DIA DOS NAMORADOS NO JAPÃO: Comemoração em dose dupla, com chocolates e seus diversos significados

O dia Dos Namorados no Japão ainda é fortemente relacionado à oferta de chocolates (divulgação)

Considerada por alguns uma data que incentiva o consumismo e para outros um período de demonstração de sentimentos, o dia dos namorados no Japão preza pela declaração doce e sutil em forma de chocolate. Com algumas singularidades, pode retratar desde o amor pelos amigos quanto uma paixão. Mas basta presentear corretamente que logo os sentimentos não serão confundidos.
Entre os japoneses, há mais de um dia para a comemoração de casais, sendo esse dividido em Valentine’s Day e White Day, porém, é importante ficar atento, já que em um deles apenas as garotas presenteiam e no outro são os garotos. Assim, ambos recebem, embora em momentos diferentes.
Não apenas as datas e tradições distintas, o dia dos namorados no Japão ainda pode surpreender muitas pessoas, uma vez que essa comemoração guarda curiosidades que não são vistas em animes, doramas e mangás, mostrando a todos que não devem simplificar algo tão significativo.

Homens devem presentear com chocolates três vezes mais caros (divulgação)

Valentine’s Day e White Day
O dia dos namorados no Japão e no mundo, com exceção do Brasil, é comemorado no dia 14 de fevereiro, considerado o dia de São Valentim, o homem conhecido como santo dos namorados, já que realizava matrimônios e cerimônias escondidos, na Roma Antiga, onde o imperador Cláudio II proibia casamentos durante as guerras, acreditando que homens solteiros tendiam a se alistar com maior frequência. Como punição pelos seus atos, foi preso e morto, porém, não antes de se apaixonar pela filha do carcereiro e deixar o que seria a primeira carta de amor já escrita, finalizada com as palavras “De seu Valentim”.
Assim, a data comemorada pelos namorados, na verdade, é o dia da morte do aclamado santo que uniu tantos casais e manteve a fé no amor num período em que isso parecia impossível, consequentemente, dando forças às pessoas que anseiam por se declarar obtendo ou não a resposta desejada.
O Valentine’s Day chegou ao Japão em 1936, mas se popularizou apenas em 1958. Como alguns imaginavam, infelizmente, sua origem não é nem um tanto romântica, visto que o país não é formado por uma grande porcentagem de católicos, de modo a não fazer sentido a crença repentina em um único santo. Na realidade, a tradição veio à tona com as confeitarias japonesas que influenciaram a troca de chocolates como forma de demonstração de amor e carinho, sendo uma ideia que conquistou o coração das mulheres que passaram a presentear os homens de sua vida, sendo eles da família ou não.
Anos depois, mais especificamente em 1978, houve o surgimento do White Day, por incentivo de uma indústria de marshmallow que mostrou aos homens a importância de retribuir o sentimento feminino. Logo a celebração se difundiu do Japão à Coreia do Sul e Taiwan, comemorada um mês após o real dia dos namorados, ou seja, no dia 14 de março.
O dia dos namorados no Japão ainda é altamente relacionado à oferta de chocolates que se tornam quase que obrigatória nessa data, porém é comum presentear também roupas, marshmallow e demais produtos, já que o importante mesmo é a intenção. Apesar disso, há quem diga que no White Day os homens devem dar chocolates três vezes mais caros que os ganhados.

Para celebrar a data, há os cinco tipos mais comuns de chocolates (divulgação)

Tipos de chocolates do dia dos namorados no Japão
Se tanto a família e amigos quanto uma paixão podem ganhar chocolates no dia dos namorados no Japão, então, como uma pessoa não irá confundir o que você está demonstrando, já que chocolate é tudo igual?
Na verdade, para os japoneses, não tem isso de ser tudo igual, já que para cada tipo de relacionamento há um presente diferente. Talvez seja algo forçado pelo capitalismo? Pode até ser, mas parece que facilita e muito a vida de quem presenteia, aumentando as chances de reciprocidade ou ao menos manifestação correta dos sentimentos.
Assim, para celebrar essa data no Japão há os cinco tipos mais comuns de chocolates:

