AGRICULTURA: Sistema Agroflorestal de Tomé-Açu é tema do Encontro Bunkyo Rural no próximo dia 16

Sucesso do Sistema Agroflorestal de Tomé Açu vem sendo considerado uma das melhores soluções (divulgação)

Tomé-Açu, cidade localizada a mais de 200 km a noroeste da capital paraense, Belém, destaca-se por seu papel na história brasileira: em 1929 recebeu as primeiras 42 famílias de imigrantes japoneses, durante a Segunda Guerra Mundial foi transformada em campo de concentração aos originários dos países de Eixo e, a partir dos anos de 1940, destacou-se pelo cultivo da pimenta do reino.
Agora, nos dias atuais, assume um novo protagonismo: o sucesso do Sistema Agroflorestal Tomé-Açu – Safta – que consiste num sistema de cultura consorciada de diferentes plantas. Este trabalho vem sendo considerado uma das melhores soluções para o desenvolvimento da Amazônia, e envolve tanto produção, sustentabilidade como preservação da mata nativa.
Ciente da importância desse tema, o Bunkyo Rural irá realizar no próximo dia 16 de abril próximo, sexta-feira, a partir das 17h, uma live – a terceira desde o início da pandemia – com o tema “Sistema Agroflorestal Safta – Alternativa para a Amazônia”, reunindo palestras dos responsáveis pelo sucesso desse empreendimento e pesquisadores em sistemas agroflorestais.
Trata-se da 13ª edição do Bunkyo Rural, que será em formato digital, com transmissão online pelo canal do Bunkyo Digital e é uma realização do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (São Paulo), em conjunto com a Associação Pan-Amazônia Nipo-Brasileira (Belém/PA), Camta – Cooperativa Agrícola Mista de Tomé-Açu e Acta – Associação Cultural de Tomé-Açu e apoio da Jica – Agência de Cooperação Internacional do Japão.
Entre os palestrantes, estão confirmadas as presenças do presidente da Camta, Alberto Oppata tratando sobre a comunidade agrícola da região e a montagem do sistema Safta. Também participam os representantes da Jica e da empresa Natura enfocando os impactos no desenvolvimento regional e a difusão dessa técnica para outras regiões do país.

Semente –Destaque ainda para o pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Alfredo Homma, que tratará sobre o tema “Sistemas Agroflorestais: Possibilidades para a Amazônia”, o presidente da Polo de Inovação Agro, professor George Hiraiwa, que vai falar sobre “A Importância das Cooperativas no Agro Digital” e o engenheiro agrônomo Cleber Soares, diretor de Inovação do Mapa do Ministério da Agricultura.
“Consideramos este tema, que ressalta a atuação dos imigrantes japoneses e o intercâmbio Brasil-Japão, de importância estratégica para o nosso país”, afirma Renato Ishikawa, presidente do Bunkyo. “Assim como o Prodecer – Programa de Desenvolvimento do Cerrado foi decisivo para o desenvolvimento à produção agrícola da região do cerrado levando o Brasil à condição de celeiro do mundo”, continua Ishikawa, “acreditamos que o Safta – Sistema Agroflorestal Tomé-Açu pode ser a semente para o desenvolvimento da produção agrícola consorciada na Amazônia onde se localizada o maior bioma que representa metade do território nacional”.

Repercussão – Segundo o presidente da Comissão do Bunkyo Rural, Tomio Katsuragawa, o evento está tendo uma repercussão muito positiva entre representantes de órgãos governamentais tanto do Brasil como do Japão antes mesmo de sua realização. “Isso mostra o quanto os governos dos dois países estão preocupados com a situação da Amazônia”, disse Katsuragawa ao Jornal Nippak.
Para ele, o formato virtual tem a desvantagem de não permitir o contato entre os participantes. “Por outro lado, o uso da tecnologia nos permite utilizar recursos muito interessantes que seguramente são muito úteis para um evento desta natureza”, explica ele, lembrando que o último Bunkyo Rural presencial aconteceu em 2019, na cidade paulista de Adamantina.

Última edição do Bunkyo Rural presencial realizado em Adamantina (divulgação)

Lives – Em 2020, a 11ª edição era para ter sido realizada em abril, em Presidente Prudente, na região Oeste do Estado de São Paulo – distante 558 quilômetros da capital paulista. No entanto, teve que ser cancelado por causa do avanço da pandemia. Em agosto do mesmo ano foi realizado a live Agronegócio na Nova Era – Tendências e Soluções, que teve como ponto alto a participação do professor José Graziano da Silva, ex-diretor geral da ONU para Agricultura e Alimentação (FAO), além das presenças ao vivo do secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gustavo Junqueira, e do presidente do Bunkyo, Renato Ishikawa.
O evento, que serviu para inaugurar o Studio Bunkyo e que contou como a 1ª edição online e o 11º Bunkyo Rural, teve realização do Bunkyo e apoio da Hansoro – Associação Cultural Nipo-Brasileira da Alta Sorocabana, Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo e Consulado Geral do Japão em São Paulo.
Em outubro do ano passado, a segunda live – e 12º Bunkyo Rural – uma realização conjunta entre o Bunkyo e o Conselho da Região de São Gotardo (MG), apresentou como tema “Cerrado Desbravado, alimenta o mundo”.

Natura – “Desta vez estamos trazendo um assunto de grande relevância e que com certeza vai despertar muito interesse não só dos grandes como também dos pequenos produtores pois mexe diretamente com a Amazônia, isto é, um sistema que permite a produção sem a necessidade de desmatamento. Vamos falar também sobre o sucesso da parceria entre a Natura, uma das maiores empresas de cosméticos do mundo, e a Cooperativa Agrícola Mista de Tomé-Açu (Camta), na questão do carbono. Se o projeto der certo no Pará, pode dar certo também em outras regiões e beneficiar muitos produtores”, conta Tomio.

“Sistema Agroflorestal SAFTA – Alternativa para a Amazônia”
Dia 16 de abril, sexta-feira, a partir das 17h
www.youtube.com/bunkyodigital

Comentários
Loading...