COMISSÃO DE JOVENS DO BUNKYO: Em cerimônia com presença do embaixador do Japão, Rafael Pettersen assume 2º mandato; cônsul Akira Kusunoki se despede

Parte dos participantes da cerimônia de posse da Comissão de Jovens do Bunkyo, que mais uma vez terá à frente Rafael Pettersen na presidência (reprodução)

Em Cerimônia de Posse realizada no último dia 3 em formato online, tomou posse a nova diretoria da Comissão de Jovens do Bunkyo para a gestão 2021. Rafael Pettersen cumprirá mais um mandato à frente do Seinen. Ele é o segundo presidente a ser reconduzido ao cargo em 24 anos de história da Comissão. A primeira vez que isso ocorreu foi em 2007/2008, com Cláudio Kurita. Pettersen também é o terceiro não nikkei a presidir a Comissão, Antes dele vieram Luiz Fernando Silva, em 2006, e Eude Gomes Miranda, em 2014.
Durante a cerimônia, que contou com a presença ilustre do embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada, além do presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Renato Ishikawa, do cônsul geral adjunto do Japão em São Paulo, Akira Kusunoki, e do presidente da Fundação Kunito Miyasaka, Roberto Nishio, entre outros, foi prestado um minuto de silêncio em homenagem às vítimas da Covid-19.

Presidente Renato Ishikawa (reprodução)

Primeiro a falar, Renato Ishikawa lembrou que há um ano, “Rafael e sua equipe assumiram a Comissão em uma época que a pandemia atingia nosso país e o mundo”. “A partir de então, mudamos radicalmente a forma de atuação da nossa entidade, passando a realizar eventos online e a adotar o trabalho home office”, disse Ishikawa, acrescentando que “esta desafiante adaptação só não foi mais complicada porque tivemos a providencial ajuda dos jovens, entre eles os membros da Comissão de Jovens do Bunkyo”.
O presidente do Bunkyo destacou ainda a atuação da Comissão no projeto Cerejeiras do Futuro do Centro Esportivo Kokushikan Daigaku, em São Roque, e no movimento Água no Feijão, em conjunto com outras entidades nikkeis, entre elas a JCI Brasil-Japão, além de colaborarem também em diversas comissões do Bunkyo, como o Bunka Matsuri #em casa, o Fórum de Integração Bunkyo (FIB), e a Gastronomia, entre outras.

Campanha – Outra ação importante de cunho social destacada por Renato Ishikawa e que contou com a participação dos membros da Comissão de Jovens do Bunkyo foi a recente Campanha de Doação de Sangue realizada no último dia 9 em parceria com o Hospital Santa Cruz e o Banco de Sangue Paulista e que reuniu 123 doadores. “Uma ação extremamente louvável nesta época difícil”, elogiou Ishikawa, que finalizou seu discurso afirmando esperar que os jovens continuem comprometidos cada vez mais com o fortalecimento da nossa entidade”.

Embaixador Akira Yamada (reprodução)

Embaixador – Já o embaixador Akira Yamada explicou que a comunidade nikkei do Brasil, formada por cerca de 2 milhões de pessoas, é a base das relações amigáveis entre o Brasil e o Japão. “E os membros da Comissão de Jovens do Bunkyo são parte importante para o futuro da comunidade nikkei”, afirmou Yamada, acrescentando que “seria ótimo se a geração mais jovem pudesse tomar a inciativa de se engajar na continuidade das relações de herança da cultura japonesa envolvendo não só os nikkeis mas também os não nikkeis”.
Ele ressaltou que, como embaixador, vai continuar trabalhando para o desenvolvimento das relações nipo-brasileiras e cooperando o tanto quanto for possível com as atividades dos jovens líderes que levarão a comunidade nikkei para o futuro”.

Cônsul Akira Kusunoki (reprodução)

Despedida – O cônsul adjunto Akira Kusunoki aproveitou a oportunidade para manifestar sua gratidão aos pioneiros japoneses e lembrou que, “há anos, essa mesma comunidade vem refletindo sobre a atuação dos jovens e sobre a questão da preservação das associações em todo o Brasil”. “Acredito que, neste contexto, a atuação dos jovens mostra que é possível envolver a juventude nas atividades da comunidade de forma bastante saudável e ativa. E o Seinen Bunkyo vem desenvolvendo ações em várias frentes, desde a divulgação da cultura japonesa até as atividades de assistência social”.
Por fim, Kusunoki revelou que recebeu uma ordem de transferência e que em maio deste ano estará deixando São Paulo para assumir um novo posto nas Ilhas Canárias (arquipélagos da Espanha localizadas ao lado da África, perto do Saara e do Marrocos). “Tive o privilégio de trabalhar em São Paulo em duas ocasiões, onde fui abençoado com muitas amizades e pude trabalhar com plenitude. O caloroso apoio que recebi da comunidade nipo-brasileira de São Paulo é algo inesquecível, que guardarei para sempre dentro de mim”, revelou Kusunoki.

Roberto Nishio (reprodução)

Representando todos os apoiadores e patrocinadores, Roberto Nishio destacou que, na convivência com o jovens, “os mais veteranos ganharam muito mais que ofereceram”. “Ganhamos em ideias inovadoras, em energia e em motivação. E nesta época de isolamento social, na impossibilidade de encontros presenciais, aprendemos o uso da moderna tecnologia”, explicou, lembrando que a Comissão de Jovens do Bunkyo foi criada em 1997, tendo como, primeiro presidente Marcelo Hideshima.

