Cemitério em Tóquio terá Memorial para armazenar cinzas de brasileiros

Memorial poderá abrigar até 200 urnas; inauguração está prevista para o dia 15 de abril deste ano (reprodução)

Previsto para ser inaugurado em abril deste ano, o Memorial Restart Community pode contribuir amenizar uma das maiores preocupações da comunidade brasileira que vive no Japão e que em 2020 completou 30 anos desde que a Lei de Imigração Japonesa foi alterada possibilitando os brasileiros de ascendência japonesa estabelecerem-se no Japão. De lá para cá, um dos principais problemas que tem afligido quem vive no país e que ainda é motivo de tabu é a questão do envelhecimento desta comunidade. “Acredito que até mesmo essa pandemia que estamos vivendo deu uma grande lição para todos nós, fazendo com que a gente dê mais valor à vida”, conta Hidekishi Hashimoto, presidente da Brazilian Business Group e vice-presidente da NPO Brasil Solidário Yokohama. “Eu, particularmente, passei a valorizar mais esse lado espiritual”, explica Hashimoto, acrescentando que a morte é uma questão muito delicada e, por isso mesmo poucas pessoas costumam falar sobre o assunto.
Foi pensando nisso que o presidente da ONG Nihon Kaigai Kyokai, Takaharu Hayashi, decidiu investir cerca de US$ 80 mil no memorial para abrigar cinzas de estrangeiros residentes no Japão. Localizado na cidade de Hachiouji, dentro do cemitério de Tama Hachiouji Rein – distante cerca de 30 km de Tóquio – o memorial deve abrigar cerca de 200 urnas medindo 3×2 metros. A ideia é que as urnas abriguem as cinzas de brasileiros e estrangeiros que vivem no Japão, além de brasileiros que gostariam de armazenar as cinzas de entes queridos falecidos no Brasil.
O convênio entre o projeto Restart Community e o cemitério de Hachioji foi firmado no início de 2020 como um dos projetos para se “repensar” os 30 anos da comunidade brasileira no Japão”. Todo feito em pedras, o projeto do Memorial é assinado pelo artista plástico Yoshihiko Tsutsumi.
Hashimoto, que também é voluntário da ONG, explica que a atual legislação japonesa sobre cremação estabelece regras quanto à destinação das cinzas de um ente querido. “No Japão não se pode guardar em casa nem atirá-las em qualquer lugar”, diz ele, acrescentando que muitos crematórios japoneses têm seus próprios memoriais. “Mas muitos brasileiros acabam sendo sepultados como indigentes”, observa, explicando que a ideia é oferecer dignidade para famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade.

Centro de Apoio – “Para quem tem condições, será cobrado 40 mil ienes, mas para quem não tem será totalmente gratuito”, afirma Hashimoto, antecipando que, futuramente, um projeto semelhante pode ser construído no Brasil. Segundo ele, o objetivo de criar um jazigo coletivo para armazenar as cinzas de brasileiros e estrangeiros, é justamente o de oferecer um serviço a um custo acessível, inferior ao valor médio de um funeral japonês – “que, facilmente costuma passar de um milhão de ienes”.

Centro de Apoio – O Memorial não é o único projeto idealizado por Takaharu Hayashi com o intuito de ajudar brasileiros e estrangeiros que vivem no Japão.
Lançado oficialmente em julho do ano passado, o Centro de Apoio Restart Community ocupa 50 salas do World Plaza, em Oizumi. Além de 30 moradias, o local oferece também atendimentos médicos e jurídicos e prestação de serviços. O objetivo é amparar os brasileiros que estejam enfrentando dificuldades e oferecer a eles o suporte e a qualificação necessários para que possam se recuperar e ampliar suas oportunidades de trabalho e de ascensão social.

Parceria – Segundo Hashimoto, Takaharu Hayashi investiu cerca de US$ 300 mil no projeto. Desde que foi inaugurado, explica Hashimoto, já passaram pelo espaço mais de 80 pessoas – incluindo muitas famílias – a maioria com mais de 50 anos de idade e com dificuldades para conseguir recolocação no mercado de trabalho. “Já estamos em conversas com associações aqui no Brasil para uma eventual parceria que possa trazer de volta e abrigar essas pessoas”, conta Hashimoto.
Mais informações sobre o Memorial podem ser obtidas pelo e-mail: info@nihon-kaigaikyoukai.com ou nihon-kaigaikyoukai.com

Comentários
Loading...