Brasileiros brilhando no exterior

Marcos Yamada com o mesa-tenista Gustavo Tsuboi (arquivo pessoal)

Quando comecei a praticar tênis de mesa, na década de 70, me lembro bem, que essa foi uma das piores fases do Brasil no cenário internacional, pois éramos 40º no mundo, somente com a hegemonia na América Latina.
Para quem já havia sido 6º do mundo na década de 60, com Biriba, Betinho, Ivan e Jacques o quadro era triste e desmotivante para a modalidade. Poucas atletas na área feminina, tanto que a Emiko Takatatsu participou no Campeonato Paulista Divisão Geral no Adulto Masculino e foi campeã individual entre os homens. Este era o nível técnico do Brasil.
Em 1983, no Campeonato Mundial de Tóquio, fomos campeões da 3ª divisão no masculino, ficamos em 33º no mundo, foi um grande resultado e divisor de águas.
Em 1984, com a entrada no comando do jovem presidente na Confederação Brasileira, Dr Alaor Gaspar Pinto Azevedo (29 anos), natural de Itajubá (MG) e radicado no Rio de Janeiro, como “Start” criando o 1º Mundialito no RJ, realizando planos visionários e ousados que começaram a ser arquitetados, trouxeram hoje, grandes resultados tais como: temos um atleta, Hugo Calderano, que é 6º no ranking Mundial e por duas vezes quase conquistamos uma medalha em Mundiais, com Cazuo Matsumoto e Thiago Monteiro (duplas em 2015-China), onde perdemos de 4×3 e por equipes com Hugo Calderano, Gustavo Tsuboi, Eric Jouti e Vitor Ishiy (equipes em 2018-Suecia).
O calendário internacional segue nesta pandemia, com seus eventos cheios de protocolos, bolhas (quarentena) e constante testes da Covid-19..
Em Doha, no aberto do Qatar, realizado em dois torneios de 28 fev a 13 mar 2021, resultados expressivos mostram para o mesa-tenismo mundial que os brasileiros agora não se limitam somente em participar, mas sim conquistando resultados expressivos.
Veja alguns deles:
Vitor Ishiy 3×1 Eugene Wang (CAN), Vitor Ishiy 3×1 Lubomir Pistej (SVK), Hugo Calderano 3×1 Gustavo Tsuboi, Hugo Calderano 3×1 Jaehyun An (KOR), Thiago Monteiro 3×2 Anders Lind (DEN), Thiago Monteiro 3×1 Alexander Karakasevic (SER), Gustavo Tsuboi 3×1 Jonathan Groth (DEN), Bruna Takahashi 3×2 Melanie Diaz (PUR), Bruna Takahashi 3×1 Bernardette Szocs (ROM), Gustavo Tsuboi 3×0 Koki Niwa (JPN), Hugo Calderano 3×0 Daeseong Cho (KOR), mais informações no site da Federação Internacional ITTF.com.
Quem acompanha o tênis de mesa, sabem o valor destes atletas acima citados e derrotados pelos nossos.
Os demais continuam também na luta em 2021, com Caroline Kumahara e Humberto Manhani, jogando na Espanha, Carlos Ishida, Rafael Turrini, Guilherme Teodoro e Leonardo Iizuka na Alemanha e Jessica Yamada na Suécia e Espanha.

Comentários
Loading...