Abrasel e ABGJ formalizam parceria e anunciam a ‘Semana da Gastronomia Japonesa’

Cônsul Ryosuke Kuwana (centro) com Shiraishi e convidados (Aldo Shiguti)

Em concorrido evento realizado nesta segunda-feira, 25, no Buffet Colonial (zona Sul de São Paulo), e que reuniu cerca de 200 pessoas, a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) e a Associação Brasileira de Gastronomia Japonesa (ABGJ), formalizaram parceria com o intuito de fortalecer os segmentos que trabalham com comida japonesa. O acordo foi firmado entre o presidente Regional da Abrasel, Joaquim Saraiva, e o presidente da ABGJ, Marcelo Shiraishi. Trata-se da primeira ação da nova diretoria da ABGJ, que tomou posse no dia 15 de maio. Além de Marcelo Shiraishi, a equipe é formada por Simone Xirata (Jojo Ramen), Takaaki Yasumoto (Yakitori) e Alexandre Fukada (Oazi).
O evento contou ainda com a participação do presidente do Conselho de Administração Nacional da Abrasel, Paulo Nonaka; do presidente Executivo, Paulo Solmucci; do cônsul geral do Japão em São Paulo, Ryosuke Kuwana; do presidente da Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo), Walter Ihoshi e do vereador Rodrigo Goulart, além de empresários e chefs, como Telma Shiraishi.
Nonaka, que foi reeleito para o triênio 2021/2023, disse que a ideia de trazer a comunidade japonesa “para dentro da Abrasel” surgiu há dois anos durante o “Prazeres da Mesa” e que reuniu vários chefes japoneses. “Eles não tinham ideia de que um descendente de japoneses pudesse presidir uma entidade como a Abrasel”, lembrou Nonaka, acrescentando que a Abrasel está presente em 5.570 municípios brasileiros com a missão de “representar e desenvolver o setor de alimentação fora do lar, contribuindo para um Brasil mais simples de se empreender e melhor para se viver”.
Em números, ele destacou que a entidade é formada em grande parte por micro e pequenos empresários do setor, que 80% faturam, “no máximo, 20 mil reais por mês” e que 65% ainda estão em situação irregular. Disse também que a Abrasel é uma entidade “política, mas apartidária” e que “independentemente da ideologia, vamos estar dialogando com todos”. Destacou também os projetos, como o Conexão Abrasel, “AVA (Assistente Virtual Abrasel), Open Delivery, Economia Circular e Brasil Novo. No final de sua fala, Paulo Nonaka pediu “união” e “engajamento” para um Brasil melhor.

Projetos – Em seu discurso, Marcelo Shiraishi afirmou que o segmento de bares e restaurantes “foi um dos que mais sofreram na pandemia”, com o fechamento de muitos estabelecimentos. Segundo ele, “ser empresário neste país não é para amadores”. Shiraishi disse que uma das principais lições que a pandemia ensinou foi a de “olhar mais para os outros além de nós”.
“Dividindo o cobertor todo mundo passa frio, mas todo mundo sobrevive. Mas para isso vamos precisar de engajamento”, disse o presidente da ABGJ, antecipando que um dos projetos da nova parceria envolvendo a Abrasel e a ABGJ é promover a Semana da Gastronomia Japonesa, que seria realizada entre 25 de outubro e 1º de novembro, data em que se comemora o Dia Internacional do Sushi.

Presidente Regional da Abrasel-SP, Joaquim Saraiva, e o presidente da ABGJ, Marcelo Shiraishi (Aldo Shiguti)

Washoku – Presente ao evento, o cônsul geral do Japão em São Paulo parabenizou a parceria entre a Abrasel e a ABGJ e lembrou que a culinária japonesa é “altamente reconhecida e apreciada no mundo inteiro”. “A culinária tradicional japonesa, ‘Washoku’, que encarna o espírito japonês de ‘ respeito “a natureza’, foi alçada mundialmente como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco em 2013, e desde então vem atraindo cada vez mais a atenção mundial”, explicou Kuwana, afirmando que “são poucos os países que possuem tantos restaurantes japoneses como o Brasil”.
“Estima-se que existem mais de 800 restaurantes japoneses apenas na cidade de São Paulo. Dentre estes há, inclusive, vários premiados internacionalmente”, disse o cônsul, acrescentando que “sinto me me honrado de que a gastronomia japonesa esteja contribuindo para a grande riqueza multicultural do pais”.
Pioneiros –“Acredito que a popularidade da comida japonesa no Brasil se deve em parte aos esforços dos imigrantes japoneses e seus descendentes”, comentou Kuwana, explicando que, “para maior sucesso da culinária japonesa no Brasil, além de empenhos individuais, os esforços em grupos são imprescindíveis”.
“Por esse motivo estamos confiantes de que a revitalização da ABGJ e sua parceria com a Abrasel fortalecerão ainda mais tanto a cultura culinária japonesa no Brasil como toda a indústria brasileira de restaurantes”, afirmou.

O chef André Saburó durante evento (Aldo Shiguti)

Tuna Experience – Após os discursos, os convidados puderam assistir palestras da empresária Chieko Aoki, CEO da Rede Blue Tree de Hotéis; do proprietário do Restaurante Tatá Sushi, Luizinho Hirata e do chef Edson Yamashita, do estrelado Ryo. A programação contou ainda com a abertura de um atum pelo chef André Saburó. O brinde foi comandado pela diretora social do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Teruco Kamitsuji (representando o presidente da entidade, Renato Ishikawa), e o presidente da Aliança Cultural Brasil-Japão, Eduardo Yoshida.

Evento lotou o salão do Bufffet Colonial, em São Paulo (Aldo Shiguti)
Comentários
Loading...