Rosaria Ono assume direção do Museu do Ipiranga e vê desafios

Museu do Ipiranga, antes de ser fechado para reforma: previsão é que seja reaberto em 2022 (Helio Nobre/Museu Paulista)

A professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) Rosaria Ono e o docente do Instituto de Relações Internacionais (IRI) Amâncio Jorge de Oliveira, ambos da Universidade de São Paulo (USP), assumiram, no início de julho, as funções de diretora e vice-diretor do Museu Paulista da USP, que administra o Museu do Ipiranga, na capital paulista, e o Museu Republicano de Itu. Em processo de restauro para sua reabertura em 2022, o Museu do Ipiranga será palco para as comemorações do bicentenário da Independência do Brasil. No interior, acontece em 2023 o centenário do Museu Republicano de Itu, que também irá passar por processos de restauro e modernização nos próximos anos.
Em entrevista ao Jornal Nippak, a nova diretora contou que serão dois grandes desafios pela frente.

Rosaria Ono, a nova diretora do Museu Paulista (Helio Nobre/Museu Paulista)

“Desde o fechamento do Museu do Ipiranga, em 2013, começamos a trabalhar um cronograma interno na USP para a sua reabertura em grande estilo”, conta a professora, que na gestão passada cumpriu “mandato tampão” como vice-diretora.
Primeira nikkei a assumir o cargo, ela explica que as obras devem ser concluídas dentro do prazo estipulado inicialmente.
“Mesmo com a pandemia, a área de construção civil não parou. A empresa [responsável pelas reformas] tomou todos os cuidados e está seguindo os protocolos para evitar que os funcionários se contaminem, mas as obras seguem a todo vapor”, disse Rosaria, lembrando que o museu foi fechado justamente porque “o projeto de arquitetura do edifício-monumento apresentava uma série de problemas, inclusive com processo no Ministério Público, por ser muito antigo e não atender uma série de exigências, como a questão da acessibilidade, além de melhorias que precisavam ser feitas”.
Em junho, o Comitê Gestor responsável pelo projeto de restauração do Museu do Ipiranga promoveu uma reunião com representantes das empresas patrocinadoras para apresentar os avanços na reforma do edifício-monumento.
No término da intervenção, orçada em R$ 139,5 milhões, o museu estará completamente renovado e ampliado, com 5.456 metros quadrados de área expositiva, dividida em 43 ambientes para exposições de curta e longa duração. O edifício seguirá as normativas atuais de infraestrutura, acessibilidade, sustentabilidade e segurança, com equipamentos especiais para a prevenção de incêndios.
A meta, explica Rosaria Ono, é, no mínimo, duplicar o número de visitantes do museu, que recebe anualmente cerca de 300 mil pessoas.

Fachada do Museu Republicano de Itu, que em 2023 irá comemorar… (Helio Nobre/Museu Paulista)

Museu Republicano – “Isso com todas as condições de segurança e com mais espaço para os visitantes, que está sendo o objetivo da reforma”, explica a diretora, destacando que, com as obras do Museu do Ipiranga em andamento a nova diretoria assumiu também o compromisso de elaborar um projeto para dar maior acessibilidade para o Museu Republicano que, assim como o Museu do Ipiranga, também é uma construção antiga – o prédio de Itu é do século 18 e foi tombado nas três instâncias – municipal, estadual e federal.
Inaugurado em 18 de abril de 1923, o Museu Republicano é um braço das atividades de pesquisa, cultura e extensão do Museu Paulista no interior de São Paulo, além de ser uma atração turístico-cultural importante para a cidade de Itu. O museu possui importante acervo documental histórico do período republicano, além de objetos da memória da cidade, que oferece subsídios para uma rica programação cultural aos seus visitantes.
Em entrevista ao Jornal da USP, Rosaria Ono disse que, como etapa de preparação para essas festividades, o objetivo é a modernização das instalações do museu para as exposições e outros eventos, além da adequação do edifício às condições de acessibilidade e de segurança contra incêndios e promoção da melhoria das condições de guarda do acervo de objetos.
Em 2023 será comemorado também os 150 anos da realização da Convenção de Itu, que dá nome ao museu.

… seu centenário de fundação e que também deve passar por obras de melhorias (Helio Nobre/Museu Paulista)

Perfil – Rosaria Ono possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1987), Master in Engineering – Nagoya University (1991), doutorado (1997) e livre-docência pela Universidade de São Paulo (2010). Atualmente é professora titular do Departamento de Tecnologia da Arquitetura da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Tecnologia da Arquitetura e do Urbanismo, com ênfase em Segurança Contra Incêndio e Avaliação Pós-ocupação, atuando principalmente nos seguintes temas: segurança contra incêndio, avaliação de desempenho e acessibilidade.
(Aldo Shiguti, com informações do Jornal da USP)

Comentários
Loading...