Mie Nishi recebe melhorias e diretor destaca apoio de Nomura

(Divulgação)

Mesmo em meio à pandemia provocada pelo coronavírus, que proibiu a realização de jogos de beisebol no Mie Nishi, na capital paulista, os trabalhos de infraestrutura no estádio não pararam. Dois setores passam por reformas que devem melhorar as condições de uso pelos atletas. Uma delas é a readaptação do bench (área reservada aos jogadores), que recebeu uma espécie de grama sintética. Outra intervenção foi a reforma dos pisos dos banheiros, agora revestidos com placas de borracaha antiderrapante. O ginásio de sumô também receberá melhorias.
O vereador Aurélio Nomura, importante apoiador do beisebol, destaca a importância das obras. “O beisebol foi trazido ao Brasil pelos primeiros imigrantes , por muito tempo os nikkeis foram a maioria dos praticantes dessa modalidade e o estádio leva o nome de uma pessoa da comunidade. É natural, portanto, nós descendentes nos dedicarmos a manter em ordem esse bem público e que é o único estádio municipal de beisebol de São Paulo”, comentou o vereador Aurélio Nomura, que em 2015 garantiu a construção da gaiola de treinamento de rebatedores (batting case).

Pisos dos banheiros do Estádio Mie Nishi foram revestidos com placas de borracha antiderrapante (divulgação)

Prazo – Segundo o diretor do Estádio Mie Nishi, Carlos Tatsumi, que assumiu o cargo em julho do ano passado, o apoio do vereador também garantiu a troca do alambrado do campo 2, que ganhará mais dois metros e meio de altura, evitando assim que a bola ultrapasse para o lado externo. Tatsumi disse que a previsão é concluir todas as obras de melhorias até o final deste mês.
“São obras extremamente necessárias e que felizmente foram atendidas pelo vereador. Ainda tem muita coisa a ser feita, mas estas melhorias vão ajudar demais os usuários do estádio”, explicou Tatsumi, lembrando que a Seme (Secretaria Municipal de Esportes e Lazer da Prefeitura da Cidade de São Paulo) também garantiu verba para outras duas importantes obras: a reforma da ponte em estilo oriental que fica logo na entrada e a pintura da fachada das arquibancadas.
“Aproveitamos esta parada por causa da pandemia para promovermos essas melhorias”, disse Tatsumi, explicando que as atividades de beisebol, sumô e gueitebol – que fazem parte do complexo – estão paralisadas. “”Por enquanto, só é permitida caminhada das 6 às 14 horas”, observou Tatsumi.

Gaiola de rebatedores inaugurada em 2015 (arquivo)
Comentários
Loading...