ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE GASTRONOMIA JAPONESA: Nova diretoria quer unir e fortalecer segmentos da gastronomia japonesa

Marcelo Shiraishi (centro), com Takaaki Yasumoto, Simone Xirata e Alexandre Fukada (Aldo Shiguti)

A Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) realiza na próxima segunda-feira (25), no Buffet Colonial, em Moema (zona Sul de São Paulo), o 1º Encontro de Empresários da Gastronomia Japonesa. O evento, que conta com apoio da Associação Brasileira de Gastronomia Japonesa (ABGJ) e do Buffet Colonial, terá palestras com o chef Edson Yamashita, que vai falar sobre o Sucesso do Restaurante Ryo com 2 Estrelas Michelin; a empresária Chieko Aoki, CEO da rede de hotéis Blue Tree, referência em hospitalidade no setor hoteleiro e Luis Hirata, do Restaurante Tatá Sushi e o case de sucesso de sua operação de delivery durante a pandemia. André Saburó, do Restaurante Quina do Futura, vai participar de uma Tuna Experience e abrir um atum na presença dos convidados.
O evento marca também o início das atividades da nova diretoria da ABGJ, que tomou posse no dia 15 de maio deste ano. Sucessor de Flávio Nakaoka na presidência da entidade, Marcelo Shiraishi, do Aizomê, comandará, pelos próximos quatro anos, uma equipe enxuta, mas formada por pessoas que atuam na área: Simone Akemi Xirata Murahara, do Jojo Ramen (1ª vice-presidente); Takaaki Yasumoto, do Yakitori (secretário) e Alexandre Fukada, do Oazi (1º tesoureiro).
Shiraishi disse que o evento desta segunda – que será somente para convidados – vem de encontro aos objetivos da ABGJ, entidade fundada em 2017 com o intuito de manter as raízes e a cultura japonesa através da arte da gastronomia. “A ideia é trabalhar com a cadeia toda que que envolve o setor, desde a produção de insumos até a distribuição”, conta Shiraishi, que espera trazer o maior número de pessoas que trabalham com a gastronomia japonesa.

Objetivos – Além de unificar e fortalecer os segmentos de bares e restaurantes que trabalham com a gastronomia japonesa, a nova diretoria da ABGJ pretende também se relacionar com toda a cadeia de suprimentos que atua na gastronomia japonesa; possuir forte relacionamento com as associações que representam a gastronomia como um todo, de forma a oferecer ajuda e benefícios aos membros da associação e se relacionar com entidades e órgãos governamentais do Japão, como a Jetro e a Jica, com o intuito de promover um intercâmbio entre os membros da associação.

Desafios – Para Simone Xirata, um dos grandes desafios da entidade será “reunir os vários setores que trabalham com gastronomia japonesa e compartilhar conhecimentos e informações”. Segundo ela, até hoje nenhuma associação cumpre esse papel, de “ouvir e compartilhar os problemas”.
Takaaki e Alexandre concordam e explicam que a intenção é “agregar experiências e crescer aos poucos”. Marcelo Shiraishi sabe, no entanto, que o que não cabe à ABGJ é a tarefa de falar o que está certo ou errado em termos de gastronomia.
“Temos aqui um rico tesouro que é a culinária que possui o ‘aji’ dos imigrantes e isso é um patrimônio do nosso país”, destaca, acrescentando que, futuramente também está nos planos da ABGJ promover eventos anuais para divulgar a culinária japonesa.

Comentários
Loading...