BEAUTY FAIR: Com ‘Reencontro’, 16ª Feira Internacional de Beleza Profissional marca retomada dos negócios do setor

Hirofumi Ikesaki passeia pelos corredores da Beauty Fair com o cônsul Ryosuke Kuwana (Aldo Shiguti)

Mais do que a retomada do mercado de beleza, o grande foco da 16ª Beauty Fair – Feira Internacional de Beleza Profissional, evento realizado de 20 a 23 no Expo Center Norte, em São Paulo, foi a volta da perspectiva, a volta de sonhar e a volta de poder acreditar em projetos novamente. A declaração foi dada pelo diretor superintendente da feira, Cesar Tsukuda, no sábado (20), durante a cerimônia de abertura que contou com a presença de autoridades, entre eles o cônsul geral do Japão em São Paulo, Ryosuke Kuwana; e convidados como o presidente da Associação Comercial de São Paulo, Alfredo Cotait Neto e sua esposa, a presidente do Conselho da Mulher Empreendedora e da Cultura (CMEC) da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo), Ana Claudia Badra Cotait e o presidente da Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo), Walter Ihoshi.
Estiveram presentes também lideranças da comunidade nipo-brasileira, como o presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Renato Ishikawa; representantes do setor, como o presidente da Associação Brasileira dos Salões de Beleza, José Augusto Nascimento; o presidente do Sindicato Pró-Beleza, Márcio Michelasi e de políticos como o vereador Rodrigo Goulart (PSD), além do general de brigada Edson Hiroshi.
Setor que conta com mais de 2,2 milhões de profissionais, mais de 1 milhão de salões de beleza, entre formais e informais e que emprega milhares de pessoas, o segmento de beleza no Brasil é o quarto maior mercado do mundo, atrás apenas de EUA – China e Japão –e está disposto a assumir a liderança, se depender do discurso do presidente de honra e fundador do Grupo Ikesaki, Hirofumi Ikesaki.

Rumo à liderança – “Vamos trabalhar para o desenvolvimento do setor de beleza. Para frente e para o alto, para atingirmos a liderança mundial de beleza iremos juntos, de mãos dadas”, disse o empresário, explicando que, “anualmente, a Beauty Fair é sempre realizada no final de agosto e início de setembro, mas este ano prorrogamos para novembro por causa das restrições da pandemia”. “Muitas empresas nacionais e internacionais não puderam participar pois estão proibidas e estão aguardando a passagem completa deste vírus”, informou Ikesaki, destacando que, apesar disso, a feira este ano reuniu mais de 1500 marcas e cerca de 500 expositores, ratificando sua condição de maior evento do setor nas Américas e o segundo maior do mundo – atrás apenas da Cosmoprof Worldwide Bologna (Itália).

Protagonismo – Para Ikesaki, apesar das dificuldades que o país atravessa, “este é o momento de cada empresário não desanimar, não recuar, mas sim de criar oportunidades, aumentar o ritmo de trabalho e buscar soluções, pois trabalhamos para o bem estar e autoestima das pessoas”.
Já o diretor superintendente da Beauty Fair, César Tsukuda, lembrou que a última edição da feira foi realizada em 2019 e que acredita na força e resiliência do empresário brasileiro e do mercado de beleza. “Agora é a hora de assumirmos a liderança do mercado e nos tornamos protagonistas do que a gente quer para o futuro do mercado de beleza”, ressaltou Tsukuda, afirmando que “é nosso compromisso e nossa obrigação tomarmos as rédeas do setor e fazer com que ele retome com força para que a gente possa ser uma das alavancas do crescimento da economia do Brasil”.
Para Tsukuida, o setor precisa estar “preponderante” e “fazer as coisas acontecerem”. “Não tenho a menor dúvida que nesta pandemia sugiram novas ideias, novos produtos e novos serviços que vão mudar a história do mundo”, destacou o diretor, acrescentando que a pandemia trouxe lições importantes. Valorizar momentos simples da vida e agradecer a cada momento por estar ao lado de pessoas que a gente gosta são algumas delas.

Autoestima – E, mais uma vez, disse ter certeza que que o mercado de beleza será determinante para a retomada da economia do pais. “Muito mais que números, o mercado de beleza é responsável por um fator que, na minha opinião, é determinante para a retomada e esse fator é a autoestima. Todo homem e toda mulher quando saem do salão de beleza, quando se embelezam, se sentem bem e são capazes de transformarem seus negócios, são capazes de mudarem um negócio em dificuldade para um bom negócio”, garantiu Tsukuda, afirmando que “a importância do setor de beleza é muito mais do que produtos e serviços”. “Ele está diretamente ligado à retomada da economia, ele está diretamente ligado ao bem estar e ao estilo de cada uma das pessoas que constrói o Brasil”, disse ele, explicando que, “mais do que [discursos de] esquerda e direita, o país precisa discutir um projeto para os nossos filhos e para os nossos netos”. E finalizou agradecendo as as empresas e marcas que, apesar de todas as dificuldades, acreditaram neste evento em especial.
“Cada um de vocês expositores está sendo protagonista não só da retomada do setor de beleza. Mas protagonistas da economia e porque não dizer, do país e do mundo”, discursou Cesar Tsukuda.

Bola da felicidade – Após a cerimônia que tradicionalmente marca a abertura da Beauty Fair, com a quebra do barril de saquê, a abertura da bola da felicidade e a passagem pelo torii, os convidados percorreram os corredores da feira. Ao final, o cônsul geram do Japão em São Paulo, Ryoskue Kuwana, se mostrou surpreso com a dimensão do evento.
“Nunca imaginei que em São Paulo pudesse ter uma feira de beleza deste tamanho. Estou realmente muito impressionado e o senhor Ikesaki ainda me disse que este ano a feira está 30% menor que as edições anteriores por conta da pandemia, mas mesmo assim fiquei impressionado”, disse o cônsul à reportagem do Jornal Nippak.

Comentários
Loading...