ACESSIBILIDADE: Japan House São Paulo recebe Selo de Acessibilidade Arquitetônica

Secretária Sílvia Grecco ao lado do presidente da JHSP, Eric Klug (E), e do vice, Carlos Roza (D) (Nikkey Shimbun)

Eric Klug, presidente da Japan House São Paulo, recebeu, no dia 3 de setembro, das mãos de Silvia Grecco, secretária municipal da Pessoa com Deficiência da Cidade de São Paulo, o Selo de Acessibilidade Arquitetônica, importante reconhecimento que indica que a edificação é adequada ao uso por pessoas com deficiência, concedido pela Comissão Permanente de Acessibilidade – CPA.
“Trabalhamos diariamente para manter a acessibilidade em nossa sede, além de todo o conteúdo expositivo on e offline. Sabemos que o trabalho nessa frente é de constante adaptação e ficamos muito gratos por receber o reconhecimento de tão relevante Selo, que atesta a assertividade de nossos esforços”, destacou Eric Klug em cerimônia realizada na Japan House São Paulo.
Segundo ele, “receber essa certificação do município é uma honra imensa porque premia o nosso caminho”. “Nós gostaríamos de ser um exemplo para a cidade na questão da acessibilidade porque isso promove a diversidade e essa é a nossa obrigação moral, legal e ética”, explicou Eric.
Para a secretária, quanto mais selos a pasta entregar, melhor. “Essa é nossa meta, quanto mais espaços tivermos assim, nós teremos uma cidade mais inclusiva com mais respeito e mais oportunidade”, disse a secretária Silvia Grecco, lembrando que conheceu a JHSP com o filho Nickollas, que é deficiente visual.
“Eu fiquei muito feliz quando conheci a Japan House, pois pude perceber o olhar que eles têm para a acessibilidade, não só arquitetônica, mas ampla, comunicacional e de atitude. Então, se eles foram aprovados pela nossa Comissão Permanente de Acessibilidade, que tem um trabalho muito sério, é porque eles atendem todos os critérios”, disse a secretária.

Selo é concedido a edificações que garantam acessibilidade (Nikkey Shimbun)

Lounge Esportivo – Na ocasião, a instituição também foi homenageada pela Secretaria pelo trabalho de inclusão apresentado na exposição ‘Lounge Esportivo: Tokyo 2020’.
Para conquista do Selo, algumas etapas foram percorridas como a análise do processo por arquitetos e engenheiros da Coordenação de Acessibilidade e Desenho Universal – Cadu, que possibilita a concessão do Certificado de Acessibilidade e por fim, resulta na concessão do Selo. A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência já contemplou escolas, espaços religiosos, restaurantes, bancos e outros centros culturais.

Regulamentação – Criado em 2011 o Selo de Acessibilidade tem como objetivo estimular a acessibilidade em projetos e ambientes arquitetônicos, seguindo as normas técnicas de acessibilidade e de desenho universal.
A certificação foi regulamentada pelo Decreto nº 45.552/2004 e é concedida para edificações novas ou já existentes, públicas ou privadas, que garantam acessibilidade para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Já foram contemplados espaços como escolas, centros culturais, templos religiosos, restaurantes e bancos.

Comentários
Loading...