Associação Brasil Nippo é fundada para levar apoio e informação à comunidade nikkei

O “founder” da Associação Brasil Nippo, Takaharu Hayashi, lembrou fatos que marcaram sua passagem (Aldo Shiguti)

Em um mundo cada vez mais dinâmico, é natural que mudanças venham para otimizar as necessidades das pessoas. Na comunidade não é diferente. Com essa premissa, um grande passo foi dado na última sexta-feira (29), no bairro da Liberdade, com a fundação da Associação Brasil Nippo, entidade cujo intuito principal é promover o intercâmbio social e cultural entre o Brasil e o Japão e apoiar a comunidade japonesa e nikkei no Brasil.
Na prática, a mudança apresentada será, primariamente, com o lançamento de novos jornais. Neste novo planejamento, a ideia é justamente oferecer uma fonte de informação de qualidade para a comunidade nipo-brasileira.

O diretor presidente Tadao Ebihara foi homenageado por Aurélio Nomura (Aldo Shiguti)

O diretor presidente da entidade, Tadao Ebihara, explica que veículos de comunicação sempre foram um meio tradicional de contato e apoio entre a comunidade. Para ele, a Associação tem o desafio de melhorar a forma como a comunidade Nikkei receber notícias hoje.
Entre os objetivos da nova associação está o de fortalecer e ampliar o alcance de quem depende de notícias escritas em japonês. A ideia é justamente criar um novo jornal japonês e investir em novos canais de notícias que contemplem matérias escritas em português, abrangendo assim um grande número de pessoas que se interessam pela comunidade e por cultura japonês em geral. “Desta maneira olhamos para o futuro sem nos esquecer do passado, de todo o legado que foi construído até aqui”, diz Ebihara.
Nesta fase de planejamento, foi necessário olhar para o passado. Detectou-se a necessidade de revitalizar o formato e uma grande oportunidade de transformar a maneira de como as notícias são apresentadas, utilizando principalmente a internet, que dá mais agilidade no contato entre comunidade e jornal.

Fôlego – Para auxiliar nesta nova etapa, quem estendeu a mão foi Takaharu Hayashi. Sensibilizado com os leitores fieis, o empresário iniciou conversas para avaliar como poderia contribuir para a promoção da cultura japonesa no Brasil, e o apoio à comunidade, e, especialmente, seus membros mais idosos. Hayashi lembrou-se de fatos que o marcaram em suas antigas passagens pelo Brasil – ele reside no Japão e vem, de tempos em tempos, ao País para tratar de seus negócios.
Segundo ele, é de suma importância levar informação às pessoas através do jornalismo, e, especialmente, aos que dependem dos jornais japoneses. A resiliência, esforço em prol de um bem coletivo e respeito pelo trabalho dos imigrantes japoneses que se estabeleceram há mais de 100 anos no Brasil são os ingredientes para ampliar o alcance e o acesso às matérias relacionadas à comunidade.

Luiz Nishimori destacou importância de ampliar o alcance (Aldo Shiguti)

Hayashi afirma que se sensibilizou com situações de algumas destas pessoas. “Dois episódios me marcaram muito: o primeiro foi em Assaí [Paraná], quando me deparei com um idoso lendo a edição escrita em japonês. Lia com tanto afinco e concentração e pude observar que estava ávido por informações sobre a comunidade e sobre seu país de origem. Aquela cena me emocionou, pois senti que pessoas dependiam daquele jornal para terem acesso às informações. Em outra ocasião, desta vez em Santos [litoral de São Paulo], uma senhora também estava lendo o jornal em japonês. Soube que tinha 91 anos, era issei, seu marido havia falecido e não tinha filhos. Ou seja, o jornal era a única maneira para lembrar do Japão, de poder resgatar memórias de um país que estava tão distante fisicamente, mas tão próximo em seu coração. Só este fato me deixou emocionado, mas quando soube que o jornal que ela estava lendo havia sido impresso dois meses atrás, fiquei ainda mais tocado.”, destacou Hayashi.
Hayashi destaca ser importante ter uma grande rede de apoio para que a associação seja repleta de sucesso. “Só de ver este evento cheio, me sinto muito grato por estar aqui. Afinal, é uma véspera de feriado e sei que muitos têm compromissos com as famílias”, afirmou. “Gostaria de contar com a colaboração de todos nesse esforço mútuo, pois assim seremos cada vez mais fortes como comunidade”, finalizou.

Realizado no Nikkey Palace, evento recebeu convidados ilustres, entre empresários, lideranças e políticos (Aldo Shiguti)

Lideranças apoiam fundação da Associação Brasil Nippo

Na cerimônia de fundação da Associação Brasil Nippo, mais de 100 pessoas prestigiaram o evento, entre lideranças de entidades, políticos e empresários. Na ocasião, apresentações culturais fizeram parte da programação do evento.
Dentre os convidados, ilustres presenças marcaram o evento, caso dos vereadores de São Paulo Aurélio Nomura, Rodrigo Goulart e George Hato; do deputado federal por Paraná Luiz Nishimori e sua esposa, Akemi; do prefeito de Alto Alegre (SP), Carlinhos Sussumi; do secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Trabalho e Turismo de São Bernardo do Campo, Hiroyuki Minami; do presidente da Junta Comercial do Estado de São Paulo, Walter Ihoshi; da empresária Chieko Aoki; do presidente da Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), Toshio Ishikawa; do presidente da Fundação Kunito Miyasaka e vice-presidente do Bunkyo, Roberto Nishio; do secretário geral da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, Fujiyoshi Hirata; do presidente da Japan House, Eric Klug; além dos representantes da Jetro Brazil (The Japan External Trade Organization), da Jica (Agência de Cooperação Internacional do Japão), Hiroshi Hara e demais convidados.

Em discurso em japonês e português, Luiz Nishimori, destacou a importância de ampliar o alcance da cultura japonesa através dos veículos de comunicação. Para ele, “estamos sempre em busca de inovação e é de extrema importância fazer a manutenção de canais sobre cultura japonesa”, disse. Já Nishio lembrou de sua terra natal, Assaí, no Paraná, e de quando tinha acesso aos jornais japoneses. “Mesmo sem ler japonês, sempre via os jornais em casa na adolescência. Hoje, destaco a importância das notícias, também, escritas em português para continuarmos sempre a ter acesso aos principais acontecimentos da comunidade”, destacou.
Ihoshi também relembrou da época em que os periódicos japoneses sempre estavam presentes nas casas. “Lembro muito bem dessa época, pois nossos pais e avós se mantinham informados através dos jornais japoneses. Hoje estamos já na sexta geração de nipo-brasileiros e temos no digital a maior fonte de informação. Portanto, desejo muito sucesso na empreitada e que continuemos tendo acesso às informações da nossa querida comunidade”, ressaltou.

Comentários
Loading...