MOVIMENTO POLÍTICO NIKKEI: A menos de dois meses das eleições, 7º Simpósio destaca importância de eleger representantes nikkeis

Realizado no dia 14 de agosto de forma virtual por causa da pandemia do novo coronavírus, o 7º Simpósio do Movimento Político Nikkei teve como convidados o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), que cumpre seu primeiro mandato; o presidente da Associação dos Shizuoka Kenjin do Brasil, Nagato Hara, e o 3º vice-presidente do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Marcelo Hideshima.
Em sua sétima edição, o simpósio apresentou como pauta “Como as entidades da comunidade podem ajudar os candidatos nikkeis nas eleições municipais deste ano?”. Em live, o idealizador do MVP, que visa a valorização dos políticos nikkeis e das entidades nikkeis, o “sempre deputado” Hatiro Shimomoto lembrou que estamos “nos preparando para as eleições municipais, que este ano serão realizadas em novembro e destacou o trabalho de parlamentares-membros do MPN. Na Capital destacou o trabalho do vereador Aurélio Nomura em defesa das mulheres e do vereador George Hato, “que tem feito um bom trabalho na área da saúde”, além de Rodrigo Hayashi Goulart, “que tem feito um excelente trabalho junto ao Pavilhão Japonês, no Parque do Ibirapuera, apoiando as obras de melhorias e de acessibilidade”.
“Quero destacar que este ano é ano de eleição e é importante falarmos mais sobre esses trabalhos, por isso eu peço para que todos que fazem parte deste movimento nos enviem seus trabalhos e projetos que conseguiram aprovar em benefício da sociedade”, disse, acrescentando que “quem faz melhorar o país são os políticos que fazem as leis”. “Vamos eleger bons representantes para que façam também boas leis, assim a sociedade brasileira terá uma melhor qualidade de vida”, destacou Shimomoto.
Idealizador de movimentos como o FIB – Fórum de Integração Bunkyo –, que este ano chega a sua 12ª edição neste sábado (19), Marcelo Hideshima enalteceu a iniciativa de Hatiro Shimomoto e disse que, para ele, “o cenario ideal é que os jovens nikkeis que participam de alguma associação ou de algum projeto, pudessem convidar os politicos nikkeis para um bate-papo onde prevaleça o diálogo construtivo: os jovens falando de suas ideias e os politicos falando de suas competências e do que é possível fazer através dos órgãos públicos que estão à disposição da população”.

Para Hideshima, é preciso investigar a história do candidato

RevitaLiba – Hideshima citou, como exemplo, o RevitaLiba, Programa de Revitalização do bairro da Liberdade idealizado pelo Consulado Geral do Japão e liderado pela JCI Brasil-Japão com apoio do Interkaikans e da Comissão de Jovens do Bunkyo e do qual a Subprefeitura da Sé é parceira.
Hideshima disse que c,Cabe a JCI Brasil-Japão mobilizar o maior número de pessoas para que, através do mutirão de limpeza, possam exercer a cidadania, engajar mais jovens em projetos solidários e, desta forma, “vejo que eles servem de exemplo para que mais e mais pessoas possam exercer a cidadania em prol da comunidade local”. “Ações como essas, multiplicadas, podem fazer uma grande diferença na sociedade brasileira”, disse.

Engajamento – Pare ele, esses mesmos jovens também podem participar junto aos politicos nikeis na elaboração de projetos ou sugerindo ideias e propostas qiue possam favorecer e fortalecer a sociedade como um todo. “Após 112 anos de imigração japonesa, os descendentes estão totalmente integrados na sociedade brasileira e a cultura japonesa é bem apreciada, admirada e praticada por muitos, inclusive os que não são nikkeis”, afirmou Hideshima.
Com grande influência entre os jovens, Hideshima conta que políticos nikkeis que conhecem, que participam e que pertecem a alguma entidade, associação ou causa, “tem uma sensibilidade maior para importância desta manutenção da divulgação da cultura e do desenvolvimento da comunidade como um todo e também da sua contribuição perante a sociedade brasileira”.

