Movimento Político Nikkei entra em seu 2º ano em busca do fortalecimento das entidades nikkeis

Cônsul geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi, participou do evento em duas ocasiões (arquivo)

As eleições municipais de 2020 só ocorrerão em outubro, mas a movimentação nos bastidores já começou. Idealizado pelo “sempre deputado” Hatiro Shimomoto – forma como é carinhosamente conhecido o ex-deputado estadual – o Movimento Político Nikkei (MPN), cujo objetivo é buscar o fortalecimento dos políticos nikkeis e a valorização das entidades nikkeis, inicia nesta sexta-feira, 13, seu segundo ano de atividades em busca de um objetivo bem definido: o de que prevenir é melhor que remediar. Ou como diz o criador e coordenador do MPN: “Todos querem a presença e ajuda de políticos em seus eventos, mas se não eleger ninguém o que é que eles vão fazer?”, indaga Hatiro Shimomoto, acrescentando que “alguém precisa falar antes das eleições porque depois não adianta ficar reclamando”.
Segundo ele, a ideia de criar o MPN nasceu justamente em função do desempenho pífio dos candidatos nikkeis na última disputa para deputado estadual e deputado federal quando o Estado de São Paulo, por exemplo, que conta com a maior comunidade japonesa e seus descendentes do país, conseguiu eleger apenas um representante para a Câmara dos Deputados, e, assim mesmo, apesar de ter se aproximado – e até frequentado eventos da comunidade nikkei – Kim Kataguiri até então não tinha – e continua não tendo – nenhum vínculo mais próximo com associações ou entidades nipo-brasileiras.

5º Simpósio – E em outubro, quando cerca de 150 milhões de eleitores devem ir às urnas em 5.570 munícípios pára eleger prefeitos, vices e vereadores, a expectativa é que a presença de representantes com ascendência japonesa nas Câmaras Municipais aumente. A missão não será fácil pois vários fatores podem interferir na escolha do eleitor.
No entanto, Shimomoto espera, pelo menos, que os próximos palestrantes, o vice-presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social) e ex-sub-chefe da Casa Civil do Governo do Estado de São Paulo, Carlos Kendi Fukuhara, e o professor e ex-presidente da Assistência Social Dom José Gaspar Ikoi-no-Sono, Reimei Yoshioka, sigam a mesma linha de seus antecessores, ou seja, de mostrar a necessidade de se eleger (mais) representantes nikkeis, seja na esferas municipal, estadual ou federal.

Carlos Kendi Fukuhara será um dos palestrantes desta sexta-feira… (arquivo)

Temas – Responsável pelos dois últimos grandes acontecimentos envolvendo a família imperial – a Cerimônia e Jantar em Comemoração à Entronização do Imperador do Japão, Naruhito – no dia 22 de outubro do ano passado, no Círculo Militar de São Paulo – e a Celebração dos 60 anos de vida de Sua Majestade – no último dia 28, no Thetato Municipal – Carlos Kendi Fukuhara vai falar sobre a “Preparação da campanha política deste ano e valorizar os políticos nikkeis e a comunidade nikkei”.
Já Reimei Yoshioka abordará o tema “Participação da comunidade nikkei em eleger maior número de políticos”. Por enquanto, explica Hatiro, estão confirmadas as presenças do vereador de Penápolis (SP), Rubens de Medici Ito Bertolini, o Rubinho Bertolini (SD); do vice-prefeito de Guaratinguetá, Regis Yasumura (PSB); do vereador de São Paulo, George Hato (MDB); do deputado estadual Coronel Nishikawa (PSL) e do ex-deputado estadual Hélio Nishimoto.