Reconhecimento – Segundo Nishio, a atuação da Comissão não se limita apenas em trabalhos de apoio ao Bunkyo. “Com constância, vemos seus membros em ações e eventos de outras associações, em especial de entidades assistenciais da comunidade nipo-brasileira, levando-lhes solidariedade”, disse, afirmando que a relevância da atuação da Comissão já foi reconhecida até pelo Consulado Geral do Japão, que em 2015, quando da celebração de seus 100 anos de estabelecimento, lhe conferiu um diploma de honra ao mérito”.

Marcelo Hideshima (reprodução)

Primeiro presidente da Comissão de Jovens do Bunkyo e atual presidente do Comitê Jovem – além de 3º vice-presidente da entidade –, Marcelo Hideshima fez questão de citar o nome de suas pessoas que tiveram participação fundamental para a viabilização da Comissão: Atushi Yamauchi – que presidiu o Bunkyo de 1991 a 1999 – e Toyohiro Shimura, um de seus vices e que veio a falecer em 2017.

Primeiros passos – “Graças ao apoio incondicional de ambos tivemos a oportunidade e o privilégio de iniciar os primeiros passos desta Comissão”, disse, explicando que, para tal, foi fundamental consolidar o planejamento estratégico feito para os primeiros cinco anos. Hideshima também destacou dois eventos importantes para a consolidação da Comissão nos dois primeiros anos de vida: a recepção ao casal imperial do Japão – hoje imperador e imperatriz eméritos – no Ginásio do Ibirapuera, em 1997, e a coordenação da ala jovem responsável pelos preparativos dos 90 anos da imigração japonesa no Brasil, em 1998.

Nikkei de coração – Hideshima disse que o papel da Comissão de Jovens do Bunkyo é de grande importância e relevância para o futuro do Bunkyo. “E que continue sendo a porta de entrada para os mais jovens participarem e desenvolverem suas habilidades, praticando a liderança e o espírito do trabalho em equipe, a criatividade e a iniciativa, sempre compartilhando os conhecimentos, experiências e aprendizados, em um ambiente seguro e harmonioso com outros companheiros e sempre fazendo o bem ao próximo”, comentou Hideshima, que parabenizou Rafael Pettersen “um nikkei de coração e que tem muita admiração pela cultura japonesa”.
Aos demais membros, pediu que aproveitem o momento e cada experiência. “Tenho certeza qaue será fundamental para a formação de cada um e fará uma grande diferença na vida de vocês porque participar do Bunkyo é fazer muito mais pela coletividade em um momento que o Brasil precisa de exemplos positivos”.

Rafael Pettersen (reprodução)

Destino – Em seu discurso, Rafael Pettersen agradeceu a presença das autoridades, dos membros da Comissão e dos amigos. Lembrou quem, em julho de 2018, na celebração dos 110 anos da imigração japonesa no Brasil, “se encerrava um ciclo que foi muito importante na minha caminhada e após quase 6 anos, decidi deixar a equipe de coordenadores de voluntários do Festival do Japão”. Ainda em julho deste mesmo ano, conta que também decidiu deixar a Comissão de Jovens do Bunkyo e como o “destino” mudaria seus planos em janeiro de 2019 depois de uma reunião com então recém presidente eleito, Seigo Matsumoto, “que estava para assumir a gestão e me convidou para um chá, sem pretensão alguma”.
Até que em dezembro de 2019 fui eleito em assembleia como presidente da gestão de 2020. E no dia seguinte à cerimônia de posse, “veio o anúncio da pandemia, lockdown”.
Desta vez, Rafael explica que a Comissão planejou sua atuação em 2021 tendo em vista “dois cenários possíveis”: com um retorno gradual das atividades e a continuidade da programação online.
“Em 2020 tivemos no primeiro momento o choque da pandemia e a expectativa de retomar em breve as atividades presenciais. Além de termos de passar pelo processo de adaptação de todas as atividades. Hoje já estamos mais acostumados com o cenário virtual e mais preparados para atuar nessa situação de pandemia. Juntando assim toda a bagagem de projetos e matsuris que já tínhamos no modo presencial com tudo o que aprendemos em 2020”, explica, afirmando que “ser voluntário não é uma jornada fácil”.
“É conciliar trabalho, estudos, família e ainda ter tempo para desenvolver e acompanhar projetos, passar finais de semanas inteiros em matsuris, dormindo tarde e acordando cedo…E quando se trata de uma posição de liderança, acompanhar se seu time está bem, se todos os projetos estão em ordem, montar relatórios, apresentar balanço de atividades”, diz, acrescentando que “mas ser voluntário é se superar a cada dia, aprender coisas novas, criar laços, dar muitas, mas muitas risadas”.
“E ser voluntário da Comissão de Jovens, é sem dúvida nenhuma tudo isso, somado a sensação de fazer parte de uma grande e heterogênea família”, conta Rafael, destacando que 2021, chega repleto de incertezas. “Mas sei que esse ano estamos ainda mais fortes e faremos uma gestão ainda mais incrível”, finaliza ele, lembrando que no dia 9 a Comissão teve sua primeira ação em 2021 com a participação na campanha de doação de sangue. “O objetivo era alcançar 60 doadores para viabilizar a realização da campanha, alcançamos 122 agendamentos de doadores e no dia tivemos um efetivo de 123 doadores”, comemora Rafael.

Comentários
Loading...