  • Giri Choco: conhecido como “chocolates obrigatórios”, são os mais baratos e simples, não representando nenhum tipo de sentimento romântico, de modo que é presenteado aos parentes, amigos e colegas de trabalho. Por vezes, pode ser proibido em certas empresas, visto que a obrigatoriedade pode causar um certo desconforto emocional e financeiro devido aos japoneses se sentirem pressionados a oferecer e retribuir a generosidade;
  • Honmei Choco: considerado os chocolates dos sentimentos verdadeiros, é dado à pessoa que se ama, sendo essa uma parceira ou um interesse amoroso. Os confeitos desse gênero costumam possuir formatos elegantes do tipo gourmet e recheios diferentes, embora possa ser feito pelo próprio presenteador, de maneira a manifestar amor e carinho por meio do esforço e dedicação;
  • Gyaku Choco: é o “chocolate reverso” dado no Valentine’s Day (14 de fevereiro), ou seja, é quando o homem dá chocolates à mulher no dia dos namorados oficial. Essa é uma tradição ocidental que adentrou no Japão apenas recentemente, se tornando cada vez mais comum a iniciativa romântica da parte masculina no país;
  • Tomo Choco: uma versão mais incomum, porém que tem se tornado cada vez mais popular entre os japoneses é o “chocolate da amizade”, que diferentemente do Giri Choco e do Gyaku Choco, é ofertado entre pessoas do mesmo gênero. Assim, é dividido em Yuri Choco (a troca de chocolate entre mulheres) e Homo Choco (entre os homens). Lembrando que, apesar de ser presenteado no dia dos namorados, não simboliza um interesse ou sentimento romântico, é apenas uma forma de demonstração de afeição entre amigos;
  • Jiko Choco: um dos chocolates mais importantes e especiais da época, o Jiko Choco é aquele que as mulheres compram para si mesma, como forma de autocuidado e símbolo do amor próprio.

Para quem não conhecia essas tradições, pode parecer um tanto quanto complexo, porém, é mais simples do que se imagina, já que o ponto principal do dia dos namorados é a expressão do afeto, feito apenas com um pouco de cuidado e amor.

Há quem duvide da sobrevivência desta data (divulgação)

Curiosidade sobre essa data comemorativa
Infelizmente, com o passar dos anos, o dia dos namorados no Japão tem demonstrado queda nas vendas, apresentando uma diminuição da prática da tradição, isso porque é percebido que a data não apenas manifesta sentimentos, mas traz consigo a necessidade de gastar cada vez mais devido à obrigatoriedade dos presentes até mesmo a quem não se ama verdadeiramente.
O problema nessa questão não é o gasto com um ou dois chocolates e sim a infinidade quando se lembra dos parentes, amigos, chefes e até mesmo simples colegas de trabalho. Em contrapartida, ainda há a reflexão do Valentine’s Day no White Day, período em que aqueles que receberam devem mostrar gratidão, normalmente oferecendo presentes na cor branca, como marshmallow, bolo, chocolate, joias ou lenços, que costumam ser ainda mais caros que os produtos do dia 14 de fevereiro.
Dessa maneira, a data que surgiu do capitalismo e que se mostrou uma quebra de padrões da sociedade machista e uma forma de expressão dos sentimentos, tem se tornado um dia de pressão social e financeira, transformando o sentimento sincero em sinônimo de gastos e prejuízos.
Logo, há quem duvide da sobrevivência desse costume. Contudo, também há o velho ditado: “o amor derruba barreiras”, então, por que não acreditar que o dia dos namorados no Japão irá se manter e virar algo cada vez mais puro, verdadeiro e cheio de momentos celebrados apenas com jantares, encontros, conversas e, quem sabe, alguns presentes?
(Mariana Kisaki)

Comentários
Loading...