Oportunistas – “Então, vejo que se o politico tiver um envolvimento com essas entidades – não os políticos oportunistas, que só aparecem em época de eleição , mas os que têm raízes, conhecimento, que tem a cosntrução de projetos dentro da comunidade através destas entidades, destas organizações ou de uma causa, eu acredito sim, que eles podem nos representar em todas as esferas e muito bem”, comentou Hideshima, explicando que, em contrapartida, “a comunidade tem que valorizar esses representantes” .
“Eu acho que as entidades tem que estar junto, tem que apoiar, tem que incentivar, tem que pedir votos sim, porque se essa pessoa é séria, é dedicada, é comprometida e tem esses valores enraizados na sua personalidade, tenho certeza que ele será um politico diferenciado, que poderá fazer muito mais não só pela política nacional, de sua cidade e de seu estado como também irá fortalecer ainda mais essa relação da comunidade nikkei perante a sua sociedade local, contribuindo muito na formação de bons projetos e de boas práticas”. “E que tudo isso possa ser levado adiante com o importante apoio destas instituições junto aos nossos candidatos”, esclareceu Hideshima, que deixou um conselho às novas gerações.

Caras pintadas – “Tenho percebdio que nas últimas eleições tem um grande número de jovens que participam de manifestações, pintam a cara, levantam bandeiras e lutam por uma causa. Ao mesmo tempo, vejo com uma grande preocupação que esses mesmos jovens não se aprofundam em conhecer qual o verdadeiro papel dos nossos representantes politicos e nessas eleições municipais, qual o papel dos nossos vereadores, qual é o papel do nosso prefeito”.
Segundo ele, os jovens que buscam o novo, que anseiam por mudanças, deveriam buscar a fundo qual é o papel desses representantes e quais são os candidatos que lutam pelas causas que ele considera as mais importantes. “Nós temos o poder muito grande com o nosso voto. As nossas escolhas de hoje vão refletir muito no futuro e os jovens são os que tem mais tempo de vida e por isso a sua decisão é fundamental para que elejam bons representantes”, explicou Hideshima, que concluiu sua participação com uma dica aos jovens eleitores.
“Pesquisem o candidato, pesquises a sua vida, a sua história, a sua trajetória política. Pesquisem se ele é realmente coerente com o discurso que tem e se ele realmente nos representará dignamente. Nessas eleições, nós temos o poder dessas mudanças, nós temos a força de buscar aquilo que nós acreditamos através do nosso voto. Os jovens de hoje serão os protagonistas do futuro. Por isso, pensem e escolham o que melhor te representa e que fará a diferença para todos nós”, finalizou Hideshima.

Para Nagato Hara, a união é a base do fortalecimento da comunidade

À margem – Já para Nagato Hara a valorização do político nikkei não só é “essencial” como também se faz “necessária” para que os eleitores tenham um digno representante merecedor do seu voto e de suas convicções políticas. Para o presidente do Shizuoka Kenjinkai, numa sociedade democrática, “para o sucesso da comunidade é importante ter representantes não só no governo como também em órgãos setoriais”.
“A união é a base do fortalecimento da comunidade. Nagato disse que, nesses 112 anos de imigração, a política sempre esteve à margem das entidades nikkeis e de seus associados, apesar da constante mudança interna ao longo dos anos. “Atualmente, as entidades estão sentindo a importância de ter representação política. È o momento de maior integração político-entidade. As entidades devem apoiar, divulgar junto aos seus associados a valorização dos politicos nikkeis, a importância de ter representação no governo e em outros órgãos governamentais para que possamos atingir as nossas reivindicações e a consolidação na sociedade.
Por sua vez, conta Nagato, os políticos nikkeis devem interagir mais com as entidades da comunidade e “ouvir as reivindicações, informando os projetos governamentais e as suas atividades e projetos de leis”.
Para essas eleições municipais, Nagato Hara conta que o ideal seria se o candidato apresentasse a sua plataforma política, “incluindo os núcleos de apoio à juventude e família, progamas de inclusões e capacitações e cuidados com o meio ambiente.”. E concluiu afirmando que, neste ano, a eleição será atípica devido à pandemia da covid- 19. “Estão previstas muitas abstenções por iso as associações devem informar seus associados sobre a importância do voto e incentivar a divulgação a amigos e familiares”, explicou.

