ENFRENTAMENTO À COVID-19: Conheça as medidas de prevenção adotadas pela Itochu Brasil na luta contra a Covid-19

Máscaras e aparelho de medição da temperatura corporal na entrada do prédio (divulgação)

Na terceira edição sobre “Medidas de Prevenção de Infecção pelo Novo Coronavírus” das empresas japonesas ativas no Brasil, a conversa foi realizada com o presidente Hiroshi Akiba, da ITOCHU Brasil S.A.. “Numa empresa comercial, as pessoas são a vida. Consciente de que a segurança dos nossos funcionários e das suas famílias estão em primeiro lugar, adotamos medidas completas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus”. Assim relembra o período de um ano e cinco meses que se passaram desde a chegada da pandemia. A empresa é subsidiária brasileira da ITOCHU Corporation, renomada corporação de comércio geral do Japão, e possui escritório no prédio da Av. Paulista.

Recomendação de Retirada Temporária para os Funcionários Japoneses
O Sr. Akiba assumiu o cargo em abril do ano passado, imediatamente após o Brasil ter entrado na pandemia e devido às restrições de migração e atraso da emissão de visto de trabalho do país, trabalhou remotamente do Japão com os assuntos relacionados ao Brasil durante quatro meses até conseguir se transferir do país.
“A situação do Japão também era incerta e, embora ainda não tivesse chegado ao Brasil, estive focado no trabalho da América Latina.”
Desse modo, o Sr. Akiba se lembra do mês de abril do ano passado, quando tinha acabado de assumir o cargo. Além do trabalho normal, o tópico priorizado foi a “recomendação de retirada temporária” para os funcionários japoneses. Como resultado, 4 dos 16 funcionários japoneses da época se retiraram temporariamente e todos voltaram a trabalhar no Brasil em outubro.
“Acho que foi difícil para eles, porque o trabalho passou a ser noturno.”
Assim demonstrou o agradecimento aos funcionários que realizaram trabalho remoto no Japão.

Esforços para Reduzir a Distância com os Funcionários em Home Office
Desde o início da pandemia até hoje, todos os funcionários têm trabalhado em casa, em princípio. Embora a situação no Brasil tenha se acalmado há um tempo, não há perspectiva de cancelamento de home office devido às incertezas sobre o futuro, causadas pela ameaça da variante Delta e o risco de infecção no transporte público.

Álcool desinfetante para mãos na entrada do escritório (operado com os pés) (divulgação)

Mesmo o número de funcionários que vão ao escritório conforme a necessidade recebeu uma restrição máxima de 20% do total de cerca de 60 pessoas, não tendo como o andar de cerca de mil metros quadrados ficar lotado. Seguindo as diretrizes do governo, estão sendo feitas a medição da temperatura na entrada do prédio, a higienização com álcool e o armazenamento de máscaras. A empresa proibiu o uso de transporte público durante o trajeto para o escritório e regulamentou que táxis e Uber devem ser usados com ônus da empresa.
Por não conseguirem ver o que está acontecendo na empresa com os seus próprios olhos, alguns funcionários que não vão ao escritório há um ano e cinco meses também levantam preocupações durante as consultas sobre “uma sensação de distanciamento com a empresa”. A empresa passou a dar mais atenção aos cuidados psicológicos e vem tentando estabelecer comunicações com mais diligência.
Além disso, não só no Brasil, mas também no grupo ITOCHU em todo o mundo, mini estudos por e-learning que podem ser realizados no tempo livre eram promovidos antes da pandemia, mas esse estilo passou a ser usado ainda mais com a pandemia de coronavírus.

Proteção dos Negócios e Parceiros Comerciais Preexistentes
“Por causa da pandemia do coronavírus, o futuro ficou imprevisível e houve disseminação da preocupação entre nossos parceiros de negócios. Como trabalhadores essenciais, ficamos concentrados em proteger nossos negócios preexistentes sem interromper as atividades. ”Assim afirma o Sr. Akiba. Por ser uma empresa de comércio geral, embora haja diferenças no desempenho dependendo do departamento devido ao impacto do desastre do coronavírus, o negócio caminha bem. A produção de grãos, que influencia as exportações de alimentos do Brasil, também está indo bem e as exportações de minério de ferro para a China, que reconstruiu rapidamente seu sistema econômico, também estão indo bem.
“Esta experiência foi uma oportunidade para reconfirmar e reforçar os fundamentos do BCP (Business Continuity Plan) *.”
Em particular, uma vez que o trabalho remoto se tornou o meio principal, esforços foram feitos para ratificar a segurança da comunicação e fortalecê-la ainda mais.

Sampou Yoshi e Flexibilidade

Álcool em gel para mãos e avisos para controle de infecção por coronavírus na recepção do escritório (divulgação)

Juntamente com o novo coronavírus, chegou uma época em que as empresas devem pensar em enfrentar questões globais indicadas pelos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), relacionadas às mudanças climáticas, mudanças no ambiente natural e contribuições sociais, entre outras.
“Mesmo que o ambiente de negócios mude, continuaremos pensando em como podemos contribuir com a sociedade brasileira, cumprindo com a flexibilidade, a filosofia corporativa da ITOCHU de Sampou Yoshi (filosofia administrativa com base no pensamento de que um bom comércio é aquele que agrada o vendedor e o comprador, além de contribuir com a sociedade).”
O presidente Akiba disse com determinação, desejando o crescimento do Brasil.

*BCP é um acrônimo para Business Continuity Planning. Refere-se às medidas para minimizar os danos sofridos por uma empresa e continuar suas atividades em caso de emergências, como em um desastre natural.

ITOCHU Brasil S.A.

Logo da Itochu Brasil (divulgação)

Uma subsidiária brasileira da ITOCHU Corporation, uma grande empresa de comércio geral, que trata de uma ampla gama de negócios globalmente nas áreas de têxteis, maquinários, metais, energia, produtos químicos, alimentos, vida, informação e finanças.
Site da ITOCHU Corporation: www.itochu.co.jp/ja/

Comentários
Loading...