Condecorados da Primavera e do Outono do 2º Ano da Era Reiwa recebem honrarias

Todos os homenageados com o cônsul Ryosuke Kuwana e representantes das entidades nikkeis (Aldo Shiguti)

Foi realizado no último dia 2, na Residência Oficial do Cônsul Geral do Japão em São Paulo, na zona Sul de São Paulo, Cerimônia de Outorga de Honrarias da Primavera e do Outono do 2º Ano da Era Reiwa a quatro personalidades (pela jurisdição de São Paulo): Tomio Katsuragawa, condecorado da Primavera de 2020 com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Prata; Anselmo Nakatani, condecorado da Primavera de 2020 com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro com Roseta; Sadao Kayano, condecorado do Outono de 2020 com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro e Prata e Hidenori Sakao, condecorado do Outono de 2020, com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro e Prata.
Estiveram presentes familiares e convidados dos homenageados, além dos representantes das cinco principais entidades nipo-brasileiras: o presidente da Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), Toshio Ichikawa; o presidente da Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), Paulo Saita; o presidente da Aliança Cultural Brasil-Japão, Eduardo Yoshida; o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, Toshifumi Murata; e o vice-presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Roberto Nishio (na ocasião representando o presidente da entidade, Renato Ishikawa).
O cônsul geral do Japão em São Paulo, Ryosuke Kuwana expressou seu mais profundo respeito e gratidão pelas contribuições dos homenageados durante muitas décadas em prol da prosperidade da comunidade nikkei, do desenvolvimento da sociedade brasileira e da ampliação dos laços de amizade entre o Japão e o Brasil. E parabenizou as famílias dos condecorados “pois o suporte e a companhia são fundamentais para todos”.

Pontes – Em seguida, fez um breve resumo dos homenageados, que em suas respectivas áreas dedicaram-se atenciosamente a construir pontes entre o Japão e o Brasil, “evidenciando como os nossos laços são múltiplos e próximos”.
Tomio Katsuragawa, como presidente da Associação Cultural e Esportiva da Saúde, realizou diversas atividades em prol da promoção da compreensão sobre a imigração e cultura japonesa, assim como da boa convivência e do intercâmbio entre a comunidade nikkei e a sociedade brasileira. Por ocasião do Centenário e dos 110 anos da Imigração Japonesa ao Brasil,, presidiu a Comissão Prêmio Kasato Maru destinada a homenagear pessoas físicas e jurídicas que tiveram seus méritos reconhecidos por sua atuação no intercâmbio nipo-brasileiro. Desde 2013, preside a Comissão Bunkyo Rural que, anualmente, promove encontros, reunindo agricultores nikkeis, fortalecendo o intercâmbio agrícola nipo-brasileiro.

Anselmo Nakatani foi, durante muitos anos, diretor-presidente da Furukawa Electric do Brasil e é considerado um economista representativo da comunidade nipo-brasileira. Com base em sua rica experiência no mundo dos negócios, ocupou a presidência da Aliança Cultural Brasil-Japão por duas gestões, totalizando 4 anos (de 2011 a 2015), promovendo melhorias nas instalações para o estudo da língua japonesa, a realização de atividades culturais e dedicando-se ao fortalecimento na divulgação de suas atividades institucionais. Além disso, faz análises e elucidações regulares sobre orientações de investimento no Brasil, a respeito dos panoramas da economia brasileira, acerca das diferenças nas formas de negociação entre Japão e Brasil e potencial da mão-de-obra nikkei, contribuindo grandemente para o aprofundamento das relações econômicas entre os dois países.
Sadao Kayano, como presidente do Nippon Country Club, ativou as atividades esportivas e socioculturais do clube, contribuindo para a melhoria da assistência à comunidade nipo-brasileira, difusão da cultura japonesa, integração com a sociedade brasileira e a promoção do intercâmbio entre o Japão e o Brasil. Empenhou-se com vigor para a modernização e a ampliação das instalações que possibilitou o aumento das atividades para os associados, fazendo com que o clube se desenvolvesse como uma entidade nikkei aberta para toda a sociedade brasileira. Ainda, quando ocupou o cargo de vice-presidente do Bunkyo, tomou a iniciativa voltada para adaptar o prédio às normas de segurança, contribuindo para a melhoria do ambiente a fim de que os associados pudessem utilizá-lo com tranquilidade.
E, finalmente, Hidenori Sakao que, após emigrar para o Brasil em 1956, trabalhou no Departamento de Assuntos Culturais e de Imprensa do Consulado Geral do Japão em São Paulo, além de ser especialista em música brasileira, letrista e compositor. Atuou também na rádio e na televisão e proferiu palestras, contribuindo para a promoção do intercâmbio cultural e a compreensão mútua entre o Japão e o Brasil através da música. Como funcionário do Consulado, na ocasião da visita do então Príncipe Herdeiro Naruhito ao Brasil em 1982, apresentou a música popular brasileira e tocou choro. Além disso, durante a visita da Esquadra de Treinamento da Força Marítima de Autodefesa do Japão, atuou como oficial de ligação no porto de Santos.