… ao lado de Reimei Yoshioka (arquivo)

Expectativa – Para Shimomoto, a expectativa é que se repita o sucesso do primeiro ano do Movimento dos Políticos Nikkeis, quando foram realizados quatro Simpósios a cada três meses.
No primeiro ano, o MPN teve como palestrantes o cônsul geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi (participou por duas vezes); o presidente do Bunkyo, Renato Ishikawa – que falou sobre o “Incentivo, a participação e integração da comunidade com políticos e entidades nikkeis”; o presidente do Kenren, Yasuo Yamada, que abordou o tema “Integração e harmonia dos associados das províncias aos políticos nikkeis; o presidente executivo do Festival do Japão, José Taniguti, que falou sobre a “Valorização dos políticos nikkeis aos associados dos kenjinkais”; o vice-presidente do Kenren, Toshio Ichikawa, que palestrou sobre a “Participação dos associados dos kenjinkais na integração política dos nikkeis no Estado de São Paulo”; o presidente da Fundação Kunito Miyasaka, Roberto Nishio, que falou sobre a “Valorização dos políticos nikkeis à sociedade nikkei”; e o gerente de Operações da Japan House São Paulo e presidente da Comissão de Administração do Pavilhão Japonês, Claudio Kurita, que participou com o tema “Participação dos jovens da comunidade nipo-brasileira para o fortalecimento da comunidade e políticos nikkeis”.

Membros – Dos 17 membros efetivos – Hatiro Shimomoto (coordenador); Kim Kataguiri (deputado federal), ex-deputados federais Keiko Ota (PSB), Junji Abe (MDB) e Walter Ihoshi (PSD); deputados estaduais Coronel Nishikawa (PSL); Márcio Nakashima (PDT); ex-deputado estadual Hélio Nishimoto; ex-prefeito de Andradina, Jamil Ono (Patri); vice-prefeitos Juliano Abe (MDB), de Mogi das Cruzes; Régis Yasumura (PSB), de Guaratinguetá; vereadores Aurélio Nomura (PSDB-SP), George Hato (MDB-SP), Cláudio Miyake (PSDB, de Mogi); Masataka Ota (PSB-SP); Yutaka Kimura (PTB, de Bastos) e Rodrigo Hayashi Goulart (PSD-SP), participaram dos Simpósios – políticos que tiveram mais de 20 mil votos no Estado de São Paulo – os seguintes políticos: Keiko Ota, Coronel Nishikawa; Hélio Nishimoto, Régis Yasumura, Aurélio Nomura; George Hato; Masataka Ota; Yutaka Kimura e Rodrigo Hayashi Goulart.
De acordo com Shimomoto, sete não tem participado dos Simpósios: Kim Kataguiri (DEM); Junji Abe, Walter Ihoshi, Márcio Nakashima; Jamil Ono, Juliano Abe e o vereador de Mogi das Cruzes, Cláudio Miyake.
Entre os temas que considera relevantes, Hatiro Shimomoto destaca as discussões sobre a redução da maioridade penal para 15 anos, o combate à corrupção e diminuição de gastos públicos e a diminuição de prefeituras e câmaras municipais, que ganhou destaque nos últimos dias no governo federal.

Apreço – Segundo Shimomoto, “houve por parte do público, manifestação de apreço e apoio à inciativa deste movimento, em valorizar os políticos atuantes porque, divulgando a participação nos Simpósios, se tornariam políticos mais conhecidos, pela atuação através da imprensa”.
“Desta forma, não haveria a pulverização dos votos e elegeriam mais políticos atuantes e dignos, para através de bons políticos fazerem boas leis, para melhorar a Sociedade e construir um país melhor”, destacou Shimomoto, acrescentando que o MPN tem como meta fortalecer a tese que “uma nação se constrói pela formação do povo, pela educação, civismo, amor à Pátria e a prática de bons usos e costumes formam cidadãos bons para a sociedade e para o país”.

5º Simpósio do MPN

Quando: Dia 13 de março (sexta), a partir do meio-dia
Onde: Rua Sãop Joaquim, 381 – 5º andar (sala do Kenren)

Comentários
Loading...