Kim Kataguiri, os valores da cultura japonesa “podem e devem ser repassados a sociedade brasileira” (Facebook/Kim Kataguiri)

Valores – Para o deputado federal Kim Kataguiri, o MPN é “fundamental para a valorização da cultura japonesa e da comunidade nikkei como um todo”. “A gente sabe da união que a comunidade tem, dos valores, da cultura rica que nós pregamos – o Japão sempre dando exemplos de superação de trabalho duro, de estudo, de dedicação de disciplina e, principalmente, de respeito ao próximo. Respeito aos mais velhos, respeito ao espaço do próximo, à caridade, enfim, a ajuda mútua e o respeito do trabalho de equipe que são valores muito fortes tanto no Japão como na comunidade nikkei aqui no Brasil. E o Movimento é fundamental para fortalecer esses laços e essas nossas características que podem e devem ser repassados para a sociedade brasileira”, afirmou Kataguiri, que lembrou de uma viagem que fez ao Japão no ano passado, quando teve oportunidade de conhecer e conversar o vice-primeiro-ministro, Taro Aso.
“Tivemos uma boa conserva, na qual negociamos a abertura do mercado japonês para a exportração da carne brasileira. Este ano essas negociações evoluíram e tenho apresentado projetos para facilitar o ambiente de negócios aqui no Brasil, facilitar a geração de empregos e de renda por meio da desburocratização e da diminuição dos cartórios, da digitalização de processos,ou seja, trazer objetividade para a nossa legislação para ter mais segurança juridica para os empreendimentos não serem tão questionados, embargados, não dar tanta margem para interpretação para que o seu negócio seja fechado, quer pela Prefeitura quer pelo Governo estadual ou até pelo governo federal”, disse, afirmando que também apresentou projetos para cortar gastos na máquina pública e “enxugar o estado brasileiro para que entregue mais ao cidadão e seja menos voltado para si só”.
“Hoje o estado brasileiro é uma grande máquina de tirar dinheiro dos mais pobres por meio da tributação no consumo de entregar para os mais ricos para o funcinalismo público por meio da concessão de privilegios, auxiliio moradia, auxilio paletó, etc e dos altos salários do funcionalismo. Para quem não sabe, nos ultimos anos o salário do funcionalimo triplicou em comparação com a iniciativa privada que mal foi corrigido pela inflação”, explicou.

Festival do Japão – Para o deputado, se pudesse dar um conselho para os candidatos nikkeis nessas eleições seria, primeiro “buscar apoio na própria comunidade, nas associações, fazer um trabalho de base”. Segundo Kim Kataguiri, “a comunidade nikkei é extremamente acolhedora”. E citou como exemplo o Festival do Japão, evento que participa como voluntário desde 2016, “mesmo antes de ser deputado”.
“Este ano infelizmente não tivemos oportunidade de contribuir em razão da pandemia, não tivemos nosso principal evento relacionado à cultura japonesa da América Latina, onde a gente difunde a nossa cultura, a nossa culinária, a nossa dança, enfim, é um evento incrivel e que adoro participar e ser voluntario todos os anos. É sempre muito prazeroso estar lá”. Garantiu.
A segunda dica que ele daria para o candidato nikkei é “buscar a sua bandeira”. “O representante no poder legislativo deve ter um foco, um eixo temático. Diferente do prefeito que precisa entender a cidade como um todo e trazer soluções para todos os problemas, o parlamentar representa não a cidade inteira mas um segmento da sociedade e é justamente nesse segmento que você deve focar, propor suas ideias, trazer especialistas para debater e para mostrar o que é factivel, entender qual é a a sua competência legislativa, ou seja, quais são os ramos do direito que você pode atuar sendo um legislador municipal para trazer soluções profundas com base no seu eixo temático, naquilo que você mais gosta de fazer, naquilo que você tem uma trajetória política, já tem um histórico de atuação para transformar esse hsitórico de atuação em ação efetiva enquanto parlamentar e fazer uma boa campanha”, finalizou Kim Kataguiri.
Hatiro Shimomoto informou que o 8º e último Simpósio do MPN antes das eleições municipais está marcado para o dia 15 de outubro, também de forma virtual.

Comentários
Loading...