto-Juvenil de Ibiúna, no dia 12 de agosto. Pela primeira vez na história do município, crianças e adolescentes, de 0 a 17 anos, 11 meses e 29 dias, possuem um local exclusivo para o atendimento.
O prédio conta com recepção, salas para atendimentos e atividades, local para refeição, sanitários, parquinho, além de uma horta, que será cuidada pelos pacientes como forma de terapia.
‘Ficamos muito felizes de inaugurar e entregar esse novo local, que será muito importante para os quase 2 mil pacientes desta faixa etária que necessitam de acompanhamento psicossocial. Estamos passando por um momento difícil, que é a pandemia, e o número de atendimentos cresceu muito. Agora, nossas crianças e adolescentes têm um atendimento digno e adequado, pois a infância é um período fundamental para que possamos ter uma vida adulta mais saudável e feliz”,

Outras obras – Paulinho Sasaki já vem trabalhando em outras obras, que devem ter inicio ainda este ano, como: Reforma da Rodoviária Municipal, do Centro de Controle de Zoonoses, asfaltamento de mais de 50 ruas, além da troca do telhado do Hospital Municipal.

Comentários
Loading...