PROVÍNCIAS JAPONESAS: Província de Iwate: Belezas naturais consequências de catástrofes

Banhada pelo Oceano Pacífico, província de Iwate está situada ao norte da região de Tohoku (divulgação)

Quem visita a praia de Jodogahama na província de Iwate e não conhece a história local, jamais iria imaginar que um dia estar próximo ao mar seria um momento de grande desespero vivenciado por muitos turistas e habitantes, em 2011.
Situada ao norte da região Tohoku, com climas frios no inverno e frescos no verão, Iwate é banhada pelo Oceano Pacífico ao leste e rodeada por diversas montanhas e penhascos, embora ainda apresente áreas mais planas, lagos e águas quentes que facilitam o turismo em águas termais e a economia sustentada pelo maior plantio de trigo do país e pela indústria pesqueira.
Assim, a província de Iwate tem muito a surpreender seus visitantes e moradores, se mostrando adaptável às mudanças, unindo seus habitantes e exibindo a força e a luta contra os desastres naturais que causaram grande destruição.

Curiosidades sobre a província de Iwate

Informações importantes ao turista da província
Visitar Iwate é uma tarefa que vai além do turismo e do lazer, sendo uma forma de aprendizado referente à história local e apreciação da cultura, tradição e mudanças ocorridas após o terremoto e tsunami sucedidos, em 2011. Além disso, a província promete fascinar os turistas com sua gastronomia e belezas naturais que podem ser aproveitadas e contempladas em qualquer estação do ano.
Mas, antes de mais nada, não se esqueça de levar roupas para climas amenos e frios, já que suas temperaturas tendem a ser mais baixas do que elevadas, uma vez que seu verão é curto, iniciando no final de julho e finalizando ainda em agosto.

Origem do nome da província de Iwate
A denominação Iwate de nada tem a ver com sua história, sendo traduzido por “mão na rocha” e explicada pela lenda do “Oni no Tegata” que conta a história de um demônio que morava no Monte Iwate e atormentava toda população. Logo os habitantes rezaram por proteção e os espíritos Mitsuishi acorrentaram o demônio à rocha do monte vulcânico o fazendo prometer parar de incomodar os indivíduos de Iwate. Como prova de sua promessa, seu dedo foi marcado em uma das rochas da província.

Em 2011, tragédia que abalou o mundo Banhada pelo Oceano Pacífico, província de Iwate está situada ao norte da região de Tohoku (divulgação)

Catástrofes de 2011
Em 11 de Março de 2011, a região Tohoku do Japão passou por um grande susto, destruição e perdas causadas por tsunami de mais de 40 metros de altura e um terremoto de magnitude 9, ambos não previstos pelos cientistas japoneses que haviam identificado apenas a possibilidade de um terremoto de baixa magnitude próximo ao norte de Honshu. Apesar disso, com 1 minuto de antecedência ao acontecimento, todos da região receberam um alerta em seus celulares, o que auxiliou para que 58% da população se dirigisse às áreas mais altas e se prevenisse contra o pior.
Contudo foi impossível evitar o vazamento de materiais radioativos das usinas nucleares, os incêndios, a destruição de diversos estabelecimentos e residências, assim como a morte de mais de 9 mil pessoas ocasionada pelo aviso tardio.
Após o ocorrido, cerca de 45 países ofereceram auxílio ao Japão, sendo aceito principalmente a ajuda nas buscas por sobreviventes com o uso de cães farejadores, imagens via satélite e equipes de resgate.
Ainda em 2011, os japoneses surpreenderam o mundo todo com a sua rapidez na reconstrução de ruas e estradas com o intuito de facilitar o acesso do socorro às vítimas e das máquinas de limpeza. O problema, porém, é que mesmo com a limpeza e reconstrução das cidades há coisas que não têm volta, deixando uma grande marca a todos que sobreviveram às catástrofes naturais.

Taro Kanko Hotel manteve aparência da tragédia (divulgação)

Vivendo a história no Taro Kanko Hotel
O Taro Kanko Hotel é um dos estabelecimentos que optou por manter a aparência pós-tragédia, mostrando a todos o resultado do tsunami em um ambiente. Tendo seu primeiro e segundo andar completamente destruídos, embora as ondas tenham atingido até o quarto andar.
Para realizar uma visita em seu interior, você deve fazer uma reserva. Caso tenha interesse apenas em observar de fora, fique à vontade para ir, já que é de graça.
Além disso, você pode também admirar o “pinheiro milagroso”, símbolo de esperança devido ter sobrevivido ao terremoto de magnitude 9 e ao tsunami. Entretanto o atual “pinheiro milagroso” de 27 metros é uma representação artificial do que já existiu, pois, embora tenha sobrevivido por quase 200 anos, suas raízes foram deterioradas pelas águas fazendo com que tivesse que ser extraída.
Uma boa notícia sobre isso é que essa história não será esquecida e partes do pinheiro foram reaproveitadas.

Caverna Ryusendo é uma das três maiores calcárias do Japão (divulgação)

Turismo na caverna Ryusendo
A caverna de Ryusendo é uma das três maiores calcárias do Japão, apresentando o lago mais profundo do país com cerca de 120 metros. Ao visitar suas formações, você pode admirar quatro lagos diferentes com águas cristalinas verdes e azuis, iluminadas por luzes que permitem ver sua profundidade. Outro grande marco do local é a representação rochosa similar ao Jizo, protetor budista de viajantes e crianças, formada pelas ações da natureza.
Além de adentrar num mundo novo proporcionado pela caverna, os turistas podem levar um pouco dela, sendo comum pegar água de Ryusendo na garrafa, já que é rica em minerais, limpa e saudável. Há também a possibilidade de comprar, levando uma garrafa e a água como lembranças da viagem.
Por fim, não deixe de ir ao museu de ciência que oferece toda explicação e informação necessária sobre as formações rochosas das cavernas, essa atração dura de uma a duas horas.

 

Gastronomia de Iwate
Se a província de Iwate é famosa por sua atividade pesqueira e suas plantações de trigo, então saiba que não pode deixar de experimentar o abalone servido cru, como um sashimi, grelhado ou assado, assim como o jajamen, wanko soba morno e o ramen.
Para os dias quentes, o mais comum é consumir o morioka ramen com macarrão frio acompanhado por pepino, ovo, carne e fruta, sendo comum a adição de melancia à refeição.
Saindo das massas e dos frutos do mar, outra grande revelação de Iwate é a carne bovina de Maezawa que promete maciez e sabor.
Assim, a província de Iwate é um ponto turístico que garante proporcionar riqueza histórica e turística a quem o visita, sendo mais indicado como um local de apreciação e aprendizado. Apesar disso, deixando a seriedade de lado, ainda há as águas da praia de Jodogahama, o Festival das Cerejeiras e o Monte Ureira para se aventurar e se divertir, mostrando a complexidade de uma prefeitura pós-catástrofes.
(Marina Kisaki)

Comentários
Loading...