BONECAS KOKESHI: A mistura entre a tradição e a modernidade em brinquedos fortemente simbólicos

Bonecas Kokeshi tiveram suas primeiras aparições no século 19 (divulgação)

Famosas por suas cabeças arredondadas e corpos cilíndricos, as bonecas kokeshi são os souvenirs mais adquiridos em eventos e bairros orientais, uma vez que carregam consigo mais que o conceito de brincadeira; uma questão de tradição e cultura representadas em seus formatos, cores e pinturas.
No passado, esses objetos eram desejados por diversas crianças que se divertiam e brincavam entre si, trazendo a crença de que esse ato proporcionava boa sorte e fertilidade à colheita, já que os deuses da natureza se contentavam com a alegria dos pequenos que se entretinham com elementos de matérias naturais. Apesar disso, como muitos hábitos que têm sumido devido à modernidade e à tecnologia, até mesmo a preferência por esses brinquedos tem se alterado para a distração com celulares e vídeo games.
De qualquer modo, a história das bonecas kokeshi carrega tanto significado que provavelmente essa será uma tradição que dificilmente desaparecerá, se mantendo no mundo a partir da crença e do amor pela cultura japonesa.

Origem das bonecas kokeshi
As bonecas kokeshi tiveram suas primeiras aparições no século XIX, na região de Tohoku, especificamente criadas para serem vendidas e oferecidas como lembrancinhas e brinquedos em resorts de onsen (温泉,água termal). Logo em seus primórdios, sua existência possuía significado espiritual, simbolizando a alma de uma criança ou mesmo o desejo por gestações e bebês saudáveis, funcionando como um tipo de amuleto protetor contra maus espíritos e infortúnios.
A princípio, eram elaboradas pelos kijishi (marceneiros japoneses qualificados em desenvolver kokeshi) a partir de sobras de madeiras — descansadas ao ar livre por cerca de cinco anos —, apresentando estruturas básicas como o corpo cilíndrico sem braços e pernas, cabeça grande arredondada, traços finos, estampas florais, pintura nas cores vermelho, preto ou dourado e assinatura do artesão na parte inferior do objeto. Características que, com o passar do tempo e popularização do produto, foram se modificando de acordo com a personalidade do povo de cada província, remodelando suas feições, formas e ilustrações.
O nome “kokeshi” também guarda em si uma complexa simbologia analisada a partir do desmembramento da palavra, pois “ko” pode estar relacionado à criança, madeira ou pequeno, enquanto que “keshi” pode significar papoula ou boneca, formando “boneca de madeira” ou “papoula pequena”, duas interpretações aceitas entre os japoneses.
Assim, tendo sua criação associada à benção dos Deuses e Espíritos da Montanha, as bonecas kokeshi possuem grande admiração, da mesma forma que outros talismãs, como: Daruma, omamori e Maneki Neko (gato da sorte), consideração que somente fortes elementos são capazes de conquistar.

Tipos
O tempo e as culturas de cada região japonesa, proporcionaram formatos, cores, tamanhos e pinturas variadas às bonecas kokeshi, de maneira que a tradição local se mostra presente em cada estrutura, sendo de fácil reconhecimento e distinção.
Normalmente, ao citar esses amuletos de Tohoku é mais comum observar o tipo tradicional, conhecido por Dento, isso porque sua forma de confecção é transmitida de geração à geração, garantindo que não haja alteração no estilo original, composto por corpo estreito alongado, traços finos e suas cores básicas: vermelho, preto e dourado. A partir de então é evitada a extinção desse modelo que, na maioria das vezes, tem perdido espaço para os exemplares atuais, chamados de Shingata ou criativo.
A diferença das kokeshis criativas, surgidas após a 2ª Guerra Mundial, para suas ancestrais está em seus formatos cada vez mais orgânicos que dão uma aparência fofa, já que seus corpos são menores e mais redondos, há a elaboração de cabelo, rostos com expressões simpáticas, braços desenhados ou projetados, quimonos diferentes e aplicação de cores mais vivas. Assim são as bonecas que têm capturado o coração de turistas e países ocidentais que fabricam novas peças inspiradas no modelo Shingata, livre de padrões e simbólico de um modo particular.

Significados
O notório significado das bonecas kokeshi sempre terá um pé mais próximo à teoria de amuletos capazes de proteger as crianças, gestantes e recém-nascidos de acidentes e maus espíritos, contudo há muito mais por trás de toda sua criação, havendo também quem diga que é fundamental para a segurança contra incêndios, pois a madeira comum utilizada para a cabeça é bastante úmida, sendo denominada de Mizuki (traduzido por “árvore d’água”).
Outros conceitos desse talismã estão associados às suas cores e ilustrações, como por exemplo:

  • Amarelo ou crisântemo: alegria. Além de longevidade, expressa pela pintura da flor;
  • Lilás ou ameixas: beleza;
  • Peônias: prosperidade;
  • Flor de cerejeira: renovação;
  • Camélias: amor e esperança;
  • Vermelho: sucesso;
  • Azul: inteligência;
  • Verde: liberdade;
  • Rosa: delicadeza;
  • Preto: modernidade;
  • Branco: paz e calmaria.

Não bastando todas essas interpretações, as bonecas kokeshi ainda são grandes representações de amizade e conexões, devido ao orifício localizado em seu interior, onde pode ser inserida uma mensagem de bons presságios e presenteada a qualquer pessoa, independentemente da sua idade ou condição relacionada à gravidez. Visto que se acredita que esse tipo de amuleto oferece boa sorte e energias positivas a todos que o tenham.

Relação entre as bonecas kokeshi e o infanticídio
No livro Looking for the Lost (Procurando os Perdidos) de Alan Booth, o autor cria uma teoria afirmando que as bonecas kokeshi são projeções surgidas devido ao infanticídio que ocorria com frequência até o século XX. Essa hipótese foi tomada a partir da ideia de que a palavra se assemelhava à “Eliminação de crianças”, pois “ko” tem relação com “crianças” e “kesu” significa “se livrar”, assim o escritor acreditava que esses objetos eram confeccionados como forma de diminuir os seus pecados e substituir o bebê que era morto por nascer com deformações, possuir um gêmeo ou simplesmente não haver como os pais criarem.
Além dessas questões, há quem diga que a morte de um filho era decidida como planejamento familiar, já que até 1999 não havia aprovação da venda de anticoncepcionais no Japão.
Apesar disso, nenhuma dessas suposições são realmente aceitas, uma vez que seu início é localizado em resorts de onsen com intuitos de venda. Então o que resta é não ignorar o passado, mas continuar crendo que as bonecas kokeshi são amuletos que vieram para o bem, carregando consigo bons presságios para proteção e sorte.
(Mariana Kisaki)

Comentários
Loading...