50º PRÊMIO KIYOSHI YAMAMOTO: Comissão do Prêmio confirma realização da cerimônia de outorga para novembro

A presidente Izumi Honda com o agrônomo Kunio Nagai (Aldo Shiguti)

Depois de uma pausa de um ano por conta da pandemia, a Comissão do Prêmio Kiyoshi Yamamoto definiu a data da cerimônia de outorga para o dia 5 de novembro, às 19 horas, no Salão Nobre do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – no bairro da Liberdade, em São Paulo. Presidente da Comissão, a engenheira agrônoma Izumi Honda explicou que o evento será restrito somente para os homenageados, familiares e convidados, além de autoridades. Segundo ela, a realização da cerimônia presencial só foi possível por causa da melhora nos indicadores da pandemia, que permitiu a retomada de algumas atividades no Estado de São Paulo. “Ainda assim, ficamos em dúvida se iríamos conseguir realizar a cerimônia ou não e só decidimos quando tivemos certeza que seria seguro”, explicou Izumi, lembrando que este ano serão homenageados dois agrônomos (Akira Kishimoto e Nobuyoshi Narita) e um produtor (Fumio Hiragami).
Este ano, a Comissão decidiu realizar a seleção pelo sistema online por meio de mensagens individuais, cabendo à secretaria do Bunkyo processar e apurar os votos enviados pelos membros-eleitores. Como em anos anteriores, não houve um número pré-determinado de selecionados ao Prêmio, mas foi combinado que o vencedor deveria receber pelo menos 50% dos votos dos membros-eleitores.
Para a 50ª edição, Izumi Honda conta que os indicados passaram por uma triagem inicial e, em reunião do colegiado, formado por 16 membros – entre engenheiros agrônomos e pesquisadores – realizada em julho, foi apresentado o resultado da votação. Participaram do processo de votação 12 dos 16 membros atuais da Comissão.

Euforia – Membro da Comissão do Prêmio Kiyoshi Yamamto desde 2012 e presidente da Comissão de 2017 a 2019, o engenheiro agrônomo Kunio Nagai explicou que, “inicialmente, o intuito do Prêmio era homenagear somente os agricultores”. “No entanto, acontece que o número de agricultores vem caindo a cada ano e, em contrapartida, está aumentando o número de agrônomos. Com isso, também estamos tendo que nos adaptar a essa nova realidade e em algumas edições abrimos também para pesquisadores”, lembra Nagai, explicando que, “apesar da euforia que a agricultura vive no momento”, a escassez de agricultores já pode ser sentida no dia a dia da população, que está pagando mais caro pelos alimentos que vão à mesa.

Manual Técnicas Agrícolas (Aldo Shiguti)

Mulheres – Autor do livro “Manejo do Solo e Adubação”, publicado pelo Instituto de Pesquisas Técnicas e Difusões Agropecuárias, da Jatak, em 2008, Nagai conta que o êxodo nas lavouras ocorre porque atualmente se pratica uma agricultura convencional, “que não tem futuro”. “É preciso mudar para a agricultura sustentável. E, para isso, é preciso mudar as técnicas de adubação”, diz ele, que em setembro do ano passado lançou, com coautoria do agrônomo Akira Kishimoto, o guia Novas Técnicas Agrícolas Japonesas um material de divulgação de técnicas agrícolas inéditas introduzidas do Japão.
Além de mais agricultores, Izumi Honda espera também ver mais mulheres atuando na área. Segunda mulher a assumir a presidência da Comissão – a primeira foi Miyoko Shakuda – ela lembra que, até hoje, desde que o Prêmio foi instituído, em 1965, foram homenageados 164 pessoas e apenas duas são mulheres: Haruju Matsuoka, em 1970, e Marina Ikuko Suhara, em 2005. “A tendência é que daqui para frente apareçam mais mulheres”, diz Izumi Honda, que coordena o Projeto de Intercâmbio e Cooperação dos Agricultores Nikkeis da América do Sul, vinculado ao Ministério da Agricultura, Floresta e Pesca do Japão.

Sobre o Prêmio – Kiyoshi Yamamoto foi o fundador do Bunkyo, e um dos fundadores da Associação Brasileira de Estudos Técnicos da Agricultura – Abeta, criada em 1958, para disseminar conhecimento técnico-científico entre os agricultores nipo-brasileiros. Após o seu falecimento, em 1963, a Associação decidiu instituir o Prêmio Kiyoshi Yamamoto (PKY) para prestar homenagem e preservar a memória do patrono. Em 1965 ocorreu a primeira cerimônia de outorga do PKY, e a partir de 1999, com a extinção da Abeta, o Prêmio passou a ser concedido pelo Bunkyo, através da Comissão do Prêmio Kiyoshi Yamamoto (CPKY).

CERIMÔNIA DE OUTORGA DO 50º PRÊMIO KIYOSHI YAMAMOTO
Quando: 5 de novembro (sexta-feira) a partir das 19 horas
Onde: Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Salão Nobre
Rua São Joaquim, 381 – 2º andar – Liberdade – São Paulo
Informações pelo telefone:
11/3208-1755

Comentários
Loading...