Inspiração – Ao finalizar sua apresentação, o cônsul Ryosuke Kuwana destacou que, “algumas breves palavras não fazem jus a imensa contribuição dos senhores nem podem descrever os grandes desafios que enfrentaram e superaram em suas longas trajetórias”. “Através de seus esforços extraordinários, integridade e história, os senhores são uma inspiração para a nossa sociedade e todas as pessoas que buscam enriquecer a relação nipo-brasileira.

Voluntariado – Em seu discurso de agradecimento, Tomio Katsuragawa disse que participou de “inúmeras cerimônias em que amigos e autoridades foram homenageados e jamais imaginei que um dia também seria condecorado”.
Ele citou o aprendizado que recebeu dos pais, Seiji e Mitsuko, e lembrou que sua vida de voluntário teve início quando seu filho, Eduardo, então com 4 anos de idade, começou a frequentar a escola de língua japonesa – já na Capital – e a professora o recrutou para representar a escola nas reuniões da diretoria na ACE Saúde. Desde então, foram quase 50 anos de voluntariado.
“Tenho consciência, senhor cônsul, de que muito maior que a condecoração, essa medalha traz o peso da responsabilidade de doravante continuar atuando ainda mais para o crescente progresso das instituições e para o desenvolvimento das relações bilaterais Brasil-Japão”, discursou Tomio Katsuragawa.

Muito especial – Ex-presidente da Furukawa do Brasil e ex-presidente da Aliança Cultural Brasil-Japão, Anselmo Nakatani agradeceu a honrosa condecoração concedida pelo governo japonês. “Procurei, após o anúncio muito feliz que recebi, alguma contribuição, por pequena que fosse, que possa ter conseguido realizar durante a minha vida em benefício de ambos os países”, disse Nakatani, lembrando que, “durante 4 anos em que presidiu a Aliança Cultural Brasil-Japão viu, com muita satisfação, que muitos alunos estudavam com afinco pelo método japonês Marugoto que introduzimos na Aliança”.
“Também conseguimos introduzir na nossa gestão, com recursos próprios, a sede da entidade, no bairro de Pinheiros, livrando-a das despesas de aluguel que onerou a instituição por tantos anos”, explicou, acrescentando que, “ao mesmo tempo em que atuei como presidente da subsidiária brasileira da Furukawa Electric do Japão, atuei também como diretor da Fiesp para acabar com a reserva de mercado para a informática e telecomunicações na Constituição de 1988, debatendo por vários anos com influentes membros”. Outro conquista foi ter indicado seu sucessor na Furukawa do Brasil, o engenheiro eletrônico Foad Shaikhzadeh, que atualmente também é o vice-presidente sênior corporativo da Furukawa Electric CO Japão.
Já Sadao Kayano destacou que a honraria é concedida pelo governo japonês para pessoas que trabalharam para o desenvolvimento do intercâmbio, cultural, social e de amizade entre o Japão e o Brasil. “Para nós é uma comenda muito importante, muito honrosa e, principalmente, sabendo que vem da Casa Imperial, de um significado muito especial”, afirmou Kayano, acrescentando que “vamos nos esforçar ainda mais para honrarmos essa comenda”. “Vamos estar sempre à altura desta honrosa distinção que nos é dada”, concluiu.

Urashima Taro – Ao Jornal Nippak, Hidenori Sakao explicou que o sentimento é de muita honra e gratidão. “Para mim, também foi uma surpresa porque durante toda a minha atuei nos bastidores e nunca esperava esse reconhecimento. Sinto-me como se, de repente, tivesse sido atirado para a plateia. Estou sem jeito”, admitiu Sakao, destacando que um de seus momentos mais marcantes foi ter feito a letra para o japonês do comercial da Varig que marcou época na televisão brasileira na década de 60 ao contar a saga do pescador Urashima Taro.
Após os discursos, Paulo Saita comandou o brinde.

Comentários
Loading...