ENFRENTAMENTO À COVID-19: Palestra promovida pela Enkyo com o poeta e cordelista Bráulio Bessa traz mensagem de esperança

Palestrante explica que a humanidade está passando por um grande recomeço (divulgação)

Encomendada pelo Governo Japonês, a palestra promovida pela Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo (Enkyo) – presidida por Paulo Saita – foi realizada no auditório do Hospital Nipo-Brasileiro no dia 27 de outubro e transmitida pelo canal Enkyo – Oficial no YouTube com a opção de transmissão com tradução simultânea para o japonês. O palestrante desta vez foi Bráulio Bessa, conhecido como poeta, cordelista, declamador e palestrante brasileiro. O tema da palestra foi “novas perspectivas sobre a continuação do controle da infecção e a luta contra a pandemia do coronavírus: uma mensagem de esperança para você” e faz parte da campanha de prevenção de infecção pelo novo coronavírus da Enkyo, que convida celebridades brasileiras a falar sobre temas relacionados ao coronavírus sob várias perspectivas.
Após a abertura do superintendente geral do HNB, Dr. Sergio Okamoto, o convidado compartilhou sua história de vida por pouco mais de uma hora, começando pela sua recente experiência enfrentando a Covid-19. “A humanidade está passando por um grande recomeço. Eu estou passando por um grande recomeço. Tive Covid-19, fui para um leito de UTI e passei a admirar ainda mais quem luta essa luta com tanta força, com tanta coragem, com tanta empatia como vocês”, iniciou.
Bráulio é um poeta que se tornou amplamente conhecido em todo o Brasil desde que fez aparições regulares no programa de TV Encontro Com Fátima Bernardes. Atualmente, o número total de seus seguidores nas mídias sociais como o Instagram e o Facebook é de cerca de 5 milhões e é apelidado de “Embaixador do Nordeste”.
O artista nasceu nasceu em 1985 em Alto Santo, no Ceará. Aos 14 anos ficou muito impressionado com a poesia do Patativa do Assaré, que conheceu por meio de uma aula de língua portuguesa em uma escola pública local e decidiu se tornar poeta.
“Patativa do Assaré usava palavras muito simples para descrever as complexas emoções humanas como amor, angústia e alegria. No instante em que encontrei o poema, quis provocar, em algum dia, um fenômeno que impressiona as pessoas como ele fez.”

Bráulio Bessa (divulgação)

Pressentimento – Escreve poesia desde os 14 anos e, aos 19 anos, começou a sonhar em publicar um livro de poesia. Sem saber como publicar, tentou entrar em contato com 40 editoras, mas apenas 4 responderam. As respostas foram duras e mostraram a realidade de que os livros são mercadorias, mesmo se tratando de arte como a poesia. Foi então que, quando começou a publicar as suas poesias nas mídias sociais da internet, teve um bom pressentimento em uma semana. Foi um grande incentivo receber comentários como “sua poesia é maravilhosa” pelas redes sociais, pessoas andando na rua e até mesmo pelos médicos ambulantes da cidade.
Três anos depois de começar a publicar poesia na internet, recebeu um e-mail da produtora do programa Encontro Com Fátima Bernardes, e teve a oportunidade de aparecer no programa pela primeira vez e mostrar sua poesia. Após a recitação, o diretor do programa percebeu que o público aplaudia do fundo do coração, e um contrato de apresentação semanal no programa foi assinado na hora.
Desde então, o campo de atuação se expandiu ainda mais: o número de seguidores, que era de apenas 500 amigos da sua cidade quando iniciou a divulgação nas mídias sociais, aumentou significativamente e passou a dar palestras a um grande público, como 2000 pessoas no teatro e 8000 pessoas em uma área aberta da escola do sertão. Quando certa vez, Bráulio fez uma chamada na mídia social: “Se você está impressionado com a leitura do meu poema, peço que me dê um feedback”, ele diz que recebeu 38 mil respostas em menos de 24 horas. Então, o sonho de publicar um livro de poesia tornou-se realidade, e publicou três best sellers até agora.

Bráulio é amplamente conhecido em todo território brasileiro (divulgação)

A poesia pode mudar as pessoas

Bráulio destaca: “Eu acredito no poder das palavras. A poesia pode mudar a vida de uma pessoa.” Ele apresentou um episódio de quando foi internado após ser infectado pelo novo coronavírus.
Dois minutos depois de entrar na unidade de terapia intensiva, sentiu medo de não conseguir retornar para a casa. Depois de um tempo, um enfermeiro que entrou na sala disse com uma voz animadora: “Não tenha medo. Precisamos assistir ao próximo jogo de futebol.” Ficou aliviado por um momento, mas estava ansioso de novo. Quando estava sem apetite na hora do almoço, percebeu que tinha um poema com o título de Esperança escrito na tampa da embalagem de refeição que foi trazido. Quando leu o poema, de repente ficou com fome e conseguiu comer todas as refeições que foram servidas, e até quis mais.

