Em palestra no HJSC, Renato Ishikawa fala sobre liderança e harmonia no trabalho

Palestra reuniu diretores, gerentes e supervisores do hospital (Aldo Shiguti)

Atual presidente do Conselho Deliberativo do Hospital Japonês Santa Cruz (HJSC), Renato Ishikawa ministrou, no último dia 24, no auditório da instituição, uma palestra para diretores, gerentes e supervisores com o tema “Carreira, Liderança e Relacionamento”. Por quase duas horas, o ex-presidente do Santa Cruz prendeu a atenção da plateia ao falar sobre trajetória de sucesso. Antes, o presidente Mário Sato e os diretores Shinji Tsuchiya (Financeiro) e Marcelo Tsuji (Executivo) destacaram algumas qualidades do palestrante, entre as quais as de “líder” e “apaziguador”.
Em um clima descontraído, Ishikawa pediu para que todos se apresentassem, um por um, e iniciou o que chamou de bate papo lembrando sua infância – “boa e gostosa” –, desde Paraguaçu Paulista – onde nasceu – até sua vinda para a Capital, em 1954, para estudar, passando por Ibiúna (SP).
Primeiro nikkei a assumir a direção da NEC, onde ingressou como diretor em 1984 e assumiu a presidência em agosto de 1999 – Renato Ishikawa destacou os valores herdados de seus pais – como trabalho, perseverança, honestidade e educação – e revelou que seu sonho era ser médico, vocação que teve que abandonar para ajudar a família.

Boom da comunicação – Graduado e pós-graduado na área econômica, ele falou ainda sobre sua passagem pela Ericsson, sobre a Incorporadora e Construtora CNL, a Fazenda Aliança; e os trabalhos voluntários no Hospital Japonês Santa Cruz e Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social).
Eleito pelo Fórum de Líderes Empresariais e leitores da Gazeta Mercantil, como Líder Empresarial do Setor de Telecomunicações em 2001, ele lembrou que teve o “privilégio” de viver o “boom da comunicação no Brasil”.
Conta que, quando ingressou na Ericsson, na década de 1960, uma ligação entre São Paulo e Rio de Janeiro demorava cerca de 4 horas. “O governo militar realmente deixou essa grande contribuição para o país ao criar uma infraestrutura moderna”, disse Ishikawa, que foi o primeiro não sueco a ocupar o posto de diretor financeiro na empresa.

Renato Ishikawa (Aldo Shiguti)

No Santa Cruz – Na NEC, entrou para “apaziguar” os ânimos e se aposentou em 2002. Assumiu a presidência do Hospital Japonês Santa Cruz em 2012 e se orgulha de ter implantado o “Jeito Santa Cruz de Atender”, que se baseia no conceito do omotenashi e se refere a uma prestação de serviços de qualidade e atendimento humanizado.
Fruto de uma parceria com a Toyota, em 2015 implementou no Pronto Atendimento o Sistema Toyota de Produção (TPS) com o intuito de aumentar a produtividade e a eficiência do hospital. Renato Ishikawa lembrou ainda de algumas visitas ilustres, como a da esposa do então primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, Akie Abe, e de Suas Altezas, o Príncipe Akishinonomiya Fumihito e a Princesa Kiko.
Outro fato marcante de seus três mandatos como presidente da instituição aconteceu durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio, quando o Santa Cruz ofereceu suporte médico-hospitalar a turistas japoneses.
Ele falou ainda sobre a importância de se trabalhar em um ambiente harmônico e sobre motivação. Sobre sua passagem no Bunkyo, onde cumpre atualmente seu segundo mandato, falou sobre o desafio em assumir uma entidade que fugia de suas experiências anteriores mas que, ao mesmo tempo, tinha algo em comum e que marcou sua trajetória: pessoas.
Abraçou o desafio mas não sem antes imprimir sua marca, ou seja, formar uma equipe de confiança. Outra preocupação foi de priorizar a participação dos jovens. Destaca que, na atual diretoria do Bunkyo, dos 25 diretores, 10 tem menos de 40 anos.

Longevidade – Disse que a força dos jovens o mantém motivado e, não à toa, em 2019 visitou 19 localidades brasileiras, de Manaus a Porto Alegre. Como presidente do Bunkyo, também representou os nikkeis fora do Japão na 60º Kaigai Nikkeijin Kyokai (Convenção dos Nikkeis e Japoneses Residentes no Exterior), realizada em 2019, e participou, no Japão, da cerimônia de entronização do imperador Naruhito e da imperatriz Masako.
Entre as honrarias recebidas, destacou a outorga do Diploma do Ministro dos Negócios Estrangeiros do Japão e o título de Cidadão Paulistano e a recente medalha no Dia do Soldado concedida pelo Comando Militar do Sudeste.
Para finalizar, destacou os atributos que um líder deve ter – ser admirado e respeitado; ter senso de humor; dar exemplo; ser bom comunicador; ter capacidade de decidir; ter ambição; sorte; foco; flexibilidade; empatia; criatividade; visão-intuição – e falou sobre os segredos da longevidade dos okinawanos.
Antes de encerrar, Renato Ishikawa respondeu perguntas sobre tecnologia 5G, taxa selic e sobre os critérios para a escolha de um bom time.

Comentários
Loading...