Bodião-Azul

Scarus coeruleus

Por: Marcelo Szpilman

Coloração: adulto – corpo azul-escuro a azul-esverdeado com a região da cabeça acinzentada. Placas de dentes brancos.

Jovem: Corpo azulado com a parte basal das escamas rosada, parte superior da cabeça amarelada e uma faixa transversal rosada na região abaixo da maxila inferior.

Características: corpo alongado, moderadamente alto e um pouco comprimido lateralmente. Nos adultos o perfil do focinho (acima da boca) tende a ser mais vertical. Nos grandes espécimes (às vezes sómente nos machos) esse perfil é claramente vertical (o dorso e o focinho formam um ângulo reto). Como ocorre em todas as espécies do gênero Scarus: ambas maxilas apresentam placas de dentes fusionados com as margens crenuladas que formam um bico-de-papagaio, porém a placa superior se encaixa por fora da inferior quando a boca está fechada. Caudal truncada. Nos adultos os lobos superior e inferior tornam-se alongados.
Ocorrência: nas águas tropicais do Atlântico ocidental. No Brasil, ocorrem do Nordeste ao Sudeste.

Habitat: nectônicos costeiros de águas rasas, vivem preferencialmente em fundos coralinos.

Hábitos: são encontrados solitários ou em pequenos grupos nadando por entre as formações do fundo. Alimentam-se de algas bentônicas e pólipos de coral, que raspam do substrato com seus fortes dentes, e de invertebrados que vivem na areia. À noite, escondem-se dentro de tocas e secretam um muco transparente que forma uma capa protetora, dormindo dentro de um verdadeiro “casulo” que é rompido na manhã seguinte. Formam grandes agregações nas épocas de desova. Os ovos têm forma alongada (fusiforme).

Captura: sua carne é considerada de boa qualidade, porém não possui valor comercial. São capturados basicamente através de armadilhas e pelos pescadores submarinos. Existem relatos de casos de intoxicação ciguatera após o consumo de grandes exemplares. Ariscos, mantêm sempre uma distância segura dos mergulhadores.

Outros nomes vulgares: Bodiano, bodião, budião, papagaio-azul.

*Marcelo Szpilman, biólogo marinho formado pela UFRJ, com Pós-graduação Executiva em Meio Ambiente (MBE) pela COPPE/UFRJ, é autor dos livros Guia Aqualung de Peixes (1991) e de sua versão ampliada em inglês Aqualung Guide to Fishes (1992), Seres Marinhos Perigosos (1998), Peixes Marinhos do Brasil (2000) e Tubarões no Brasil (2004). Diretor-presidente do Aquário Marinho do Rio de Janeiro, membro do Conselho da Cidade do Rio de Janeiro (área de Meio Ambiente e Sustentabilidade) e colunista do site Green Nation.

Comentários
Loading...