CULTURA E LAZER: Em novo endereço, 10º To-Sa Matsuri acerta no formato e atrai grande público ao Parque Ceret

Convidados presentes na cerimônia de abertura realizada no sábado (Aldo Shiguti)

Depois de oito edições realizadas no Parque da Água Branca, na zona Oeste de São Paulo, e uma – a nona – no Ginásio Mané Garrinha, na zona Sul, o To-Sa Matsuri Festival de Cultura Brasil-Japão chegou à zona Leste da Capital no último final de semana (6 e 7). Uma realização da Associação Cultural dos Provincianos de Kochi no Brasil e Comissão Organizadora – com apoio da Prefeitura da Cidade de São Paulo e da Secretaria de Esportes e Lazer (Seme) –, a décima edição teve como palco o Parque Ceret (Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador), no Jardim Anália Franco.
Como lembrou o diretor do espaço, Altair Guarita, foi a primeira vez que o Ceret recebeu um evento ligado à cultura japonesa. E, pelo jeito, não decepcionou. De acordo estimativas do coordenador Fabiano Shiokawa, “seguramente cerca de 30 mil pessoas passaram pelo local nos dois dias”.
Segundo ele, a mudança de ares fez bem para o To-Sa. Mas não foi o único fator que contribuiu para o sucesso que há tanto tempo o presidente do Kochi Kenjinkai, Arnaldo Katayama, aguardava tão ansiosamente e, enfim, pôde comemorar. “Saímos de um lugar e tivemos que mudar o formato”, disse Shiokawa, que agradeceu o vereador George Hato autor da emenda que possibilitou a realização do evento.
Para Fabiano, outros fatores contribuíram para que o evento fosse bem sucedido. “Estávamos na expectativa porque, além de ser o primeiro evento ligado à cultura japonesa no Ceret, a tendência é que perdêssemos um pouco daquele público que já estava acostumado a frequentar o Parque da Água Branca”, explicou Shiokawa, acrescentando que “felizmente tudo conspirou a favor”.
Durante os dois dias do evento, os moradores do Tatuapé, Vila Carrão, Vila Formosa e proximidades tiveram oportunidade de conhecerem um pouco mais sobre o Japão. Gastronomia, shows, desfile de cosplayers, taikô, artes marciais e até a Phoenix onagadori – uma raça de galos e galinhas cuja cauda pode atingir até seis metros de comprimento – foram algumas das atrações.

Walter Ihoshi com Arnaldo Katayama e Fabiano (Aldo Shiguti)

Abertura – A cerimônia de abertura contou com a celebração de um culto do budismo primordial e discursos de autoridades. Estiveram presentes a ex-deputada federal Keiko Ota, Olavo Kimura, do Bradesco, e o professor Mário Maeda, representando o secretário de Esportes e Lazer da Cidade de São Paulo, Thiago Milhim. Representando o vereador George Hato, Noemy Naomi Imaizumi leu uma mensagem do parlamentar destacando o avanço da vacinação na capital.
Quem apareceu por lá no domingo foi o atual presidente da Jucesp (Junta Comercial de São Paulo), Walter Ihoshi. Ele lembrou que acompanha o To-Sa Matsuri desde a sua primeira edição e que o tradicional evento deste ano só foi viabilizado graças ao empenho do presidente Arnaldo Katayama e do coordenador Fabiano Shiokawa, que não mediram esforços para realizar o festival.
“Eles estão de parabéns pela coragem de realizar um evento desta magnitude em um momento tão desafiador como esse, de retomada dos eventos presenciais. Acredito que, quem sai ganhando são os moradores da região que devem ganhar mais uma opção de lazer e entretenimento muito bacana com muita música, cultura e gastronomia do Japão”, disse Ihoshi.

Comentários
Loading...