“Comer me deu o que meu corpo precisava, o que ajudou meu espírito.”
Após conseguir sair do hospital com saúde, consultou a editora e planejou digitalizar sua coleção de poesias e inseri-la no site da Amazon para que pudesse ser baixada gratuitamente durante as primeiras 24 horas. Como resultado, houve 183.000 downloads.
“Estou convencido de que a poesia cura até as doenças humanas”

Se ficar sem jeito, “é hora do recomeço”
Em resposta às várias dificuldades causadas pela influência da pandemia de coronavírus, no meio da palestra Bráulio interpretou o poema “Recomece”, que também foi apresentado no Encontro com Fátima Bernardes:
“Quando a vida bater forte/e sua alma sangrar,/quando esse mundo pesado/lhe ferir, lhe esmagar…/É hora do recomeço./Recomece a LUTAR. (…)
Quando o mal for evidente/e o amor se ocultar,/quando o peito for vazio,/quando o abraço faltar…/É hora do recomeço./Recomece a AMAR. (…)
Enfim,
É preciso de um final/pra poder recomeçar,/como é preciso cair/pra poder se levantar./Nem sempre engatar a ré/significa voltar.
Remarque aquele encontro,/reconquiste um amor,/reúna quem lhe quer bem,/reconforte um sofredor,/reanime quem tá triste/e reaprenda na dor. (…)
(…) e se um dia, lá na frente,/a vida der uma ré,/recupere sua fé/e RECOMECE novamente.” (partes do poema foram omitidas)

Bráulio Bessa durante a palestra (divulgação)

A criação de uma poesia que promove a prevenção da infecção pelo novo coronavírus
O Dr. Sérgio Okamoto, do Hospital Nipo-Brasileiro, que atuou como moderador, convidou Bráulio para opinar sobre “a negação da vacinação por algumas pessoas, apesar de a vacina contra o novo coronavírus já estar bastante difundida”.
Respondeu: “Tenho uma forte fé, mas também acredito na ciência”. Ele enfatizou a importância de atividades de conscientização sobre a prevenção de infecções pelo novo coronavírus.
Certa vez, Bráulio escreveu um poema que incentiva a vacinação, por acreditar que comunicar através da poesia tem uma forte influência. Ele disse que quando perguntou ao enfermeiro de um posto de vacinação: “Posso apresentar um poema para todos?”, surgiu um clima positivo entre as pessoas do local. Bráulio homenageou o enfermeiro e também fez chamada para que as pessoas postem fotos em que foram vacinadas nas redes sociais. Como poeta, entende que é necessário transmitir às pessoas que as vacinas salvam os humanos baseado na ciência e que continuem a usar máscaras e desinfetem com álcool para prevenir as infecções pelo novo coronavírus.

A assistência médica é uma arte

Ao final, a pedidos de Dr. Okamoto, Bráulio Bessa deixou uma mensagem sobre a importância da vacinação e de ainda manter os cuidados para que os casos de Covid-19 não voltem a aumentar. “Eu acho que isso é um papel de cada um de nós, de travar uma luta diária a favor da ciência, a favor da consciência humana, a favor do ser humano e de tentar conscientizar sobre máscara, álcool gel, vacina. Isso é o cuidado. Porque agora a gente está vendo as coisas começando a voltar. Agora, de fato, a gente está começando a ter esperança. Eu acho que se a gente fizer isso, a gente já está vencendo, né? Estamos e vamos vencer. Muita saúde para nós!”, finalizou. E apresentou um poema que elogia o trabalho na área médica, referindo-a como uma arte relacionada à vida humana.
“A palavra ‘desistir’ muda para ‘existir’, apenas tomando a letra ‘d’. Retirar apenas uma letra provoca uma transformação como a metamorfose de uma larva para uma borboleta. Existem caminhos espinhosos na vida, mas você nunca deve perder seu vigor. Desejo a todos tudo de melhor.”, concluiu.

A palestra foi transmitida simultaneamente no canal de YouTube Hospital Nipo-Brasileiro do Hospital Nipo-Brasileiro, e a versão japonesa poderá ser reproduzida no canal de YouTube ENKYO-OFICIAL.

Comentários
Loading...