Show da Imigração Japonesa tem ingressos esgotados e abre sessão extra no próximo dia 9

No próximo dia 9 de fevereiro, as história de Oki, de 103 anos, Shiroki, de 100 anos, e Kumada, de 89 anos – todos assistidos da Assistência Social Dom José Gaspar – “Ikoi-No-Sono” –, assim como a de tantos outros imigrantes japoneses, estará sendo contada no palco do Grande Auditório do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), no bairro da Liberdade, em São Paulo. Trata-se do espetáculo “Show da Imigração Japonesa”, cuja ideia é “mostrar as lutas, desafios e especialmente a gratidão dos descendentes japoneses ao povo brasileiro que os acolheu e permitiu que formassem aqui suas famílias”.

 

Preparado com muito carinho por artistas, produtores e patrocinadores, será a primeira vez que o espetáculo, produzido por Fábio Toma, será apresentado na capital paulista em um novo formato e com ares de super produção.

O show foi apresentado pela primeira vez na Universidade Estadual da Bahia (Uneb) com o objetivo de mostrar a cultura japonesa para os baianos. Coordenado por Angelaisa Toyota, Fabio Toma e Lika Kawano e participações dos cantores Takahata Shoji, Yasmin Yamashita e Takeshi Nishimura, além dos grupos de taikô Wado, Doushindaiko, Ompa Taiko, Coral dos alunos da professora Lika Kawano e J-Pop, o espetáculo estreou na Uneb em setembro de 2016, com o nome de “1º Kansha In Concert – Gratidão”.

Desde então, já foi apresentado em diversas localidades: Campinas (Instituto Cultural Nipo-Brasileiro de Campinas), Itu (Parque Maeda), Lins (Blue Tree), Ikoi-no-Sono, Festival do Japão, Mogi das Cruzes (Bunkyo), Piracicaba e Ribeirão Preto e Vinhedo, e também em outros Estados: Goiás (Goiânia); Pará (Tomé Açu, Santa Izabel do Pará  e Belém); Rio de Janeiro (Rio e Niterói) e Bahia (Salvador). Somente no Hotel Taiyo, em Caldas Novas (GO), foram 13 vezes.

 

Sessão extra – Para esta nova apresentação, que terá cem por cento de sua arrecadação revertida em prol do Ikoi, a procura foi tanta que os ingressos para a sessão das 11 horas foram esgotados a praticamente três semanas do show, obrigando os organizadores a abrirem uma sessão extra, às 16 horas. A procura surpreendeu o diretor do Ikoi, Izumu Honda.

“Nunca imaginaria que isso fosse acontecer, Nas primeiras semanas nossa preocupação era vender os ingressos e depois tivemos que pedir para que parassem de vendê-los. Temos informações que estão vindo caravanas de Araçatuba, Barretos, Birigui, Tariri, Dourados e Jaboticabal”, explicou ele, que na noite desta segunda-feira, 27, organizou um encontro que reuniu patrocinadores, artistas, imprensa, diretoria e residentes do Ikoi.

Izumu avisa que quem quiser assistir ao show deve se apressar pois, mesmo para a sessão extra, já haviam sido vendidos cerca de 40% dos tíquetes.

 

Diferente – Segundo ele, tamanho interesse tem explicação. “Será um show muito diferente dos que estamos acostumados assistir. O nosso intuito é que todos oditians e obatians possam estar presente, daí optarmos inicialmente por uma sessão às 11 horas”, diz ele, antecipando que uma das novidades será um display de LED de  7×3 metros.

 

Legado – Izumu também fez questão de agradecer um a um todos os parceiros que acreditaram no projeto, como os advogados Kiyoshi Harada e sua esposa, Felícia Harada – que aderiram de imediato – à Honda, à Sakura, ao Método Supera, Impressa Artes Gráficas, Enagic, Sacolão Saúde, Macarrão Alfa, Taiyo, Tradbras, Sansuy e a ceramista Hideko Honma, além dos responsáveis pela gastronomia, Na-Na-Ya Pâtisserie e Mitsue Nishisaka.

 

Abençoado – Para o produtor Fábio Toma, a preocupação é “entregar um trabalho que dê orgulho para todos”. “Estamos trabalhando diuturnamente para isso”, conta, afirmando que, “falar da imigração é falar de tudo aquilo que nós ouvimos de nossos pais e avós, de tudo aquilo que vivemos com eles”. “É contar a história de pessoas que se sacrificaram para que hoje nós estivéssemos aqui e que nos deixaram um grande legado de lealdade, honestidade, honra e respeito. E o que considero mais importante, a orientação de que devemos estudar bastante para que não passemos o que eles passaram”, diz ele, destacando que está tendo oportunidade de trabalhar com um grupo”abençoado”. ,Mais que artistas, são seres humanos sensacionais”, disse Fabio Toma.

 

Expectativa – Apesar do mistério que cerca o espetáculo, Takeshi Nishimura deu algumas dicas. Com duração de cerca de duas horas ( quase o dobro do show normal), Takeshi conta que o público paulistano terá oportunidade de assistir, pela primeira vez, a uma encenação inédita que abrirá o show. Na demonstração que fizeram à imprensa, ele e Angelaisa Toyota, caracterizados com roupas da época da chegada dos imigrantes, conversam em japonês. Takeshi antecipou ao Nippak, porém, que a equipe estuda se incluirá diálogos também em português.

No palco, Angelaisa Toyota, Takeshi Nishimura Paula Hirama e Sergio Tanigawa receberão os convidados Pedro Mizutani, Takahata Shoji, Eunice Mizutani, Akemi Okamoto e Yasmin Yamashita. Haverá participação dos grupos de taikô Ryukyu Koku Matsuri Daiko, Kiendaiko, de São Bernardo do Campo, Shinkyo Daiko, de São Caetano do Sul, Raijin, da Liberdade, e Mitsuba (Kids e Yosakoi Soran).

“Faremos uma produção totalmente nova, por isso a expectativa para nós também está muito alta. Mas a energia dentro do grupo está sendo muito boa e vamos nos empenhar para levarmos uma mensagem muito positiva, de gratidão”, destaca Takeshi Nishimura.

(Aldo Shiguti)

 

Show da Imigração Japonesa em prol do Ikoi-no-Sono

Quando: Dia 9 de fevereiro (domingo). Sessões às 11 h (esgotado) e às 16 h

Onde: Grande Auditório do Bunkyo (Rua São Joaquim, 381)

Convite: preço único de R$ 35,00

Garanta o seu convite on-line sem taxa adicional: https://tinyurl.com/show-imigracao-japonesa

Informações: (11) 3208-7248

Comentários
Loading...